Guia do Estudante

Aventuras na História

Qual a diferença entre rei e imperador?

Napoleão Bonaparte decapitou um rei e virou imperador da França

Mário Araujo | 01/08/2006 00h00

Na prática, não há diferença alguma. Ambos são soberanos de países que têm regimes políticos monárquicos. No entanto, existem variações dessas denominações – associadas, na maior parte das vezes, à noção de superioridade que cada país ou governante atribui a si próprio.

Nesse sentido, um rei geralmente governa uma área pré-determinada. Já os impérios têm como característica o constante crescimento – na maioria das vezes, resultado de guerras e dominações. A França de Napoleão Bonaparte, no século 19, ou a Rússia do czar Nicolau II, no começo do século 20, são exemplos – “czar” significa “césar”, título dos antigos imperadores romanos. “No Brasil vigorou um império: Pedro I e II eram chamados de imperadores, já que governavam um país remanescente do Império ultramarino português”, diz Daniel Ferraz Chiozzini, historiador da Universidade Estadual de Campinas.

Fatores como tradição e hereditariedade também influenciam na denominação. A Inglaterra, por exemplo, que sustenta um regime monárquico governado por reis desde o século 9 (hoje uma monarquia parlamentarista), teve em sua história períodos de expansão imperialista, com colônias na América do Norte, África, Ásia e Oceania. Já o Japão sempre manteve um regime imperial, mas teve períodos quase nulos de expansão – apenas incursões na China e Rússia.

 

Compartilhe

Busque em História

Edições Anteriores

Edição 128
Edição 128

Edição 127
Edição 127

Edição 126
Edição 126

Edição do mês

edição 128

edição 128,
marco 2014
Como meninos de 7 anos eram transformados nos soldados mais temidos da Antiguidade

Assine Aventuras na História Compre Aventuras na História