logo-ge

Veja as dicas de quem passou estudando com cursinho online

Muita gente tem passado a usar a rede como canal principal para estudar; veja as histórias de quem passou em cursos concorridos usando a ferramenta

(elenabs/iStock)

Aposto que você sempre usa a internet pra estudar um pouquinho. Mesmo que ficar conectado possa ser um mar de tentações para quem precisa se concentrar, que atire a primeira pedra quem nunca jogou aquela equação impossível no Google, na esperança de que algum outro infeliz estudante já tenha feito a mesma pergunta que anda te consumindo.

Enquanto o uso da internet cresceu 3% entre 2014 para 2015 (7% se considerarmos apenas as classes D e E), de acordo com a pesquisa TIC Domicílios, muita gente tem passado a usar a rede como canal principal para se preparar para o vestibular, em vez apenas como um auxiliar na hora de tirar as dúvidas mais urgentes. E se você acha que estudar com a sedução da nova guia te espreitando é impossível, a gente tem alguns aprovados que podem te provar o contrário. 

Alternativa

A estudante Thamiris Ferreira (Thamiris Ferreira/Arquivo pessoal)

Os cursinhos online aparecem como uma alternativa de economia, não só de dinheiro como de tempo. “Enquanto eu estava no colégio, percebi que aquele modelo de estudo não era pra mim”, lembra Louise Moreira, aprovada em Medicina na Universidade Federal de Alagoas (Ufal),e estudou com o cursinho online Descomplica. “Eu chegava em casa e perdia muito tempo no deslocamento pela cidade”. Thamiris Ferreira, que vai fazer Medicina na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e também foi aluna do Descomplica, conta que aproveitava esse tempo extra ganhado ao estudar em casa não só para assistir mais algumas aulas, mas também para ler e colocar o sono em dia. Fernanda Dutra Rodrigues, que fará Processos Gerenciais na Universidade Federal Fluminense (UFF), concorda que a otimização do tempo foi o maior benefício de se estudar online. “Eu foquei nas questões que tinha mais dúvidas. Se estivesse fazendo um curso presencial, teria que assistir aulas de conteúdos que já dominava”, ela explica.

Se você não pode tirar o ano exclusivamente para estudar, um cursinho online te abre a possibilidade de encaixar os estudos na sua rotina. Sidronio Lima da Silva Neto frequentou o colegial na Casa Familiar Rural de Cândido Abreu – PR, unindo o curso normal do ensino médio com o técnico em Agropecuária. Além disso, ele também ajudava os pais no sítio em que eles moram. “Eu resolvi fazer o curso online por causa do curto tempo que eu tinha para estudar”. Ele estudou com as aulas da Geekie Games e foi aprovado em Agronomia na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) e na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). “Não fiquei apenas assistindo às aulas do curso. Eu sempre acompanhava o livro didático da escola e o colégio também ajudou muito, principalmente com a redação”.

Veja também

A estudante Nathália Oliveira (Nathália Oliveira/Arquivo pessoal)

Flexibilidade

A flexibilidade é uma vantagem e tanto sobre estudar online, mas atenção: flexibilidade não significa falta de rotina. “Estudar em casa traz a comodidade de não precisar sair, de escolher qual sequência de matérias seguir. Sempre que eu percebia a necessidade, voltava em algum assunto, fazia modificações e ajustava os horários”, conta Nathália Leonardo de Oliveira, ingressante na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) do curso de Química, que também se preparou com a Geekie Games. “Mas exige muita disciplina”. Louise conta que não determinou um horário fixo para seus estudo, mas organizava seu calendário com base no cronograma de vídeo-aulas e, nos intervalos, encaixava exercícios e revisões, de acordo com a dificuldade e a urgência. “A organização é essencial para não esquecer de fazer nada, nem deixar nenhuma matéria de lado”, ela arremata.

E não é só porque você vai estar estudando em casa que você não precisa de momentos certos para cada atividade, ok? Principalmente o descanso. Pode ser fácil acabar deixando-o de lado na sede de conquistar a sua vaga, mas se você não tirar um tempinho pra si mesmo pode acabar uma vítima do esgotamento mental. “A folga semanal era fundamental”, lembra Lucas Rodrigues Abreu, aprovado em Medicina na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). “Eu desligava a cabeça dos estudos e me recompensava por todo o esforço”. Thamiris acrescenta: “Esse tempo de descanso foi essencial para eu não ter vontade de desistir e jogar o foco fora”.

Quer mais uma dica primordial pra ser bem sucedido? Se cerque de pessoas queridas. “Foi essencial ter do meu lado pessoas que acreditaram no meu sonho e sabiam porque eu estava me esforçando tanto”, Lucas diz, citando seus pais e sua namorada. E agradeça se elas não hesitarem em puxar a sua orelha se for necessário. “Foi a minha irmã quem mais me ajudou; ela pegava no meu pé sempre”, explica Sidronio. “Ela não morava mais comigo, já estava na faculdade. Mas ficava me ligando pra me mandar estudar. Foi ela quem me ensinou a ser mais disciplinado”.

(Odhara Rodrigues/Guia do Estudante)