Guia do Estudante

Geografia

América Latina (política, economia, aspectos geográficos) - resumo, dicas e questão comentada

29/09/2010 17h08

A América Latina compreende mais de 20 países. Todos são ex-colônias de potências europeias de idiomas latinos e falam espanhol, português ou francês. Países colonizados por Holanda e Inglaterra – caso de Guiana, Belize e Suriname – não são considerados latinos. Nos Estados Unidos da América, entretanto, usa-se a expressão “América Latina” para designar todos os países centro e sul-americanos, sem distinção do idioma falado.

Aspectos Físico-Naturais
A maior parte das terras latinoamericanas está na zona intertropical, que condiciona suas vegetações e climas. O relevo da região varia das altas cordilheiras na porção oeste (derivadas de dobramentos modernos) a grandes planícies fluviais (como a do rio Amazonas). De forma geral, a oeste, o relevo é recente e elevado. A leste, é antigo, desgastado e rebaixado.

- saiba mais: jogo da memória dos tipos de vegetação

Aspectos políticos e humanos
Toda a América Latina é marcada pelo subdesenvolvimento, pela industrialização tardia e dependente de capital externo, pelos problemas sociais e políticos e, em certa medida, pela instabilidade política.

A região engloba diversas etnias, principalmente por causa de movimentos demográficos ocorridos durante a época colonial – como a chegada forçada de negros da África Subsaariana e a vinda de europeus na passagem do século 19 para o 20.

Assim, há países com expressiva população descendente de ameríndios (caso de Bolívia e Peru), de africanos (Brasil, Venezuela, Colômbia e países do Caribe) e de europeus (Argentina, Uruguai e Chile). O idioma mais falado na região é o espanhol, seguido pelo português (por conta da grande população brasileira) e pelo francês.

Aspectos econômicos

Considerada economicamente subdesenvolvida, a América Latina caracteriza-se por ser grande exportadora de produtos agrícolas e minerais para os países desenvolvidos. O setor primário, portanto, é muito importante para a economia de seus países e emprega parcela significativa da população regional.

Extrativismo mineral: alguns dos maiores produtores mundiais de determinados minerais são latinoamericanos. Isso ocorre, por exemplo, com o petróleo (com Venezuela, México e, agora, o Brasil, por conta da camada pré-sal), o ferro (Chile e Brasil são primeiro e o segundo maiores produtores mundiais), o manganês (Brasil é o segundo maior produtor mundial), o estanho (Bolívia), a prata (México e Peru) e a platina (Colômbia).

Agropecuária: na América Latina, o setor é marcado por grande concentração de terras, que gera diversos conflitos fundiários – especialmente no México, no Brasil e na Bolívia. Em geral, a agricultura e a pecuária tradicional (culturas extensivas, com técnicas primitivas e sem seleção de plantel) fornecem alimentos para as populações urbanas e rurais. Quando moderna e mecanizada, a produção agropecuária regional está muito vinculada ao capital externo e destina-se, sobretudo, à exportação.

Indústria: Brasil, Argentina e México possuem parques industriais expressivos, com indústria de base e de tecnologias de ponta, mas são exceções. A maior parte dos países latinoamericanos detém apenas indústrias tradicionais têxteis, alimentícias e de beneficiamento de matérias-primas para exportação.

Fique atento
Recentes tensões da região apareceram com destaque nos noticiários nacionais e internacionais. Alguns exemplos são:

- Reativamento da 4ª Frota Naval americana, encarregada de patrulhar o Atlântico Sul e mantê-lo como zona de influência exclusiva norte-americana;

- Aumento de tensões entre Colômbia e Venezuela por conta do ataque colombiano às Farc (Forças Armadas Revolucionarias da Colômbia) no Equador e ao acordo militar que permite aos EUA construir bases militares na Colômbia;

- Modernização do arsenal militar da Venezuela;

- Organismos multinacionais como a Unasul (União de Nações Sul-Americanas) e a Alba (Aliança Bolivariana para as Américas) são tentativas de integrar e unir os países latinoamericanos aliados às ideologias dessas organizações.

- Surgimento do bolivarianismo como ideologia da América Latina – principalmente na Venezuela e na Bolívia – em contraposição ao neoliberalismo.

Como pode cair no vestibular?
Em 2009, houve grandes acontecimentos na América Latina: tensões envolvendo Venezuela e Colômbia, movimento separatista em Santa Cruz, na Bolívia, e crise política em Honduras (com grande destaque internacional para a atuação do Brasil no caso). Vale a pena procurar se informar sobre esses e outros eventos atuais da região.

Como já caiu no vestibular?
(Unesp) “Um dos fatos mais importantes destes anos da década de 70 foi, sem dúvida, uma tragédia: a insurreição militar que em 11 de setembro de 1973 derrubou o governo democrático de Salvador Allende e mergulhou o Chile num banho de sangue.” (Eduardo Galeano. As veias abertas da América Latina.)

Este acontecimento relaciona-se:
a) aos golpes de Estado promovidos pelos militares em países latino-americanos, com apoio dos Estados Unidos, na defesa de seus privilégios econômicos no continente.
b) ao projeto de integração latino-americana promovido pela OEA, que possuía o direito de intervenção nos países onde o governo favorecesse interferências norte-americanas na economia.
c) à política de militarização dos países da América Latina, que visava promover a integração econômica por intermédio da ALALC e impedir a internacionalização socialista de Cuba.
d) à política de direitos humanos dos Estados Unidos, que auxiliava os setores militares latino-americanos a incrementar a indústria nacional e promover reformas sociais nas áreas mais carentes do continente.
e) às ditaduras militares impostas por intermédio de golpes de Estado em países latino-americanos, que visavam impedir a interferência de potências estrangeiras e nacionalizar a economia.

GABARITO:

1. Resposta correta: A

 

Compartilhe