Guia do Estudante

ENGENHARIA QUÍMICA

Bacharelado / Tecnológico

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

O engenheiro químico trabalha com os processos industriais que empregam transformações físico-químicas. Ele cria técnicas de extração ou obtenção de matérias-primas, sua utilização e transformação em produtos químicos e petroquímicos, como tintas, plásticos, têxteis, papel e celulose. Desenvolve produtos e equipamentos, além de pesquisar tecnologias e processos mais eficientes e menos agressivos para o meio ambiente. Projeta e dirige a construção e a montagem de fábricas, usinas e estações de tratamento de rejeitos industriais. É possível ingressar na carreira com uma formação de tecnólogo.

 

Dúvida do Vestibulando

QUAL A DIFERENÇA ENTRE QUÍMICA E ENGENHARIA QUÍMICA?

Os dois profissionais têm diferentes campos de atuação. O bacharel em Química trabalha, fundamentalmente, em laboratórios, fazendo análises químicas, desenvolvendo materiais e propondo novos processos para obter produtos químicos. O engenheiro químico também se ocupa de processos químicos, mas em escala industrial – ou seja, ele trabalha na indústria, dimensionando equipamentos e definindo as etapas do processo de fabricação. Para realizar essas atividades tão distintas, o curso de Química tem um foco maior em disciplinas ligadas às ciências puras, enquanto a Engenharia trabalha mais com a aplicação dessa ciência no dia a dia de uma indústria.

Mercado de Trabalho

Esta é mais uma profissão que se beneficia da exploração do petróleo do pré-sal. Além do setor de petróleo, algumas frentes de trabalho tradicionais se mantêm estáveis, como a indústria de polímeros e de tintas e vernizes. Mas a grande novidade para o engenheiro químico é o segmento farmacêutico e de cosméticos, nos quais o profissional é chamado para pesquisar e desenvolver novos produtos. Na área ambiental, começam a surgir vagas no tratamento de resíduos e em energia de fontes renováveis. Os polos industriais dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo reúnem os principais empregadores. O crescimento da produção mineral, a instalação de uma refinaria em Pernambuco e do estaleiro Enseada do Paraguaçu, na Bahia, abrem boas perspectivas para a Região Nordeste.

As melhores escolas

5 estrelas

MG Belo Horizonte UFMG. RJ Rio De Janeiro PUC-Rio, UFRJ. RS Porto Alegre PUCRS, UFRGS. SC Florianópolis UFSC. SP Campinas Unicamp. Lorena USP. São Carlos Ufscar. São Paulo USP.

4 estrelas

BA Salvador UFBA, Unifacs. CE Fortaleza UFC. MG Uberlândia UFU. PA Belém UFPA. PB Campina Grande UFCG. PE Recife UFPE. PR Curitiba UFPR. Maringá UEM. RJ Rio De Janeiro Uerj. Seropédica UFRRJ. RN Natal UFRN. RS Rio Grande Furg. SE São Cristóvão UFS.

3 estrelas

AL Maceió Ufal. AM Manaus UEA. MA São Luís UFMA. MG Belo Horizonte Unibh. Ouro Branco UFSJ. Viçosa UFV. PE Recife Unicap. PR Curitiba PUCPR. Toledo Unioeste. RJ Niterói UFF. RS Bagé Unipampa. Caxias Do Sul UCS. Santa Maria UFSM. SC Blumenau Furb. Criciúma Unesc-SC. Joinville Unisociesc, Univille. Tubarão Unisul. SP Ribeirão Preto Unaerp. Santos Unisanta. São Bernardo Do Campo Centro Universitário Da FEI. São Caetano Do Sul Mauá.

Curso

Física, matemática e, principalmente, química, estão presentes em todo o curso. Os recentes avanços da biotecnologia faz com que disciplinas relacionadas às Ciências Biológicas sejam aos poucos incorporadas ao currículo. A partir do terceiro ano, o conhecimento adquirido nessas disciplinas passa a ser aplicado a processos físico-químicos, nos quais o aluno aprende a identificar as reações, a analisar e a purificar compostos químicos e a projetar equipamentos relacionados com as diversas transformações que ocorrem na indústria química. As aulas em laboratório, inclusive nos de informática, ocupam parte significativa da carga horária. O estágio e o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

Atenção:
a Furg, em Santo Antônio da Patrulha (RS), oferece o curso de Engenharia Agroindustrial Agroquímica, que forma o profissional que vai atuar na indústria química ligada à agroindústria (fertilizantes, papel, celulose, resinas, biocombustíveis etc.). A Fateb, em Telêmaco Barbosa (PR), tem graduação focada na fabricação de celulose e papel.

Duração média:
5 anos.

Outro nome: Eng. Agroind. Agroquímica.



Papel e Celulose

O Tecnólogo graduado em Papel e Celulose gerencia todas as etapas de produção na indústria e em fábricas de reciclagem de papel e celulose. Ele faz estudos, ensaios e experimentos sobre as características da madeira. Também controla os procedimentos do tratamento químico para a transformação da matéria-prima e o acabamento do produto final. Tem conhecimentos de engenharia florestal e química e noções de automação industrial. São de sua responsabilidade o controle de resíduos poluentes e o gerenciamento de custos e qualidade do processo. Pode trabalhar em fábricas de papel, oficinas de papel artesanal e em órgãos ambientais. O mercado principal está nas mais de 200 fabricantes de papel e celulose, em 16 estados. Aquelas instaladas em regiões mais distantes dos grandes centros, nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, oferecem maior possibilidade de crescimento na carreira. O curso começa com as disciplinas básicas em matemática, química, física e estatística. A fase profissionalizante da formação inclui conteúdos como biodegradação e preservação da madeira, branqueamento da polpa celulósica e propriedades do papel. Completam o currículo auditoria ambiental, tratamento da água e efluentes ambientais e gestão da qualidade. É exigido estágio.

Duração média: 4 anos.



Processos Químicos

Este tecnólogo trabalha em indústrias químicas em geral, como as de produtos agrícolas, alimentícias, farmacêuticas, de plásticos, tintas e vernizes, cimento e vidro. Na linha de produção, em parceria com engenheiros químicos ou sanitaristas, opera equipamentos e fiscaliza processos industriais e agroindustriais. Em laboratórios, faz análises de qualidade da matéria-prima e de produtos finais. Controla resíduos da produção, de modo a não prejudicar o meio ambiente com poluentes. No curso, as disciplinas de formação específica incluem química orgânica, inorgânica e físico-química. Normalmente, desde o primeiro semestre, o estudante tem contato com matérias práticas, como processos industriais e segurança e organização de laboratórios. Algumas escolas exigem estágio e trabalho de conclusão de curso.

Atenção: há cursos específicos de Processos Ambientais, que prepararam o profissional para atuar com coleta e análise de amostras, gerenciamento de resíduos e emissão de pareceres ambientais.

Duração média: 2,5 anos.

Outros nomes: processos Amb.; prod. de fármacos.


O que você pode fazer

Desenvolvimento

Criar e aprimorar produtos na indústria química, petroquímica e de alimentos e analisar sua viabilidade técnica e econômica. Aperfeiçoar o processo e a tecnologia de fabricação ou beneficiamento.

Meio ambiente

Definir normas e métodos de preservação ambiental em toda a cadeia produtiva. Reciclar e tratar resíduos industriais. Desenvolver tecnologias limpas.

Processo industrial

Planejar e supervisionar operações industriais, administrando as equipes e etapas da produção. Estudar e implantar métodos para aumentar a produtividade, reduzir custos e garantir a segurança no trabalho.

Projetos

Projetar fábricas, determinar processos de produção, instalações e equipamentos, procedimentos de segurança e a logística de estocagem e movimentação de materiais.

Compartilhe