Guia do Estudante

ENGENHARIA BIOMÉDICA

Bacharelado

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É a área da engenharia que cuida da concepção de equipamentos médicos, biomédicos e odontológicos, voltados para diagnóstico ou tratamento terapêutico. O engenheiro biomédico projeta a estrutura, desenvolve e monta os equipamentos e faz a sua manutenção corretiva e preventiva. Pode ainda calibrar e aferir os equipamentos médicos e eletromédicos. Como tem conhecimentos na área de informática e eletrônica, cria softwares e equipamentos eletrônicos que otimizam o uso das máquinas pelos médicos, enfermeiros e dentistas. Também pode gerenciar a área de compras de equipamentos médicos e planejar seu uso. Realiza ainda pesquisas científicas para a descoberta de materiais e instrumentos biomédicos. Esse bacharel atua em hospitais, clínicas médicas, centros de saúde, laboratórios farmacêuticos e de análises clínicas, serviços especializados em manutenção hospitalar e centros de pesquisa.

Dúvida do Vestibulando

Qual é a diferença entre Eng. Biomédica, Informática Biomédica e Física Médica?

Os profissionais das três formações trabalham no aperfeiçoamento de processos na área médica. O engenheiro biomédico desenvolve equipamentos, avalia a qualidade da tecnologia aplicada à saúde, entre outras funções. O bacharel em Informática Biomédica desenvolve softwares e hardwares para a área médica, tanto para potencializar o uso dos aparelhos como para auxiliar os profissionais da medicina no diagnóstico de pacientes. Por fim, o profissional formado em Física Médica se ocupa de atividades ligadas a tratamentos médicos que exigem o manuseio de determinados equipamentos, como os usados em radioterapia.

Mercado de Trabalho

A interface entre engenharia e saúde constitui um dos campos de trabalho em maior expansão, tanto no âmbito nacional quanto mundial. Um estudo divulgado pela revista Forbes, em maio de 2012, revela que a engenharia biomédica ocupa o topo do ranking entre os cursos de graduação com as carreiras mais promissoras nos Estados Unidos. “Tanto hospitais quanto laboratórios empregam cada vez mais tecnologia de ponta no diagnóstico e nas terapias, daí a necessidade crescente de inclusão dos engenheiros biomédicos nestas equipes”, afirma Ricardo Emmanuel de Souza, coordenador do curso de Engenharia Biomédica da UFPE, em Recife. A especialização mais aquecida é a de engenharia clínica. Em hospitais e centros de diagnóstico, esse profissional auxilia na compra, instalação e manutenção dos equipamentos. Trabalha, também, em empresas de certificação de qualidade, universidades e institutos de pesquisa. O setor industrial contrata o engenheiro para desenvolver produtos destinados à área médica. São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco são os estados que mais têm aberto postos de trabalho. A região Sul também oferece oportunidades.

Salário inicial: R$ 4.068,00 por 6 horas diárias (fonte: Crea-SP);

As melhores escolas

4 estrelas

MG Uberlândia UFU, PE Recife UFPE, SP São José dos Campos Univap;

Curso

O curso tem como característica a interdisciplinaridade, fazendo interface entre engenharia e saúde. A grade curricular compreende matérias de Ciências Exatas, Ciências Médicas e Biológicas. Em Ciências Exatas, estudam-se matemática, física, eletrônica, informática e tecnologia da computação. Já na área de Saúde e Ciências Biológicas, constam disciplinas de anatomia, fisiologia, biofísica, bioquímica, biomecânica e telemedicina. O aluno também passa a estudar engenharia de software, circuitos elétricos, conversão de energia e termodinâmica. O estágio sempre é obrigatório, e as universidades exigem um trabalho de conclusão, que deve ser apresentado no último ano da graduação.

Duração média: cinco anos.

Outro nome: Ciência e Tecnologia (eng. bioméd.);


O que você pode fazer

Informática

Desenvolver bancos de dados e softwares para diagnóstico de doenças e realização de terapias.

Sistemas clínicos

Avaliar e especificar equipamentos que devem ser adquiridos pelos centros de saúde e odontológicos.

Equipamentos

Projetar, desenvolver, gerenciar e manter equipamentos odonto-médico-hospitalares, incluindo próteses e outros instrumentos de auxílio à locomoção.

Compartilhe