logo-ge

Estudos africanos e afro-brasileiros são tema de curso superior

Licenciatura, oferecida pela UFMA, prepara professores para atuar nos ensinos fundamental e médio

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís (MA), oferece desde 2015 uma licenciatura interdisciplinar em Estudos africanos e afro-brasileiros.

Trata-se de um curso pioneiro e interdisciplinar que forma professores para os anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e para o ensino médio na área de Ciências Humanas.

A ideia da licenciatura, segundo a coordenadora Kátia Regis, surgiu a partir da Lei 10.639/2003, que tornou obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana nos ensinos fundamental e médio. A lei e suas posteriores regulamentações estabeleceram o reconhecimento e a valorização das raízes africanas do país, ao lado das raízes indígenas, asiáticas e europeias. “Apesar do novo marco legal, ainda há muitos desafios para que as escolas ensinem com propriedade esses conteúdos e, dentre eles, destacamos a formação inicial de professores(as)”, diz Kátia. É exatamente para preencher essa lacuna que o curso foi criado.

Além de lecionar, o profissional formado pelo curso poderá trabalhar também em institutos de pesquisa e atuar na gestão e formulação de políticas públicas relacionadas à temática étnico-racial nos ministérios e nas secretarias estaduais e municipais de Educação, Cultura, Relações Étnico-Raciais, Direitos Humanos, Mulheres e Juventude, entre outras.

As disciplinas compreendem conteúdos das áreas de educação, filosofia, geografia, história e sociologia. Entre elas estão Educação para as Relações Étnico-Raciais; Movimentos Sociais e Relações Étnico-Raciais na América Latina; Literatura Africana e Afro-Brasileira; Sociologia Africana; e A Música Negra no Cenário Mundial. O curso prevê, ainda, que cada um dos quatro anos letivos tenha um eixo temático interdisciplinar:

1º ano: Literatura Africana e Afro-Brasileira;

2º ano: Cinema Africano e Afro-Brasileiro;

3º ano: Grandes pensadores Africanos e Afro-Brasileiros;

4º ano: Políticas antirracistas no mundo.

A licenciatura, que tem a duração de quatro anos, acontece no período noturno. São disponibilizadas 40 vagas anuais, e o ingresso se dá por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s