logo-ge

Ciência e Tecnologia de Alimentos

Este bacharel estuda as características físicas, químicas e nutricionais dos alimentos

Este bacharel estuda as características físicas, químicas e nutricionais dos alimentos. É preparado para acompanhar toda a sequência de produção – do campo ao beneficiamento, da indústria aos pontos finais de comercialização. Ele entende do plantio ou da criação, da colheita e das técnicas de conservação pós-colheita, pós-ordenha ou pós-abate. Define e monitora a estocagem, o beneficiamento ou processamento, o transporte e a distribuição até os pontos de venda, garantindo a qualidade e integridade do produto. Na área de laticínios, acompanha a industrialização do leite, de manteiga, queijos e iogurtes. Dedica-se ao desenvolvimento de embalagens que elevem a vida útil do alimento ou faz análises físico-químicas em alimentos in natura ou industrializados. É possível ingressar na carreira com um curso superior de tecnologia.

Dúvida do vestibulando

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS E ENGENHARIA DE ALIMENTOS?

O profissional de Ciência e Tecnologia de Alimentos preocupa-se, essencialmente, com a qualidade e o teor nutricional dos alimentos. Já o engenheiro de alimentos é responsável por garantir essa integridade e qualidade na indústria, da seleção de matérias-primas e definição dos processos de produção às condições de armazenamento e distribuição.

O que você pode fazer

Conservação Desenvolver embalagens e métodos de processamento que garantam maior vida útil aos alimentos.

Consultoria Prestar consultoria nas áreas de alimentos e nutrição, com relação a diversos aspectos da produção, como capacitação de pessoal, qualificação de fornecedores, análise de processos, auditorias, marketing ou adequação às normas e legislação vigentes no mercado.

Controle de qualidade Desenvolver métodos de controle de qualidade alimentar segundo aspectos higiênico-sanitários, físico-químicos e nutricionais, da matéria-prima ao produto final.

Desenvolvimento de produto Criar produtos e melhorar os já existentes, de acordo com a demanda, as necessidades e as exigências dos consumidores.

Educação Acompanhar programas de educação para o consumo de alimentos em empresas, órgãos públicos ou ONGs.

Gestão Gerenciar sistemas de produção e logística de fábricas do setor alimentício.

Pesquisa Pesquisar e desenvolver novos produtos alimentícios, de origem vegetal ou animal.

Produção Controlar o processo de fabricação de alimentos e laticínios, definindo matéria-prima e equipamentos a ser usados, visando ao produto final esperado.

Mercado de Trabalho

Segundo o ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o aumento da renda do brasileiro nos últimos anos elevou o consumo de alimentos em geral, principalmente dos industrializados, e o mercado nacional ainda tem potencial de crescimento. O consumidor preocupa-se não apenas com a praticidade e o sabor dos alimentos, mas também com a qualidade sanitária de sua produção, seu valor nutricional, sua segurança (como os teores de sódio) e, também, com aspectos de sustentabilidade no sistema de produção – o Brasil, por sinal, é o quarto maior mercado global de alimentos saudáveis. Grandes indústrias alimentícias, como Unilever e Kraft Foods, constituem o grande empregador, principalmente para quem se dedica ao desenvolvimento de produtos e ao controle de qualidade. O bacharel também é requisitado por empresas de pequeno e médio porte que precisam se adequar à legislação – nesse caso, atua prestando consultoria. Os graduados encontram oportunidades, ainda, em órgãos governamentais, na definição de políticas e normas, ou na fiscalização dos produtores.

Curso

O primeiro ano do bacharelado traz matemática, química, português, biologia e estatística. Nos anos seguintes, vêm as disciplinas específicas, como química dos alimentos, nutrição, logística e produção e conservação de laticínios. O aluno também estuda análise de açúcares e adoçantes, bebidas, gorduras e tratamento de resíduos industriais. O currículo prevê, ainda, práticas em laboratório. Estágio e trabalho de conclusão do curso são obrigatórios.
Atenção: a UFV, em Viçosa (MG), e o IF Sudeste MG, em Rio Pomba (MG), oferecem curso específico em laticínios.

Duração média: 4 anos

Outros nomes: Ciên. dos Alim.; Ciên. e Inovação em Alim.; Ciên. e Tecnol. de Laticínios; Ciên. e Tecnol. em Laticínios.

 

OS MELHORES CURSOS

★★★★★
MG Ouro Preto Ufop. Viçosa UFV Ciên. e Tecnol. de Laticínios. SP Piracicaba USP Ciên. dos Alim.

★★★★
MG Rio Paranaíba UFV. Rio Pomba IF Sudeste MG Ciên. e Tecnol. em Laticínios; Ciência e Tecnologia de Alimentos. SC Florianópolis UFSC.

★★★
MT Cuiabá UFMT. RJ Bom Jesus do Itabapoana IFFluminense. RS Itaqui Unipampa.