logo-ge

Resumo – História: Revolução Russa

Veja resumo e questão respondida

Antecedentes

O Império Russo passava por uma grande crise no início do século XX: 

– o imenso território era governado por um imperador absolutista (o czar) a partir de São Petersburgo. O ultimo czar foi Nicolau II (1894-1917)

– a economia russa era basicamente agrícola e a propriedade da terra estava concentrada nas mãos da nobreza russa e do clero, submetidos ao czar. Eram somente essas classes sociais que possuíam direitos na Rússia

– 80% da população eram formados por camponeses vivendo em condições miseráveis

– em torno de 40% da população eram de outra nacionalidade (não russa) e vivia em condições piores que a dos russos

– no final do século XIX a Rússia passou por um processo de industrialização dependente do capital estrangeiro (inglês e francês). Nas cidades industriais as condições de vida dos trabalhadores eram, muitas vezes, piores que a dos camponeses

A derrota russa na Guerra Russo-Japonesa (1904) aumentou o endividamento do Estado. Várias revoltas populares estouraram e foram duramente massacradas. Dentre elas, o episódio mais conhecido foi o “Domingo Sangrento” (1905): centenas de trabalhadores pretendiam levar ao czar um abaixo-assinado reivindicando melhores condições de vida e reforma política. Apesar desse movimento ter sido pacifico, os trabalhadores foram recebidos a tiros e mais de mil pessoas foram mortas.

Ao mesmo tempo intelectuais, profissionais liberais e capitalistas também passaram a criticar o czarismo. O czar Nicolau II tentou amenizar a situação prometendo a convocação da Assembléia Nacional (Duma). Várias Dumas foram convocadas e fechadas, o que aumentou ainda mais as criticas ao czar.

Os partidos políticos eram proibidos, mas vários existiam na clandestinidade, sendo alguns deles inspirados pelos ideais marxistas e outros pelo modelo liberal europeu. Muitos dos líderes desses partidos tinham sido exilados, mas continuavam atuando, a partir do exterior, para derrubar o czarismo.

Quanto mais a insatisfação das massas populares aumentava, mais esses partidos ganhavam força. Os bolcheviques (“maioria”) do Partido Operário Social-Democrático Russo (marxista) foi o grupo que mais conseguiu destaque nesse cenário de crise. Além disso, em diversas regiões, os próprios trabalhadores passaram a se organizar em conselhos, chamados de sovietes.

Revolução Branca e Revolução Vermelha

A entrada do Império Russo na I Guerra Mundial levou a uma grave crise socioeconômica. Em fevereiro de 1917 o czar abdicou, pondo fim ao czarismo. Em seu lugar assumiu um Governo Provisório, inspirado no modelo liberal europeu (Revolução Branca). Mas esse novo governo não atendeu a principal reivindicação popular: a retirada da Rússia da guerra.

Poucas semanas depois, Lênin (líder dos bolcheviques) chegou do exílio à Rússia, e iniciou uma campanha a favor da saída da Rússia da guerra e da reforma agrária, defendendo uma aliança do partido aos sovietes. Os slogans de seus discursos eram: “Paz, pão e terra” e “Todo poder aos sovietes!”.

Em São Petersburgo, Leon Trotsky (líder do soviete local) passou a organizar a Guarda Vermelha em apoio à revolução que Lênin propunha.

Em outubro de 1917 a Guarda Vermelha, com apoio de operários, camponeses e soldados, depôs o Governo Provisório, aclamando Lênin como líder do primeiro Estado socialista da História (Revolução Vermelha ou Bolchevique)

Rússia Bolchevique

As primeiras medidas de Lênin, apesar de serem coerentes as suas propostas de campanha, não agradaram:

– ao retirar a Rússia da I Guerra, Lênin aceitou pagar indenização e ceder territórios à Tríplice Aliança;

– ao confiscar bens da antiga elite russa, o novo Estado bolchevique gerou uma grande saída de capitais do país.

A miséria da população aumentou e uma Guerra Civil se iniciou em 1918. De um lado estava o Exército Vermelho (antiga Guarda Vermelha e força militar dos bolcheviques) e de outro o Exército Branco (antiga elite e descontentes com o novo governo, que tinham apoio internacional).

No meio dessa guerra, várias minorias étnicas aproveitaram da extrema crise para se rebelarem em busca de autonomia política.

Os bolcheviques foram implacáveis: implantaram uma política econômica chamada de “comunismo de guerra”, e assim confiscaram tudo que era produzido pela população para sustentar a Guerra Civil. A polícia política perseguia todos os que fossem considerados “anti-revolucionários”, ou seja, os inimigos dos bolcheviques. Em 1920 o Exército Vermelho venceu a Guerra Civil e o Estado Bolchevique foi implantado na Rússia.

Em 1921, Lênin buscou reorganizar a economia russa, implantando a NEP (em português: Nova Política Econômica), dando algumas liberdades econômicas à população, mas sempre com a orientação do Estado.

No ano seguinte os bolcheviques fundaram o Partido Comunista Russo e a cidade de Moscou se tornou oficialmente a capital de um novo país: União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Apesar do nome, esse enorme país nada tinha de “união”, na realidade significou a expansão russa e bolchevique sobre os países vizinhos.

Mas foi no governo de Stálin, sucessor de Lênin, que a URSS se tornou uma grande potência mundial. Uma ditadura totalitária foi imposta, a partir de uma economia controlada pelo Estado e de uma política de extremo controle sobre a população (ver Segunda Guerra Mundial e Guerra Fria).

FIQUE ATENTO:

A derrubada da monarquia na Rússia aconteceu em fevereiro de 1917 e com ela proclamou-se uma República liberal, cujo governo provisório ficou nas mãos de Kerensky. Porém, como este não retirou o país da I Guerra Mundial, o caos econômico persistiu no país e a insatisfação popular permitiu que Lênin e os bolcheviques derrubassem o governo provisório e iniciassem a revolução socialista em outubro de 1917 (segundo o calendário russo, pois segundo o calendário universal, já se estava no mês de novembro). Ao consolidar os poder os bolcheviques abandonaram esta denominação, fundando o Partido Comunista Russo ( o único permitido por lei) e passando a se chamar de comunistas.

 

Questões comentadas:

(PUC-SP 01) Leia o trecho a seguir:

“O povo estava farto da guerra e havia perdido toda a confiança no czar. (…) O próprio czar fora para o Quartel General para proteger-se; e quando tentou voltar para Petrogrado os trabalhadores ferroviários detiveram seu trem. Todo o mecanismo da monarquia havia parado; o czar (…) havia tentado dissolver a Quarta Duma, tal como as anteriores, mas desta vez os parlamentares se recusaram a se dispersar, e formaram um Comitê Provisório, que nomeou o Governo Provisório”. (Edmund Wilson, Rumo à Estação Finlândia. SP, Cia. Das Letras, 1987).

Sobre as circunstâncias em que se desenvolveram os fatos descritos acima, é correto afirmar que:

a) a derrubada da monarquia, em março de 1917, na Rússia, foi conduzida pelos bolcheviques – parlamentares que controlavam o poder da Duma, durante todo o Governo Provisório.

b) A precipitação do processo revolucionário foi produzida pela manutenção desse país na Primeira Guerra Mundial, a que resultou em 4 milhões de baixas, aproximadamente.

c) Os sovietes – comitês locais de trabalhadores – funcionaram, desde sua criação em 1906, sob liderança dos bolcheviques, que buscavam espaço no governo czarista.

d) As movimentações sociais que resultaram na queda da monarquia russa, em 1905, tornaram-se conhecidas como “Ensaio Geral”, já que funcionaram como antecâmara da revolução socialista.

e) O deputado Kerensky representou, no governo provisório, em 1917, as posições mencheviques que, com a palavra de ordem “Todo poder aos sovietes”, reivindicavam maior participação popular.

O texto que abre essa questão apresenta, já no inicio, a resposta verdadeira: “O povo estava farto da guerra e havia perdido toda a confiança no czar.” Todas as outras respostas contêm equívocos. A derrubada da monarquia não foi conduzida pelos bolcheviques, nem eles lideraram sempre os sovietes. As manifestações de 1905 nem se aproximaram do que aconteceu em 1917. As palavras de ordem mencionadas não são de Kerensky, mas de Lênin.

(VUNESP) Imediatamente após a sua ascensão ao poder, Lênin disse:

“Este governo declara solenemente sua disposição de concluir imediatamente a paz (…) igualmente justa para todas as nações e nacionalidades, sem exceção”.

Em março de 1918, foi assinado o armistício de Brest-Litovisk e os soviéticos saíram da I Guerra Mundial.

a) Justifique por que a assinatura do armistício de Brest-Litovisk foi um ato coerente com a política externa do governo bolchevista.
b) Por que a Alemanha tinha interesse em concluir a paz com os soviéticos?

a) Porque a proposta política dos bolcheviques era a retirada imediata da Rússia da guerra.
b) Porque assim o Estado Alemão poderia concentrar suas tropas na frente ocidental da guerra, ou seja, no território francês.