Guia do Estudante

ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Bacharelado

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

São as técnicas e os conhecimentos usados na fabricação, na conservação, no armazenamento e no transporte de alimentos industrializados. Esse profissional atua em escala industrial, cuidando de todas as etapas de preparo e conservação de alimentos de origem animal e vegetal. Seleciona a matéria-prima, como leite, carnes, peixes, legumes e frutas, e define a melhor forma de armazenagem, acondicionamento e preservação dos produtos, projetando embalagens. Desenvolve e testa formulações, com a finalidade de determinar o valor nutricional de alimentos industrializados, seu sabor, sua cor e sua consistência. Desenvolve tecnologias limpas e processos para aproveitamento de resíduos. A indústria alimentícia é, sem dúvida, o principal campo de atuação desse engenheiro. Mas ele pode trabalhar, ainda, em indústrias fornecedoras de equipamentos, embalagens e aditivos.

 

Fique de olho

Imune a crises

O setor de alimentos é um dos que apresentam maior crescimento e estabilidade no Brasil. Diferentemente de outros setores industriais, esse não foi pela crise econômica mundial. A vacina é o mercado consumidor interno: a ascensão econômica de 30 milhões de brasileiros para a classe média levou as indústrias a investir em segmentos mais populares, o que aumenta a oferta de emprego para o engenheiro de alimentos.

Mercado de Trabalho

“A melhora na renda dos brasileiros e a mudança nos hábitos alimentares da população aumentam a demanda pelos produtos industrializados e, por consequência, pelo engenheiro de alimentos”, diz Flávio Luis Schimidt, coordenador do curso de Engenharia de Alimentos da Unicamp, em Campinas. Schimidt afirma que o setor não está tão aquecido como estava nos anos anteriores à crise de 2008, mas vive um bom momento. O profissional é contratado pelas indústrias agrícola, alimentícia e de bebidas para atuar diretamente na linha de produção, gerindo pessoas e processos, no controle de qualidade, nas vendas e no desenvolvimento de novos produtos. Grandes empresas dominam o mercado, mas as pequenas e médias também respondem por muitos empregos. As indústrias do setor estão espalhadas por todo o país. O Sudeste é a região que mais absorve profissionais. O Centro-Oeste concentra a indústria da carne e da soja, e o Nordeste, de polpa de frutas.

Salário inicial: R$ 4.068,00 por 6 horas diárias (fonte: Crea-SP);

As melhores escolas

5 estrelas

GO Goiânia UFG, MG Viçosa UFV, RS Porto Alegre UFRGS, SP Campinas Unicamp, Pirassununga USP, São José do Rio Preto Unesp;

4 estrelas

CE Fortaleza UFC, PB João Pessoa UFPB, RJ Rio de Janeiro UFRJ, RS Rio Grande Furg, SC Florianópolis UFSC, SP São Caetano do Sul Mauá;

3 estrelas

BA Itapetinga Uesb, GO Goiânia PUC Goiás, Rio verde IF Goiano, MG Lavras Ufa, MS Dourados UFGD, PA Belém UFPA, PB Pombal UFCG, PR Curitiba PUCPR Eng. de Alim. (ênf. em agroind.), Guarapuava Unicentro-PR, Maringá UEM, Ponta Grossa UEPG, RJ Seropédica UFRRJ, RS Caxias do Sul UCS, Erechim URI, Passo Fundo UPF, São Leopoldo Unisinos, SE São Cristóvão UFS, SP Barretos Unifeb, TO Palmas UFT;

Curso

Os dois primeiros anos são de formação básica, com aulas de matemática, química, bioquímica, físico-química e termodinâmica. Depois, o currículo enfatiza as disciplinas mais técnicas, ligadas à produção e à conservação dos vários tipos de alimento. Os conteúdos das áreas de economia e administração dão fundamento ao futuro profissional para que possa atuar em gerenciamento industrial. A realização de estágio e a apresentação de trabalho de conclusão de curso são obrigatórias.

Duração média: cinco anos.

O que você pode fazer

Armazenamento e transporte

Estabelecer parâmetros de armazenamento e transporte, visando à garantia de qualidade do produto acabado.

Automação de processos

Planejar e implantar linhas automatizadas de produção.

Consultoria

Prestar assessoria a empresas da área alimentícia no desenvolvimento de produtos, layout de equipamentos e de plantas de produção e implementar sistemas de controle da qualidade.

Controle de qualidade

Organizar métodos e sistemas de controle e garantia de qualidade das matérias-primas e dos produtos processados nas indústrias alimentícias, coordenar análises laboratoriais.

Pesquisa e desenvolvimento

Criar e aperfeiçoar produtos, de acordo com as necessidades do mercado. Pesquisar matérias-primas, embalagens e tecnologias de produção. Planejamento e projetos agroindustriais planejar e implantar instalações industriais alimentícias e dimensionamento de equipamentos. Avaliar a viabilidade econômica de novas indústrias, estudando as oportunidades de mercado.

Planejamento e projetos

Agroindustriais planejar e implantar instalações industriais alimentícias e dimensionamento de equipamentos. Avaliar a viabilidade econômica de novas indústrias, estudando as oportunidades de mercado.

Produção

Desenvolver e aprimorar processos de produção, fazer a seleção de máquinas e equipamentos fabris. Planejar e supervisionar operações industriais, administrando as equipes e as diversas etapas de produção. Estudar e implantar métodos para aumentar a produtividade, reduzir custos e garantir a segurança no trabalho.

Tratamento de resíduos

Definir métodos de descarte, reciclagem e possível reaproveitamento de resíduos da indústria alimentícia, protegendo o meio ambiente e visando à sustentabilidade.

Vendas técnicas e marketing

Desenvolver aplicações visando à comercialização de matérias-primas, ingredientes, insumos e equipamentos para a indústria alimentícia.

Compartilhe