Guia do Estudante

Consulte o Orientador

Fisioterapia é uma profissão que tem futuro?

Vou começar a faculdade de Fisioterapia, mas conheci algumas pessoas que não conseguem arrumar emprego na área e fiquei com medo. Vou mesmo assim ou escolho outra profissão?

enviado por Lais

A Fisioterapia pode ser enquadrada no grupo de profissões que obteve crescente reconhecimento social desde a década de 90 do século passado, com o aumento da preocupação social com a qualidade da saúde e de vida em geral. Os meios de comunicação a partir de então deram maior visibilidade a esta profissão, por meio da divulgação do trabalho feito junto a esportistas, por exemplo.

Outro elemento que aumentou a procura pela área foi a imagem de relativa proximidade com a medicina; a imagem de um profissional que pode trabalhar com cuidados dirigidos à saúde, em hospitais, que usa vestimentas similares, bem como a menor disputa por vagas no vestibular atraiu muitos jovens para a área, mesmo que de forma parcialmente equivocada

Isso fez com que o número de vagas em cursos universitário fosse ampliado, o que trouxe consequências em relação a uma maior competitividade no mercado. Como ocorre com todas as profissões, aumentaram também as exigências quanto à melhor qualificação, tanto no sentido de busca de cursos de graduação de melhor qualidade como na procura de especializações constantes em cursos livres e de pós-graduação. Nesse sentido, o empenho quanto ao desenvolvimento pessoal e profissional também cresceu, produzindo efeitos positivos para quem necessita dos serviços deste profissional.

LEIA MAIS
- Fisioterapia é uma boa ideia?
- Fisioterapia é uma profissão que dá dinheiro?
O curso aborda disciplinas ligadas à biologia do corpo humano, como a dinâmica fisiológica, anatomia, efeitos de doenças, estrutura muscular, além de matérias ligadas às estratégias de contato com os outros e técnicas de intervenção sobre as estruturas corporais. A profissão volta-se para a recuperação de pacientes com dificuldades de movimento causadas por acidentes, má-formação genética, problemas de postura, acidentes cerebrais vasculares, etc.

Quanto aos salários praticados, consulte as indicações presentes na seção “profissões e universidades” deste site e entreviste profissionais da área que trabalham em hospitais e em consultórios particulares. Você construirá um panorama sobre o tema além de entrar em contato com outros elementos que podem ainda mais qualificar as informações sobre esta profissão. Segundo a pesquisa datafolha, em julho de 2013 o salário médio para esta ocupação na região metropolitana de São Paulo foi de R$ 3.167,30. Para informações mais específicas quanto a remuneração por região do país e por especialidade do profissional consulte este site.

Compartilhe