logo-ge

Cooperativismo

Este bacharel domina as técnicas e os métodos usados na criação, implantação, organização e administração de cooperativas

Este bacharel domina as técnicas e os métodos usados na criação, implantação, organização e administração de cooperativas, considerando sua viabilidade econômica e as necessidades da comunidade ou dos profissionais cooperativados. Para isso, está familiarizado com políticas públicas, conhece economia e educação, e aplica esse conhecimento para avaliar e conduzir as atividades da cooperativa, segundo as condições da região, da cidade ou do bairro em que está instalada. Este profissional encontra espaço também para atuar em organizações sociais, como associações, sindicatos e não governamentais (ONGs). Ele dá orientação aos associados e gerencia o dia a dia da organização, de modo a promover o desenvolvimento social e econômico. Existe uma infinidade de áreas de trabalho – cooperativas agropecuárias, habitacionais, educacionais, de saúde ou de crédito, por exemplo. Você pode ingressar no mercado com um curso superior de tecnologia.

O que você pode fazer

Administração Supervisionar as atividades desenvolvidas por uma cooperativa, como gerente ou diretor.

Consultoria Atuar como autônomo na implantação de cooperativas de qualquer ramo de atividade.

Projeto Projetar uma cooperativa levando em consideração o público-alvo e suas necessidades.

Mercado de Trabalho

O cooperativismo é um ramo que cresce e se profissionaliza, no mundo todo. Há, no Brasil, 6,5 mil cooperativas atuantes em 13 ramos (agropecuário, consumo, crédito, educacional, especial, habitacional, infraestrutura, mineral, produção, saúde, trabalho, transporte e turismo e lazer), nas quais trabalham 361 mil profissionais, segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras. A agropecuária é o setor que mais gera empregos diretos em cooperativas – são 181 mil vagas ocupadas. Há boa demanda em todo o país. O bacharel não costuma encontrar dificuldade para se empregar após a conclusão do curso. Uma pesquisa feita com os egressos da UFV, única instituição que oferece o curso no país, mostrou que 87% estão contratados. Segundo o levantamento, a maioria atua como gerente, técnico ou analista de mercado em cooperativas ou ingressou na Organização das Cooperativas Brasileiras ou nas unidades estaduais do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). Uma parte ainda é absorvida pelo Ensino Superior. Atuar por conta própria prestando consultoria para cooperativas também costuma ser um bom caminho para o profissional. Outra opção são as ONGs e as associações de bairro que também necessitam do especialista, geralmente, para prestar serviços às cooperativas. Minas Gerais absorve a maior parte dos bacharéis, seguido do Distrito Federal e São Paulo. Nas regiões Norte e Nordeste há carência de especialistas nesta área.

Curso

O bacharelado da UFV, único no país, dá ênfase à área de administração, com aulas de direito, economia e contabilidade. Além das disciplinas básicas, há as específicas, aplicadas a cooperativas, como legislação cooperativa e tributária, políticas públicas, economia solidária e administração financeira de cooperativas. O estágio e um trabalho de conclusão de curso são exigências para obter o diploma.

Duração média: 4,5 anos.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado