Guia do Estudante

Posts com a tag ‘física’

8 GIFs para estudar física e química

Ana Prado | 28/02/2014

Vestibulando que é vestibulando encontra material de estudo em todo lugar. E este blog está aqui para provar que é possível fazer isso até com – pasmem – GIFs. A internet está cheia de imagens animadas mostrando reações físicas e químicas ligadas a temas que caem no vestibular. Listamos sete delas, seguidas de explicações dadas pelos professores Alexandre Ribas dos Santos (química) e Francisco Flavio Ribeiro Viana (física), do Cursinho do XI.

1. Apodrecimento de um abacaxi

CXFOtcf (1)

Eis um exemplo incrível de um processo químico – aquele em que há alteração da substância original e formação de novas substâncias. ”O apodrecimento é um processo natural em que atuam microrganismos e enzimas presentes na própria fruta”, explica o professor Alexandre. No segundo caso, trata-se de um processo de autodigestão enzimática da pectina, principal componente da lamela média na parede celular; no primeiro, fungos e bactérias invadem os tecidos da fruta e decompõem substâncias ali presentes, principalmente açúcares, para obter o alimento necessário à sua sobrevivência.

>> Veja também: o eteno ou etileno (H2C=CH2) é um alceno importante no processo de amadurecimento das frutas. Leia mais sobre isso aqui.

 

2. Pasta de dente de elefante

pasta elefante

A reação é produzida quando se mistura peróxido de hidrogênio (H2O2, também conhecida como água oxigenada – a água comum com um átomo a mais de oxigênio) misturado com um pouco de detergente e iodeto de potássio. A água oxigenada é uma substância composta instável, que libera esse oxigênio muito facilmente, deixando de ser água oxigenada e transformando-se em água comum (H2O). Em contato com iodeto de potássio, que é um sal inorgânico, essa liberação é acelerada, portanto, ele atua como um catalisador. As bolhas de oxigênio liberadas se misturam com o detergente, formando uma espuma.

H2O2    +          I−         →         H2O     +          IO−

H2O2    +          IO−       →         H2O     +          O2        +          I−
___________________________________________
2H2O2                         →         2H2O(l) +          O2(g)

 

3. A serpente do faraó

Essa reação química conhecida como “serpente do faraó” se dá em três etapas e envolve tiocianato de mercúrio (II) e glicose (açúcar). Na primeira etapa, ocorre a combustão (ou queima) do açúcar (sacarose, C12H22O11(s)), que promove, como segunda etapa, a decomposição térmica do tiocianato de mercúrio (II), com a formação de nitreto de carbono, que é a massa marrom volumosa, além de dissulfeto de carbono e sulfeto de mercúrio (II). Na etapa 3, o sulfeto de mercúrio (II) liberado reage com oxigênio presente no ar, resultando em mercúrio (altamente venenoso) e dióxido de enxofre. Assim, o que dá volume à serpente são os gases liberados.

ETAPA 1: C12H22O11(s) + 12 O2 (g) → 12 CO2(g) + 11 H2O(l)

ETAPA 2:  2Hg(SCN)2(s) → C3N4(s)   +  CS2 (g) + 2HgS(s)

ETAPA 3: HgS(s) + O2(g)  → Hg(s) + SO2(g)

 

4. Ursinho de gelatina flamejante

urso-flamejante

Por ser um forte agente oxidante, o clorato de potássio reage violentamente com o açúcar, liberando uma grande quantidade de energia (calor) segundo a reação química abaixo:

C12H22O11(s) + 8KClO3(s) -> 12CO2(g) + 11H2O(g) + 8KCl(s)

O calor liberado na reação, que é do tipo exotérmica, provoca a combustão do oxigênio, queimando o doce.

 

5.Vela acendendo com a própria fumaça

vela

Quando apagamos uma vela, fica um “rastro” de fumaça que contém gases inflamáveis. Assim, ao aproximarmos uma fonte de calor qualquer, esses gases entram em combustão, levando essa queima até o pavio da vela.

“Por isso recomenda-se não colocar álcool diretamente no fogo em churrasqueiras, pois os vapores do álcool podem conduzir a combustão até o interior da garrafa”, acrescenta o professor.

 

6. Polimerização de nitroanilina

nitroanilina

Ocorre quando ácido sulfúrico concentrado é adicionado à nitroanilina, o que gera uma reação de polimerização – processo de conversão de monômeros (pequenas moléculas) em polímeros (macromoléculas).

No caso da reação do gif, essa polimerização processa-se em uma velocidade muito rápida. Ao adicionarmos ácido sulfúrico à p-nitroanilina, a reação explosiva forma uma coluna esponjosa de carbono contendo gases como CO2, SO2 e NOx.

 

7. Quando uma bala atinge uma parede de metal

bala

O conceito físico associado à colisão do projétil contra o muro é chamado de “quantidade de movimento” (veja um resumo sobre o tema aqui).

“A quantidade de movimento de um corpo é dada pelo produto da massa do corpo pela sua velocidade. Desta forma, temos uma grandeza vetorial e, portanto, temos direções e sentidos bem definidos. Na colisão que temos no GIF percebemos a fragmentação da cápsula em muitas direções e sentidos e cada porção de matéria da cápsula possui uma nova quantidade de movimento”, explica o professor Francisco.

 

8. Milho virando pipoca

milho

A explicação foi publicada na revista Mundo Estranho:

“Todo grão de milho tem três partes: o embrião, onde fica o material genético, o endocarpo e o pericarpo, compostos principalmente de amido e água. A diferença do milho de pipoca é que ele tem menos água (cerca de 14,5%) do que o milho verde e seu pericarpo tem uma casca quatro vezes mais resistente que a dos milhos que usamos para comer e fazer canjica.

Ao colocar a pipoca na panela ou no micro-ondas, o calor faz com que a água de dentro do grão se transforme em vapor, que tenta sair e empurra a casca do pericarpo. Ao mesmo tempo, o amido, antes sólido, começa a virar uma espécie de gelatina, aumentando de tamanho. Somadas, a pressão do vapor d’água e do amido chegam a 10 kg/cm2, cinco vezes mais que a de um pneu de carro!

A pressão é tanta que a casca estoura! Em contato com o ar, o amido gelatinizado se solidifica e se transforma na espuma branca que comemos. Quando o pericarpo tem rachaduras ou é pouco duro, o vapor d’água escapa, a pipoca não vinga e surge o piruá. Outro motivo para a pipoca não estourar é quando o grão tem água a mais ou a menos na composição.”

 

Compartilhe

O caso do prédio que “frita” carros (ou: Como a física está no seu cotidiano)

Ana Prado | 10/09/2013

Quando o seu professor diz que a física pode estar muito presente no dia a dia, não é invenção. Uma notícia divulgada na semana passada prova isso: um prédio em Londres tem causado problemas devido à sua arquitetura diferente – e, pelo visto, pouco interessada nas leis físicas.

daily3
O prédio “fritador” de Londres. Foto: Getty Images/Daily Mail

É que a torre, ainda em construção, tem paredes espelhadas com uma curvatura que a transformou em um enorme espelho esférico côncavo – e esses espelhos, como aprendemos em física óptica, refletem os raios solares de forma muito concentrada para um ponto (chamado foco). Acontece que essa concentração de luz e calor é tão intensa que é capaz de queimar e derreter o que estiver ali – incluindo asfalto, bicicletas e até automóveis estacionados. Um jornalista conseguiu fritar um ovo no local!

daily2daily1
Fotos mostram carro “derretido” (Getty Images/Daily Mail)

“Não é de se estranhar que tal fenômeno ocorra. O foco do espelho depende de sua curvatura, e, no caso citado, me parece ser o local onde os carros estão estacionados”, explica o professor de física do Cursinho do XI, Francisco Flavio Ribeiro Viana. As fotos do carro derretido comprovam. “Devemos lembrar que a incidência dos raios solares (que são praticamente paralelos) na superfície terrestre contribui, devido à geometria da face do edifício, para o aumento da temperatura dos veículos, e em alguns casos até a deformação e/ou alteração na estrutura de alguns corpos”, continua. Observadores dizem que o fenômeno ocorre principalmente à tarde, quando os raios solares estão menos inclinados em relação ao espelho.

As empresas responsáveis pela construção garantiram que vão indenizar os estragos e que estão estudando uma solução para o problema. Enquanto isso, o estacionamento perto do prédio está interditado.

Resgatando conceitos de física óptica

espelho1

O espelho côncavo tem esse poder de “fritar” coisas por causa do caminho dos raios refletidos por ele:

espelho2

espelho3

Agora, entenda melhor o comportamento dos raios refletidos por espelhos côncavos e convexos de acordo com o ponto em que eles incidem:

espelho4

espelho5
Imagens: Guia do Estudante Vestibular + Enem Física – 2013

>> Teste seus conhecimentos em física óptica neste simulado.

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Sem categoria

Tags: ,

Compartilhe

Palestras na Unesp falam sobre física de um jeito fácil de entender

Ana Prado | 11/07/2013

Para quem gosta de física ou apenas deseja entendê-la melhor, o evento “Física ao Entardecer” do Instituto de Física Teórica da Universidade Estadual Paulista (Unesp), é uma boa sugestão. Realizado desde 1999, o programa tem palestras feitas por professores das principais universidades do Brasil sobre vários temas da ciência, sempre abordados de forma acessível a todo mundo.

Neste segundo semestre, estão previstas palestras de agosto a novembro com temas como buracos negros, energia nuclear, clima e aceleradores de partículas.

As atividades são gratuitas e abertas ao público geral e começam sempre às 19 horas, no auditório do Instituto de Física Teórica da Unesp, que fica na Rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, 271 – Bloco II, Barra Funda, São Paulo.

Veja a programação completa:

15 de agosto – Luz síncrotron, o LNLS, e o Sirius, o novo acelerador de partículas
brasileiro
Prof. Antônio José Roque da Silva
Laboratório Nacional de Luz Síncrotron

19 de setembro – Se o ar quente sobe porque é frio nas montanhas e
quente no litoral?
Prof. Otaviano Helene
Instituto de Física da USP

24 de outubro – Panorama mundial das usinas nucleares
Profa. Emico Okuno
Instituto de Física da USP

21 de novembro – Dimensões extra, buracos negros e supercordas
Prof. Horatiu Nastase
Instituto de Física Teórica da UNESP

 

Mais informações: www.ift.unesp.br

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Sem categoria

Tags: , ,

Compartilhe

Divirta-se estudando com o laboratório virtual da USP

Amanda Previdelli | 16/01/2013

A Universidade de São Paulo tem um projeto bem legal para quem curte exatas: o Laboratório Didático Virtual.

No site, dá para encontrar várias páginas com material didático, uma área de perguntas com respostas de especialistas e até uma seção com notícias científicas (escritas em uma linguagem mais acessível).

O portal, que não tem um design muito convidativo e ainda possui uns links quebrados, ganha pelo conteúdo. Além das áreas já citadas, os alunos podem debater temas em fóruns e assistir à vídeo aulas de física e química. Tudo de graça e em português.

Confira aqui: http://www.labvirt.fe.usp.br/

Compartilhe

10 vídeos para você estudar Física no YouTube

Amanda Previdelli | 28/09/2012

Que tal se divertir estudando uma matéria de Exatas? Pode parecer difícil, mas com alguns vídeos do YouTube dá para você entender melhor até os mais complexos assuntos da Física, com aulas gravadas e postadas no site.

Também há vídeos com experiências divertidas que explicam as teorias físicas (e podem ser reproduzidos em casa), falam sobre a profissão de físico e tem até um vídeo do seriado Big Bang Theory. Confira abaixo:

  1. Faz o quê? – O vídeo é apenas a primeira parte de uma série que conta um pouquinho melhor sobre a profissão de Físico. Ideal para quem já é apaixonado pela matéria e pensa até em fazer faculdade na área.
  2. Sheldon ensina Física a Penny – São 9 minutos de risadas enquanto o personagem excêntrico da série The Big Bang Theory tenta explicar pra aspirante à atriz conceitos básicos e a história da Física.
  3. Dirigindo a velocidade da luz – Já teve curiosidade de saber qual seria a sensação de estar na velocidade da luz? Esse vídeo é uma demonstração incrível do fenômeno.
  4. Energia e Circuitos Elétricos – O YouTube está repleto de professores dando aulas sobre temas específicos da Física. Ótimo para revisar a matéria antes da prova.
  5. Como criar um motor elétrico – Esse é um dos diversos vídeos de experimentos que você pode encontrar (e fazer igual!) no YouTube.
  6. História da Física – Mais ou menos o que o Sheldon estava tentando explicar para a Penny, mas mais completo, o vídeo mostra os grandes nomes da Física de Newton até os físicos quânticos.
  7. Mago da Física – No canal do YouTube onde você pode encontrar esse vídeo há nada menos do que 47 outros que fazem experimentos super divertidos e absurdamente didáticos (o “mago” explica o porquê de cada um dos fenômenos que demonstra).
  8. Dica de Física – Mais um vídeo de professores no YouTube, esse é sobre MRUV, mas no canal da Oficina do Estudante você pode achar outras aulas dos mais diversos temas da Física.
  9. Efeitos de Vácuo – Esse vídeo é bem o que promete: mostra o que acontece com duas bexigas de ar em um ambiente fechado quando você retira o ar ao redor delas. Bem didático.
  10. Large Hadron Rap – A gente deixou um dos melhores para o final. Infelizmente o vídeo está em inglês, mas as legendas (também em inglês) ajudam muito. Sabe o CERN, acelerador de partículas que fica lá na Suíça? O pessoal desse vídeo fez um rap sensacional explicando como ele funciona, como é o que ele pode significar para a Física.

Comentários: 1 pessoa comentou

Categoria: Em casa, Internet

Tags: ,

Compartilhe