logo-ge

Prazo de seleção para lista de espera do Fies é prorrogado

Candidatos devem consultar a página do Fies Seleção para verificar se foram selecionados

O prazo de pré-seleção para a lista de espera do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) 1°/2017 foi prorrogado até o dia 17 de março. Originalmente, o prazo terminaria nesta sexta-feira (3). Os candidatos devem consultar a página do Fies Seleção para verificar se foram selecionados na lista de espera.

Após a pré-seleção, os estudantes deverão completar a inscrição no SisFies, em um prazo de até cinco dias úteis a contar da divulgação do resultado. Depois de concluir o procedimento no sistema, o candidato deverá validar as informações prestadas na inscrição na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de educação superior em até 10 dias.

Em seguida, o estudante e, se for o caso, seus fiadores deverão comparecer a um agente financeiro do Fies em mais 10 dias, contados a partir do terceiro dia útil imediatamente subsequente à data da validação pela CPSA, para formalizar a contratação do financiamento. No ato da inscrição no SisFies, o estudante escolhe a instituição bancária, assim como a agência de sua preferência, sendo o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal os atuais agentes financeiros do programa.

Como funciona

O Fies oferece financiamento de cursos superiores em instituições privadas a uma taxa de juros de 6,5% ao ano. O estudante paga o curso somente após a formatura, com 18 meses de carência e com prazo de até três vezes o tempo do curso para quitar o financiamento.

Ao longo dos anos letivos (e dos 18 meses), o estudante deve pagar, de três em três meses, os juros do financiamento, que não ultrapassam o valor de R$ 150.

Mudanças

O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou que o Fies terá um novo teto de financiamento para os novos contratos. O programa financiará, no máximo, até R$ 5 mil por mensalidade, não ultrapassando R$ 30 mil por semestre letivo.

O novo teto não afeta os contratos já vigentes, sendo aplicável somente aos novos contratantes. Segundo o ministro, até esta nova medida o máximo valor financiável era de R$ 7 mil por mensalidade, com no máximo R$ 42 mil a cada semestre.