logo-ge

Design de Interiores

Este bacharel entende do arranjo de ambientes, levando em conta a estética, o conforto e a funcionalidade

Este bacharel entende do arranjo de ambientes, levando em conta a estética, o conforto e a funcionalidade. Ele define os materiais de revestimento e acabamento, suas cores e a distribuição de móveis e objetos, segundo as demandas e possibilidades financeiras dos clientes. O dia a dia de trabalho envolve o contato com arquitetos, marceneiros, pedreiros, pintores e eletricistas. Além de residências, o designer de interiores define ambientes de trabalho ou de passagem, como consultórios, lojas, restaurantes, área de atendimento em bancos ou órgãos públicos. Pode trabalhar em lojas de mobiliário ou de revestimentos. É possível trabalhar como designer com um curso de tecnólogo.

O que você pode fazer

Desenho de móveis Criar peças conforme as necessidades do cliente, adaptando-as ao espaço disponível.

Decoração e paisagismo Cuidar da colocação de móveis e acessórios em ambientes residenciais e comerciais internos. Em áreas externas, usar arte e técnica para projetar, organizar e embelezar espaços com plantas e jardins.

Gerenciamento Acompanhar a compra de móveis e acessórios, fazer orçamentos e contratar mão de obra.

Projeto Organizar ambientes de acordo com as necessidades do cliente. Elaborar plantas e maquetes, indicando o estilo, as cores e a disposição de móveis e objetos.

Mercado de Trabalho

A demanda pelo profissional varia muito segundo o momento econômico do país e o desempenho do setor da construção civil: quando o setor vai bem, mais designers de interiores são procurados para, por exemplo, decorar os ambientes de apartamentos mobiliados, nos estandes de venda. Os empregadores tradicionais são os escritórios de arquitetura, construtoras e incorporadoras, além de empresas de decoração. Por outro lado, quando a economia patina, surgem oportunidades em outros setores, como no comércio. Lojas de móveis projetados costumam oferecer aos clientes o serviço de designer de interiores. Eles fazem o projeto de um ambiente, como uma cozinha, garantindo a funcionalidade das peças. Outro setor em que o profissional pode encontrar boa colocação é o de decoração de interiores. São os clientes individuais que chamam o profissional para redecorar a residência ou o escritório. As melhores chances de trabalho estão nas capitais do Sudeste e, no Sul, em Curitiba e Porto Alegre. As cidades turísticas do Nordeste também são bons mercados, devido ao grande número de hotéis e resorts.

Curso

Há poucos cursos de bacharelado no país. O currículo é, em boa parte, semelhante ao do curso de Arquitetura e Urbanismo, com grande carga horária dedicada a atividades práticas e projetos. A grade curricular inclui, ainda, aulas de técnicas de instalação e iluminação, materiais e revestimentos, desenho de móveis e cenografia de interiores. No final do curso, é habitual a exigência de um estágio ou a apresentação de monografa.

Duração média: 4 anos.

Outros nomes: Comp. de Interior; Decoração; Decoração e Design.

 

Os cursos tecnológicos são voltados mais para as atividades de decoração, mas podem ter diferentes focos, em decoração e paisagismo ou em design de móveis e ambientes. Já no início do curso, o aluno entra em contato com as ferramentas e as técnicas da prática profissional, como a aplicação de cores e revestimentos. Depois, é a vez das disciplinas voltadas para a representação gráfica, com aulas de programas de desenho arquitetônico. As matérias profissionalizantes dão ênfase aos espaços residenciais, com disciplinas como iluminação e ergonomia. Na etapa final, há foco em espaços comerciais. Aulas de gestão empresarial fazem parte do currículo.

Duração média: 2 anos.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado