Guia do Estudante

Engenharia e Produção

Aeronáutica

Tecnológico

O tecnólogo em Aeronáutica participa do desenvolvimento de projetos e da fabricação de equipamentos e aeronaves na indústria aeronáutica. Na Aviação Civil, pode tornar-se comissário de voo e seguir carreira de piloto privado, como condutor de aviões particulares, ou comercial, comandando helicópteros e aviões de grande porte. Também é habilitado a cuidar da manutenção de aeroportos e do gerenciamento das operações em hangares, terminais de carga e pistas de pouso e decolagem. Nesses postos de trabalho, supervisiona operações, como o controle do peso e do deslocamento de aviões. Pode dedicar-se, ainda, à pesquisa científicotecnológica e à inspeção de operações aéreas. O piloto precisa do brevê, concedido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O mercado de trabalho

"Toda companhia aérea precisa de profissionais para a mão de obra preventiva, e o aumento do número de voos e passageiros aqueceu o mercado de trabalho para esse tecnólogo", afirma o professor José Dimas Novais Patriota, coordenador de Manutenção de Aeronaves, da UTP. Os principais empregadores têm sido as empresas de táxi aéreo no eixo Rio-São Paulo e na Região Norte, onde há várias dessas companhias, por causa das distâncias a serem percorridas até áreas de difícil acesso. São Paulo tem a maior frota de helicópteros do país, e isso mantém o mercado de trabalho em alta. São boas também as oportunidades nesse estado onde companhias como TAM, GOL e Azul possuem sede. Há demanda ainda por pilotos, tanto na aviação comercial como na executiva ou particular. A crise aérea que atingiu o país entre 2006 e 2007 desanimou profissionais a entrar para a carreira. Com o reaquecimento do setor, faltam pilotos, e isso pode abrir portas para o recém-formado.

Salário inicial: R$ 2.000,00 (fonte: prof. José Dimas Novais Patriota, da UTP).

O curso

As amplas possibilidades de atuação desse profissional exigem formação ao mesmo tempo teórica, prática e experimental. Mas os currículos apresentam algumas diferenças. O curso da UTP, por exemplo, abre três habilitações: manutenção de aeronaves, transporte aéreo e pilotagem profissional. Já outros cursos são mais voltados para as atividades gerenciais da aviação civil, seja em serviços aeroportuários, seja em companhias aéreas. Nesse caso, as matérias que dominam a grade curricular são das áreas de administração, marketing e informática - todas com enfoque na aviação civil. De qualquer maneira, o estudo de línguas,física, matemática e mecânica, entre outras disciplinas básicas, ocupa boa parte da carga horária. O restante é preenchido por matérias específicas da Aeronáutica. A parte prática compreende atividades em laboratórios de física, computação, materiais, mecânica de fluidos e simulação. O estágio e os projetos desenvolvidos no decorrer do curso são feitos em indústrias e aeroportos.

Duração média: dois anos.

Outros nomes: Aviação Civil; Manut. de Aeronaves; Pilotagem Profissional de Aeronaves; Sist. Aeronáuticos (manufatura); Sist. Aeronáuticos (mecân. e manut.); Transp. Aéreo.

Compartilhe