Guia do Estudante

Posts da categoria ‘Design de Interiores’

Curso de Design de Ambientes da UEMG dá destaque às práticas projetuais

Malú Damázio | 25/05/2015

(Imagem: Thinkstock)

Pensar na organização espacial de uma sala de escritório para torna-la mais funcional, confortável e bonita é uma das funções do designer de ambientes. Em seu trabalho, esse profissional escolhe – e, muitas vezes, desenha – quais móveis serão usados, de que material serão feitas mesas, cadeiras e armários, quais cores e texturas terão o chão e as paredes, planeja o paisagismo de áreas internas e externas, faz orçamentos e acompanha a compra de tudo que é necessário para o projeto. O curso de Design de Ambientes da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) recebeu cinco estrelas na avaliação do Guia do Estudante. Então, vamos conhecer um pouquinho mais sobre a graduação da estadual mineira, localizada na Escola de Design, em Belo Horizonte (MG).

Não é só em interiores estritamente residenciais ou comerciais que o designer de ambientes trabalha. Seu mercado é muito mais amplo, já que ele pode criar, por exemplo, paisagismo urbano, realizar projetos luminotécnicos, elaborar ambientações de estandes e de locais de design efêmero. Até mesmo o interior de aviões, carros e navios pode ser projetado por um profissional da área! Por isso as práticas projetuais são as principais atividades do curso da UEMG. Nessas disciplinas, o estudante aprende a realizar um projeto completo de design e que seja verdadeiramente aplicável e possível de ser executado. Aluna do quinto período, Bruna Jellinek conta que este semestre uma de suas atividades é elaborar um lar de idosos com clientes reais. “O lar que estamos trabalhando de fato existe e, possivelmente, este projeto será executado. Então, deixa de ser algo fictício e imaginário. Podemos criar de forma livre para desenvolver um projeto de design para pessoas reais, com necessidades e demandas reais”, explica.

>> Saiba mais sobre a carreira de Design de Ambientes

Ao longo das disciplinas, os estudantes também fazem visitas técnicas a fábricas e empresas de design de interiores e de arquitetura para ver como o conhecimento ensinado na sala de aula pode ser aplicado. Na última semana, por exemplo, Bruna e os alunos do quinto período foram até uma marcenaria para ver como funciona a produção e a detalhação de mobiliário. Ela lembra ainda que existem muitas matérias optativas que promovem idas a fábricas e lojas, como Noções Básicas de Arquitetura e Urbanismo. “Já fizemos umas quatro visitas para essa disciplina só esse semestre!”, diz. Os estudantes também aprendem a projetar de acordo com critérios como ergonomia, estudos de mercado, fatores econômicos, metodologia científica e veem no curso até noções de engenharia, como hidráulica e elétrica. “São assuntos que eu não imaginava estudar e temos na grade. Hoje vejo que são super importantes e precisamos ter conhecimento deles para fazer um projeto de qualidade”, relata Luana Miranda, do quinto semestre.

Estrutura do curso

A graduação da UEMG tem duração mínima de oito períodos e são oferecidas 80 vagas ao total, sendo 40 na parte da manhã e outras 40 à tarde. O ingresso na instituição se dá por meio de vestibular próprio e também pelo Enem, através do Sisu. Ao contrário da maioria das faculdades da área, nenhum curso da Escola de Design exige provas de habilidades específicas dos candidatos. As estudantes garantem, porém, que os professores explicam tudo que é necessário para realizar um projeto de Design de Ambientes. “Nos primeiros períodos temos aulas especificas como Representação Técnica e Expressão Gráfica para aprender perspectiva e um pouco de desenho”, lembra Clara Lages, do terceiro ano. A grade curricular ainda prevê que o aluno cumpra obrigatoriamente uma carga de disciplinas optativas e de estágio, além de 212 horas de atividades complementares, como cursos, workshops, palestras e visitas a museus. Então, é bom ficar atento às exigências para se formar!

>> Conheça as melhores faculdades de Design de Interiores

Saber manusear softwares utilizados para projetar, como AutoCAD e SketchUp, é essencial para os estudantes de Design de Ambientes. Mesmo tendo aulas sobre esses programas na faculdade, muitos deles acabam por buscar cursos livres fora da UEMG para aprimorar seus conhecimentos, já que as noções vistas no currículo não são suficientes. Além disso, a instituição também apresenta outros problemas de infraestrutura comuns a universidades públicas. “Os laboratórios de informática são bem equipados, mas ficam abertos apenas em aula e trancados nos demais horários. Já a biblioteca tem um acervo bem vasto, mas tem poucos computadores”, aponta Bruna. E Clara completa: “nada do que estudamos vemos em prática no prédio e isso é uma questão que incomoda alunos e professores”. No entanto, a Escola de Design será transferida, em breve, para um novo edifício em uma região mais central da capital mineira e os estudantes veem na mudança uma possibilidade de melhora das questões estruturais.

Design de Ambientes ou Arquitetura?

Uma dúvida muito comum em quem vai prestar vestibular para a área é saber o que diferencia a atuação do designer de ambientes do trabalho de um arquiteto e urbanista. Apesar de trabalharem em conjunto, há certas atividades que são funções exclusivas do arquiteto, como elaborar e alterar projetos estruturais (externos e internos), hidráulicos e elétricos. Já a formação em Design de Ambientes é centrada no usuário e aborda noções de ergonomia e decoração de forma mais aprofundada. “Temos que conhecer nosso cliente, entende-lo e descobrir quais seus problemas e necessidades no espaço”, explica Luana. Por isso, muitas vezes esses profissionais atuam em parceria para desenvolver um projeto mais completo. “O designer de ambientes não pode derrubar paredes ou abrir vãos. Não sabemos fazer os cálculos precisos nem temos esse direito, então trabalhamos com arquitetos e engenheiros civis. O conhecimento de um complementa o do outro”, finaliza Clara.

Compartilhe

Conheça as melhores faculdades de Design de Interiores

Tati de Assis | 15/05/2015

 

O bacharel em design de interiores é especialista em cores, texturas e tecidos (Morgue File)

O bacharel em design de interiores é especialista em cores, texturas e tecidos (Morgue File)

Organizar visualmente uma sala não é simples como você talvez imagine. É um trabalho análogo ao artista, mas aplicado a lares. O profissional de design de interiores se debruça sobre o modo mais harmônico de organizar ambientes, levando em conta a estética, o conforto e a funcionalidade.

O curso de Design de Interiores tem 4 anos de duração e é semelhante ao bacharelado de Arquitetura e Urbanismo. Há uma grande carga horária de disciplinas práticas. Na parte teórica, há matérias como técnicas de instalação e iluminação. Não há uma regra, mas muitas faculdades exigem estágio e apresentação de trabalho de conclusão de curso.

O mercado de trabalho é bom, porém delicado, e varia segundo o momento econômico do país e o desempenho do setor da construção civil: quando o setor vai bem, mais designers de interiores são procurados. Quando o setor vai mal, as vagas diminuem, porque o número de apartamentos e casas para ser decorados diminui. Há boas faculdades de Desing de Interiores em todo país. Você pode escolher a região que mais te interessa. Abaixo, estão os cursos avaliados como cinco estrelas pelo Guia do Estudante. Dá uma olhadinha, pode te ajudar neste momento. Bons estudos!

Faculdade Estrelas
(BA) Salvador – UFBA ★★★★★
(MG) Belo Horizonte – Uemg*Design de Ambientes ★★★★★
(RJ) Rio de Janeiro – UFRJ ★★★★★
(SP) Campinas – Unicamp*Composição de Interior ★★★★★

Compartilhe

Os melhores cursos de Design de Interiores do Brasil

Amanda Previdelli | 02/09/2013

BMW-Designer-Sketching-lg

Design de Interiores é a arte de planejar e arranjar ambientes de acordo com padrões de estética e funcionalidade. O profissional harmoniza, em determinado espaço, móveis, objetos e acessórios, como cortinas e tapetes, procurando conciliar conforto, praticidade e beleza.

Há poucos cursos de bacharelado no país. Eles têm muitas disciplinas em comum com o curso de Arquitetura e Urbanismo e formam profissionais para atuar, sobretudo, com projetos, além da parte decorativa. Também é grande a ênfase na parte prática, com atividades a mão livre e a utilização de recursos da informática.

Grande parte da carga horária é dedicada ao desenvolvimento de projetos, com aulas de perspectiva e desenho artístico e arquitetônico, assim como de técnicas de instalação e iluminação. As atividades extracurriculares também são frequentes. No final do curso, as escolas costumam exigir do estudante um estágio ou a apresentação de uma monografia

Gostou da área? Confira os melhores cursos:

Faculdade Estrelas
(SP) São Paulo – Belas Artes  ★  ★  ★  ★  ★
(BA) Salvador – UFBA  ★  ★  ★  ★
(GO) Goiânia – UFG  ★  ★  ★  ★
(MG) Belo Horizonte – Fumec  ★  ★  ★
(MG) Belo Horizonte – Uemg  ★  ★  ★
(MG) Uberlândia – UFU  ★  ★  ★
(PE) Recife – FBV  ★  ★  ★
(RJ) Rio de Janeiro – UFRJ  ★  ★  ★

*Dados do Guia do Estudante Profissões Vestibular 2013
*Quer conhecer nossos critérios de avaliação? Clique aqui.

Compartilhe

Os 6 melhores cursos de Design de Interiores do Brasil

Mariana Nadai | 15/08/2011

O profissional de Design de Interiores é responsável por planejar e arranjar ambientes de acordo com padrões de estética e funcionalidade. É ele quem administra todo o projeto de decoração de uma casa ou de um escritório, por exemplo, estabelecendo cronogramas, fixando prazos, definindo orçamentos e coordenando o trabalho de marceneiros, pintores e eletricistas.

Há cursos de bacharelado e tecnológico que formam profissionais para esta carreira. Mas há diferenças entre esses dois tipos de cursos. Enquanto em um bacharelado o estudante terá muitas disciplinas comuns ao curso de Arquitetura e Urbanismo e será formado para atuar, sobretudo, com projetos. Nos cursos tecnológicos, a formação é mais voltada para a decoração.

De qualquer forma, tanto para os bacharéis quanto para os tecnólogos, o mercado está em alta. Isso graças à boa fase econômica do país, que elevou a renda da população e a construção de casas populares, no geral pequenas, que precisam de muito planejamento. O mercado considerado de “luxo” também continua a gerar boas oportunidades para este profissional.

Mas, uma das maiores demandas deste designer vem da área corporativa, em que os profissionais são requisitados para elaborar andares inteiros de escritórios e salas de reuniões.

Confira a lista das melhores escolas de Design de Interiores.

Nome da faculdade Estrelas
Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (Belas Artes) ★★★★★
Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) ★★★★
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) ★★★★
Universidade Federal da Bahia (UFBA) ★★★
Universidade Federal de Goiás (UFG) ★★★
Fundação Mineira de Educação e Cultura (Fumec) ★★★

* Dados do GUIA DO ESTUDANTE Profissões Vestibular 2011

Compartilhe