logo-ge

Ecologia

Este bacharel estuda as relações entre o homem e a natureza, com foco na preservação ambiental

Este bacharel estuda as relações entre o homem e a natureza, com foco na preservação ambiental. Investiga a estrutura e o funcionamento de ecossistemas, analisa o impacto das atividades humanas sobre o ambiente e procura soluções para evitar ou minimizar desequilíbrios, elaborando planos para a proteção dos recursos naturais. Em laboratório, estuda o efeito de produtos químicos sobre a fauna, a fora e a saúde humana. Em secretarias municipais do Meio Ambiente, avalia impactos ambientais causados, por exemplo, pela instalação de indústrias e por obras de engenharia civil, como estradas e condomínios. Ajuda também a planejar o crescimento de núcleos urbanos, preservando os recursos naturais. Ele deve se manter atualizado sobre a legislação ambiental. No setor privado, é solicitado pelas indústrias para avaliar o impacto que suas atividades podem ter sobre o ambiente. Em zoológicos, parques ecológicos e áreas de preservação ambiental, dá apoio logístico para a manutenção das espécies animais e vegetais e dos recursos naturais presentes em suas áreas.

Dúvida do vestibulando

ECOLOGIA OU CIÊNCIAS AMBIENTAIS?

Os dois cursos cuidam da preservação do meio ambiente, mas o ecólogo tem base maior na área biológica. Assim, ele estuda as características das espécies e seu habitat, e a relação do homem com a natureza. Já em Ciências Ambientais há uma carga mais forte de Ciências Exatas e da Terra, o que envolve questões relacionadas ao solo e ao relevo, por exemplo, e o uso de cálculos para avaliar a ocupação humana do meio ambiente. No mercado de trabalho, eles podem desempenhar as mesmas funções.

Fique de Olho

ECONOMIA ECOLÓGICA

O curso de Economia Ecológica da UFC forma profissionais para elaborar projetos socioeconômicos e ambientais, de modo a ajustar os interesses econômicos à preservação ambiental. Interdisciplinar, o curso tem matérias das áreas de agronomia, antropologia, biologia, ciências econômicas, direito, estatística, geografa, história e matemática. O egresso pode atuar com pesquisas de impacto socioeconômico e ambiental decorrente de projetos diversos, além de elaborar políticas de gestão ambiental de resíduos.

O que você pode fazer

Avaliação de riscos e impactos ambientais Estudar os efeitos da ocupação de uma região pelo homem. Acompanhar o planejamento e a instalação de grandes empreendimentos para a obtenção de licenciamento ambiental.

Consultoria Gerenciar projetos, fazer auditoria e prestar consultoria ambiental para empresas públicas e privadas e organizações não governamentais.

Ensino e pesquisa Dar palestras em escolas e em outras instituições, abordando assuntos relacionados com a preservação do meio ambiente. Desenvolver pesquisas sobre temas ambientais.

Geoprocessamento Usar softwares e equipamentos para captar informações cartográficas, como mapas, para serem usadas para caracterizar uma área e, ainda, medir os impactos ambientais sofridos.

Recuperação e manejo de ecossistemas Implantar e fiscalizar projetos de restauração de ambientes degradados. Estabelecer regras de ocupação de regiões naturais.

Turismo ecológico Pesquisar locais, elaborar roteiros e orientar guias de turismo sobre educação ambiental.

Mercado de Trabalho

O bacharel em Ecologia é cada vez mais requisitado por empresas e pelo setor público, graças à crescente preocupação com a sustentabilidade na exploração de recursos naturais e por conta da rigorosa legislação ambiental brasileira. Temas como reúso de água, certificação de edificações e melhoria de processos visando minimizar os impactos da produção da indústria no meio ambiente têm feito com que o setor privado procure o profissional, seja para atuar internamente ou como consultor. Esse bacharel se destaca por uma formação que envolve o conhecimento aprofundado dos aspectos biológicos, sociais, econômicos e políticos da ecologia. Ele atua ainda na consultoria de projetos de licenciamento ambiental e na elaboração de relatórios de impacto ambiental. No setor público, órgãos como Ibama, Agência Nacional de Águas (ANA), ICMBio, Instituto Florestal, Ministério do Meio Ambiente e Departamento Nacional de Produção Mineral costumam abrir vagas para o bacharel. As vagas estão em todo o país. Os grandes centros oferecem a maioria das oportunidades no setor privado, mas também há possibilidades em áreas rurais e com florestas.

Curso

Aulas de biologia, química, geologia e matemática são seguidas de estudos mais específicos sobre ecologia, como poluição, impactos ambientais e legislação ecológica. O currículo prevê trabalhos em campo, nos quais o aluno aprende a coletar dados sobre a natureza e a usar instrumentos que avaliam a poluição das águas e do solo. Em laboratório, faz análises químicas e biológicas. Algumas escolas exigem estágio e elaboração de monografa no fim do curso.
Atenção: algumas instituições oferecem o curso de Ciências Ambientais (veja o quadro Dúvida do vestibulando), enquanto outras têm Ecologia ou Ciências Ambientais como habilitação de Ciências Biológicas (veja este verbete). A UFMG tem graduação em Ciências Socioambientais, que integra conteúdos de Ciências Sociais e Ciências Biológicas. Já a UFC oferece Economia Ecológica (veja o quadro Fique de olho).

Duração média: 4 anos.

Outros nomes: Ciên. Amb.; Ciên. Socioambientais.

 

OS MELHORES CURSOS

★★★★★
RJ Niterói UFF Ciên. Amb. RN Natal UFRN. SP Rio Claro Unesp.

★★★★
DF Brasília UnB Ciên. Amb. GO Goiânia UFG Ciên. Amb.; Ecol. e Análise Amb. MG Belo Horizonte UFMG Ciên. Socioambientais. RJ Rio de Janeiro Unirio Ciên. Amb. RN Mossoró Ufersa. SP Diadema Unifesp Ciên. Amb.

★★★
AP Macapá Unifap Ciên. Amb. CE Fortaleza UFC Ciên. Amb.; Econ. Ecol. PB Rio Tinto UFPB.