Guia do Estudante

CINEMA E AUDIOVISUAL

Bacharelado / Tecnológico

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É a elaboração e a produção de audiovisuais artísticos, documentais, publicitários, institucionais ou jornalísticos para a veiculação em diversas mídias, como cinema, internet, tv aberta e a cabo e circuitos fechados de programação. Esse profissional participa de todo o processo de criação de vídeos e filmes, o que inclui roteiro, cenografia, fotografia, iluminação, figurino, animação, edição, direção, sonorização e finalização. Na área de audiovisual, elabora a programação jornalística, esportiva e de variedades, edita e dirige os programas e supervisiona a equipe de gravação e o trabalho dos produtores. Como conhece a legislação do setor, também faz a captação de recursos para novas produções. Pode trabalhar em produtoras de filmes, emissoras de rádio e de TV, agências de publicidade, empresas que desenvolvem sites e conteúdos para celular, empresas do setor público e ONGs. Outro campo de atuação para esse profissional são cinematecas, museus de imagem e som e centros de documentação privados e estatais, recolhendo matérias que preservam a história dos filmes ou dos locais de exibição.
 

 

DÚVIDA DO VESTIBULANDO

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CINEMA E AUDIOVISUAL E MULTIMÍDIA?

Enquanto Cinema e Audiovisual têm disciplinas sobre a linguagem audiovisual focada nos meios de comunicação, Multimídia volta-se para outros diferentes formatos de meios de comunicação, como áudios, vídeos e DVDs. Os cursos com foco em Audiovisual preparam o aluno para produzir filmes, vídeos, programas de TV ou de rádio, propagandas e sites. Já os de Cinema têm as atividades direcionadas principalmente para a produção de vídeos: como escrever roteiros, escolher o elenco e organizar o cenário. Os bacharéis em Multimídia se encarregam da parte mais técnica da comunicação, manutenção e supervisão de mídias eletrônicas e digitais.

Mercado de Trabalho

A profissão vem se valorizando nos últimos anos - primeiro, pela retomada do crescimento pela valorização do cinema nacional e, segundo, pela obrigatoriedade imposta por lei às emissoras de TV por assinatura de apresentar uma cota mínima de programas produzidos no Brasil. Os tradicionais empregadores do bacharel e do tecnólogo são as produtoras de filmes, emissoras de rádio e de TV e agências de publicidade. Mas o avanço da internet e da telefonia móvel abre novas frentes de trabalho em empresas que desenvolvem sites e conteúdos para celular. Novo campo se abre, também, na educação a distância, tanto em faculdades e universidades quanto nas empresas, nas chamadas universidades corporativas, que ministram treinamento aos funcionários. O profissional tem também a possibilidade de atuar em empresas que elaboram conteúdo para mídia indoor, como as TVs instaladas em ônibus, trens de metrô, salas de espera e elevadores de prédios comerciais. As melhores oportunidades concentram-se na Região Sudeste, principalmente nas cidades mais industrializadas e populosas, como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Mas há boas perspectivas nas capitais de outras regiões, como Brasília, Recife e Porto Alegre.

As melhores escolas

5 estrelas

SP São Paulo USP Audiovisual.

4 estrelas

BA Cachoeira UFRB. DF Brasília UnB Comun. Soc. (audiovisual). PR Pinhais Unespar Cin. e Vídeo. RJ Niterói UFF. Rio de Janeiro PUC-Rio Comun. Soc. (cin.). RS São Leopoldo Unisinos Realiz. Audiovisual. SC Palhoça Unisul. SP Campinas Unicamp Comun. Soc. (midialogia). São Carlos UFSCar Imagem e Som. São Paulo Faap Comun. Soc. (cin.).

3 estrelas

CE Fortaleza Unifor-CE Audiovisual e Novas Mídias $$. GO Goiânia UEG Cin. Audiovisual. PE Recife UFPE. RJ Rio de Janeiro Estácio Cin. RS Santa Cruz do Sul Unisc Comun. Soc. (prod. em mídia audiovisual). SC Florianópolis UFSC Cin. SE São Cristóvão UFS Comun. Soc. (audiovisual). SP São Paulo Senac-SP Audiovisual., Universidade Anhembi Morumbi Cin.

Curso

No bacharelado, o aluno tem disciplinas de direção, documentação, redação do roteiro, linguagem cinematográfica, montagem, fotografa e som. Disciplinas teóricas, como história do cinema, alternam-se a aulas técnicas de gerenciamento e produção. A maior parte da carga horária é dedicada a aulas práticas em laboratórios de fotografa, montagem e sonorização. O estágio, bem como o trabalho de conclusão de curso, é obrigatório. Em algumas escolas, Cinema e Audiovisual é um curso de Comunicação Social, por isso, além das disciplinas específicas, o aluno estuda comunicação, cultura e sociedade e teoria da comunicação.

A UFF, além do bacharelado, oferece a única licenciatura na área, que forma o professor que dá aulas em cursos livres e elabora projetos pedagógicos audiovisuais para escolas, museus e centros culturais O currículo inclui disciplinas pedagógicas, como pesquisa e prática de ensino, e há várias disciplinas das Ciências Humanas, como antropologia, sociologia e cultura brasileira.

Duração média: 4 anos.

Outros nomes: Audiovisual; Audiovisual e Novas Mídias; Cin. de Anim.; Cin. e Mídias Dig.; Cin. e Vídeo; Comun. soc. (audiovisual); Comun. soc. (cin. e audiovisual); Comun. soc. (cin. e vídeo); Comun. soc. (cin.); Comun. soc. (midialogia); Comun. soc. (prod. em mídia audiovisual); imagem e som; realiz. Audiovisual.


PRODUÇÃO AUDIOVISUAL T

O Curso tecnológico em Programação Audiovisual tem currículo semelhante ao do bacharelado, mas a ênfase é nas atividades técnicas. O aluno aprende a colocar em prática e viabilizar as gravações ou filmagens, definindo as locações, preparando os equipamentos, montando as imagens ou captando o som. O estágio não é obrigatório, mas a maioria das escolas exige como trabalho de conclusão do curso a realização de um filme.

O que você pode fazer

Animação

Criar imagens usando elementos diversos, como desenho, fotografa, massa de modelar, papel e computação gráfica.

Captação de som

Escolher os equipamentos e microfones e tratar acusticamente a locação.

Direção

Coordenar a execução de um filme (ou, como assistente, ajudar o diretor), da aprovação do roteiro e da escolha do elenco até o planejamento da produção, a definição da iluminação, dos figurinos e a edição das cenas.

Direção de arte

Definir os aspectos visuais de um filme, escolhendo com o diretor as cores, os espaços e os ambientes das cenas. Coordenar o trabalho de cenógrafos, figurinistas, maquiadores e atores, para garantir uniformidade às cenas.

Edição de som

Criar, mixar e editar trilhas sonoras e sons de filmes ou vídeos.

Fotografia

Planejar a iluminação das cenas a serem filmadas, a fim de transmitir as ideias e as emoções e o clima definidos no roteiro e pelo diretor.

Montagem

Selecionar e juntar as cenas rodadas para ordenar a narrativa e dar unidade ao filme ou ao vídeo.

Produção

Planejar, organizar e executar as ações necessárias para a filmagem, da captação de recursos à contratação de diretores, atores, técnicos e pessoal de apoio.

Roteiro

Adaptar ou escrever histórias originais para a filmagem.

Sonorização

Gravar, mixar e editar a trilha sonora do filme, como ruídos e música.

Técnica

Operar os equipamentos de filmagem, gravação, iluminação, edição e fotografa.

Compartilhe