logo-ge

Caiu na Fuvest: Contribuições indígenas para a língua portuguesa

Conheça palavras da Língua Tupi que enriqueceram a língua Portuguesa e a literatura, a cultura e o cotidiano do país, e podem cair nas provas vestibulares

A prova de conhecimentos gerais da Fuvest 2017 trouxe uma pergunta sobre a contribuição dos índios do Brasil para a nossa língua. A resposta para a pergunta 3 na prova V era fácil: mandioca e Ipiranga. Mas acreditamos que muitos estudantes e vestibulandos não conhecem outras palavras que fazem parte de nossa língua e cotidiano.

fuvest-2017-questao-3-prova-v

Baixe aqui a prova completa da primeira fase da Fuvest 2017

Dez mil palavras tupis, puras ou derivadas, fazem parte do português brasileiro. Na toponímia, basta olhar o mapa, ver o nome de montanhas, estados, praias. Dos 645 municípios paulistas, pelo menos 200 têm nomes tupis, por exemplo. Mas a contribuição da língua Tupi é muito mais ampla e as palavras, especialmente os substantivos, contêm seus significados.
O chamado Tupi-Guarani é um tronco línguístico, formado por duas linguas distintas derivadas de outra mais antiga, da qual nada se sabe. É um histórico semelhante ao do francês e o italiano atuais, por exemplo, que são muito diferentes entre si, mas nasceram do latim. Veja agora exemplos da importância desse legado. Se algum deles cair em provas, você pelo menos já viu antes.

PALAVRAS DIVERSAS
Caboclo – var.de caá-boc – o que veio do mato, mestiço de branco com índio.
Catapora – var. de tata-pora, fogo interno, febre. Nome vulgar da varicela.
Cumbuca – var. de combuca, de cuia-mbuca, a cabaça furada, cortada.
Muquiranamby-qui-rama, piolho grande
Peteca – de pé-teca (bater + palma da mão).
Pichaim – de a-pichaim, cabelo crespo.
Tupiniquim – de tupinãkí, galho dos tupis, parentes dos tupis

AEROPORTOS
Congonhas – de congói, alimento que sustenta, nome da erva mate, rica em cafeína. Posteriormente, pode indicar local com abundância da planta.
Guarulhos – variação de guarú, comilão, o que fica barrigudo. Nome de tribo conhecida por ser de indígenas barrigudos

ALIMENTOS
Jerimum – des yurú-m-um, pescoço escuro, variedade de abóbora.
Mingaumingá-ú, comer + visguento, a papa rala de mandioca cozida.
Mandioca – many-oga ou many-oca. Planta de Many, nome associado a personagem de uma lenda indígena.
Moquecamoqué ou po-kêka, feito embrulho, embrulhado. Peixe enrolado em folha e assado.

FRUTAS
Abacaxi – var. Ibá-cachi, fruta cheirosa.
Caju – de acã-yú, pomo amarelo.
Goiaba – var. a-coyaba, ajuntamento de caroços, fruto com muitos caroços.

Photo of brazilian grape tree. This is a traditional fruit of Brazil

A Jabuticabeira frutifica como botões amontoados

Jabuticaba – palavra que poderia ter várias interpretações. A mais viável parece ser yambo-ticada, fruto-botão ou abotoamento de frutos.
Mangaba – de mongaba, o grude, o visco, alusão à seiva da planta desse fruto.
Maracujá – de marahú-yá, fruta da planta marahú.

PLANTAS E MATAS
Caatinga – var. ca’a-timbá  (ca’a, mata, mato), tymbá (claro, branco), mata branca.
Capim caapii~, folha fina, mato de folhas finas.
Cipó – de içá-pó, literalmente galho-mão, galho para subir.
Jacarandá – de y-acã-rantã. O cerne rijo e duro. Referência ao lenho resistente da madeira.
Mandacaru – de mandá-carú. mandá (maço, feixe), carú (espinho) maço de espinhos.
Peroba – de ypê-roba, casca amarga. Madeira amarga que cupim não come, razão de seu uso intensivo em telhados, cercas e portas.

ANIMAIS
Arara – de a’ará, ou a’rará. (ará, papagaio).
Cupim – de copim, copií, formiga-branca.
Jiboia – de gihi-boy, cobra de rás, que se alimenta de rãs
Jabuti – de ya-u-tí, aquele que não bebe, o cágado. Os índios acreditavam que, por viverem na água, os cágados não precisavam bebê-la.
Jacaré – de yá-caré, aquele que é sinuoso, torto. Mas pode ser também var. de y-echá-caré (aquele que te observa de lado).

Jaguar in Pantanal region, Brazil

JaguarYa-guara, aquele que devora, o devorador. A onça pintada ou negra, maior felino das Américas. (Imagem: iStock)

Minhoca –  mí-nhoca – o que se arranca do chão.
Muriçocamerú-soca, mosca pungente, que pica, dá ferroada.
Saúva – de yçáub, o pai das formigas, formiga-mestre; ou contração de yçá-ayba: formiga má (que devora tudo).
Siri – de cirí, o que corre.
Tamanduáta-monduá, caçador de formigas.
Tanajura –  de tã-ayura, formiga grande, cheia de ovos.
Tatuta-tú, casco grosso.
Taturana – de tatá-rana, semelhante a fogo, nome da lagarta que queima a pele.
Tucano – var. de tu-quã, bico exagerado.

ATÉ NO FUTEBOL

Rio de Janeiro, Brazil - December 28, 2013: Aerial Photo of famous Maracana Stadium from helicopter

Maracanãmaracá-nã, o que imita o som do chocalho, nome também de um tipo de papagaio.

Morumbi – pode ter duas origens, de merú+obí, mosca verde, a mosca varejeira; ou marã-mby, lugar de emboscada, lugar de cilada.
Pacaembu – de paca-yembó, córrego das pacas (pequeno curso de água onde as pacas bebem).
Itaquera – de ita-cuéra, pedras. Ita, pedra, cuéra é sufixo do Tupi para indicar plural. O plural de pedra pode indicar área rochosa e penhascos.

NOMES PRÓPRIOS
JaciYa-cy, a mãe dos frutos, a lua.
Jandira – de yandí-eíra, abelha de mel.
Moacir – de mô-acyr, o que faz doer, o doloroso (pessoa nascida de parto difícil).

 

Fontes:

dicionario-de-tupi-de-goncalves-dias

Dicionário da Língua Tupi, de Gonçalves Dias, 1858.
O Tupi na Geografia Nacional, de Teodoro Sampaio, Cia Editora Nacional, 1901.
Dicionário Histórico das Palavras Portuguesas de Origem Tupi, Antônio Geraldo da Cunha, Melhoramentos, 1989.