Guia do Estudante

CINEMA E AUDIOVISUAL/PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

Bacharelado / Tecnológico

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É a elaboração e a produção de audiovisuais artísticos, documentais, publicitários, institucionais ou jornalísticos para a veiculação em diversas mídias, como cinema, internet, tv aberta e a cabo e circuitos fechados de programação. Esse profissional participa de todo o processo de criação de vídeos e filmes, o que inclui roteiro, cenografia, fotografia, iluminação, figurino, animação, edição, direção, sonorização e finalização. Na área de audiovisual, elabora a programação jornalística, esportiva e de variedades, edita e dirige os programas e supervisiona a equipe de gravação e o trabalho dos produtores. Como conhece a legislação do setor, também faz a captação de recursos para novas produções. Pode trabalhar em produtoras de filmes, emissoras de rádio e de TV, agências de publicidade, empresas que desenvolvem sites e conteúdos para celular, empresas do setor público e ONGs. Outro campo de atuação para esse profissional são cinematecas, museus de imagem e som e centros de documentação privados e estatais, recolhendo matérias que preservam a história dos filmes ou dos locais de exibição.
 

 

DÚVIDA DO VESTIBULANDO

Qual a diferença entre Cinema, Audiovisual e Multimídia?

Enquanto Cinema e Audiovisual tem disciplinas sobre a linguagem audiovisual focada nos meios de comunicação, Multimídia volta-se para os diferentes formatos de comunicação, como áudios, vídeos e DVDs. Os cursos com foco em Audiovisual preparam o aluno para produzir filmes, vídeos, programas de TV, de rádio, propagandas e sites. Já os de Cinema têm as atividades direcionadas principalmente para a produção de vídeos: como escrever roteiros, escolher o elenco e organizar o cenário. E os bacharéis em Multimídia se encarregam da parte mais técnica da comunicação, manutenção e supervisão de mídias eletrônicas e digitais.

Mercado de Trabalho

A retomada do cinema nacional aquece o mercado para bacharéis e tecnólogos. Mas há outros caminhos. "A lei que exige cota mínima de programas nacionais nos canais por assinatura incentiva a expansão da produção de programas dos mais variados gêneros", afirma Leonel Azevedo de Aguiar, coordenador do curso de Comunicação Social da PUC-Rio. No entanto, a grande novidade, segundo o coordenador, é a internet, com destaque para a criação de filmes para a web TV e a produção de vídeos corporativos para os portais das empresas. "Muitas companhias já mantêm as chamadas universidades corporativas, um departamento voltado para a produção de vídeos publicitários, institucionais e, sobretudo, de treinamento e aperfeiçoamento dos funcionários", ressalta Aguiar. Ainda é possível atuar em empresas que elaboram conteúdo para mídia indoor, como as TVs instaladas em ônibus, trens de metrô, salas de espera e elevadores de prédios comerciais. As melhores oportunidades concentram-se no Rio de Janeiro e em São Paulo. Mas os mecanismos de fomento ao cinema devem aquecer o mercado em outras regiões, como Minas Gerais, Brasília, Bahia, Pernambuco e capitais do sul do país.

Salário inicial: R$ 1.279,49 semanais para primeiro assistente de direção em longa, média e curta-metragem (Sindicatos dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de SP, PR, SC, RS, MT, MS, GO, TO e DF). 

As melhores escolas

5 estrelas

DF Brasília UnB Comun. Soc. (audiovisual), SP São Paulo USP Audiovisual;

4 estrelas

RS São Leopoldo Unisinos Realiz. Audiovisual, SP São Carlos UFSCar Imagem e Som, São Paulo Faap Comun. Soc. (cin.);

3 estrelas

CE Fortaleza Unifor-CE Audiovisual e Novas Mídias, GO Goiânia UEG Comun. Soc. (audiovisual), PE Olinda Aeso Cin. de Anim., PR Pinhais FAP-Curitiba Cin. e Vídeo, RJ Niterói UFF, Rio de Janeiro PUC-Rio Comun. Soc. (cin.),RS Santa Cruz do Sul Unisc Comun. Soc. (prod. em mídia audiovisual), SC Florianópolis UFSC Cin, SP Campinas Unicamp Comun. Soc. (midialogia), São Paulo Senac-SP Audiovisual;

Curso

No bacharelado, o aluno estuda todas as etapas que fazem parte de uma produção audiovisual. Assim, ele tem aulas de direção, documentação, redação do roteiro, linguagem cinematográfica, montagem do filme, fotografa e som. Disciplinas específicas, como teoria cinematográfica e história do cinema, alternam-se no currículo com técnicas de gerenciamento e produção. A maior parte do tempo é dedicada a aulas práticas em laboratórios de fotografa, montagem e sonorização. O estágio, bem como o trabalho de conclusão de curso, é obrigatório. Em algumas escolas, Cinema e Audiovisual é um curso de Comunicação Social, por isso, além das disciplinas específicas, o aluno estuda comunicação, cultura e sociedade e teoria da comunicação. Atenção: algumas instituições têm foco em mídias digitais (Iesb-DF), novas mídias (Unifor-CE) e cinema de animação (UFPel, UFMG e Aeso-PE). Neste caso, o aluno aprende técnicas de animação 2D e 3D e stop motion, entre outras matérias específicas. Na Unicamp, o curso de Midialogia se propõe a trabalhar com cada um dos meios audiovisuais (como fotografia, rádio, cinema, televisão e internet/multimídia).

Duração média: quatro anos.

Outros nomes: Artes (cin. e audiovisual); Artes e Design (cin. e audiovisual); Audiovisual; Cin.; Comun. soc. (audiovisual); Comun. soc. (cin.); Comun. soc. (midialogia); Comun. soc. (prod. em mídia audiovisual); Humanidades (cin. e audiovisual); imagem e som; realiz. Audiovisual.


A UFF, que já oferece bacharelado em Cinema e Audiovisual, passou a ofertar, em 2012, a única licenciatura na área, que forma o professor que dá aulas em cursos livres e elabora projetos pedagógicos audiovisuais para escolas, museus e centros culturais. O curso tecnológico, que dá forte ênfase às atividades práticas, prepara o profissional para uma atuação mais técnica, como viabilizar a locação e os equipamentos que serão usados nas filmagens, montar as imagens e captar e editar o som. Nos três primeiros semestres, estudam-se roteiro, imagem, áudio, produção e montagem. Entre as disciplinas teóricas figuram história do cinema e da arte, estética e análise de filmes. O estágio não é obrigatório, e em boa parte das escolas há os laboratórios de realização, nos quais são executados projetos em equipe para a produção de curtas-metragens. Na maioria das faculdades, o trabalho de conclusão é um filme.

Duração média: dois anos e meio.

O que você pode fazer

Animação

Criar imagens usando elementos diversos, como desenho, fotografa, massa de modelar, papel e computação gráfica.

Captação de som

Escolher os equipamentos e microfones e tratar acusticamente a locação.

Direção

Dirigir e coordenar a execução de um filme (ou, como assistente, ajudar o diretor), desde a aprovação do roteiro e a escolha do elenco até o planejamento da produção, a definição da iluminação, dos figurinos e a edição das cenas.

Direção de arte

Definir os aspectos visuais de um filme, escolhendo com o diretor as cores, os espaços e os ambientes das cenas. Coordenar o trabalho de cenógrafos, figurinistas, maquiadores e atores, para garantir uniformidade às cenas.

Edição de som

Criar, mixar e editar trilhas sonoras e sons de filmes ou vídeos.

Fotografia

Planejar a iluminação das cenas que serão filmadas, a fim de transmitir as ideias, as emoções e o clima definidos no roteiro e pelo diretor.

Montagem

Selecionar e juntar as cenas rodadas para ordenar a narrativa e dar unidade artística ao filme ou ao vídeo.

Produção

Planejar, organizar e executar as ações indispensáveis para a filmagem, da captação de dinheiro à contratação de diretores, atores, técnicos e pessoal de apoio.

Roteiro

Adaptar ou escrever histórias originais para a filmagem.

Sonorização

Gravar, mixar e editar a trilha sonora do filme, como ruídos e música.

Técnica

Operar os equipamentos usados na filmagem, gravação de imagens e sons, iluminação, edição e fotografia.

Compartilhe