Guia do Estudante

TELECOMUNICAÇÕES

Bacharelado

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

O profissional de telecomunicações atua em planejamento, implantação, manutenção e gerenciamento de projetos de diferentes sistemas de telecomunicações, como telefonia, transmissão, comunicação de dados, serviços celulares, TV a cabo, TV digital, serviços telemáticos e outros. Ele desenvolve e implanta sistemas de transmissão de sinais digitais e analógicos por meio de satélites, cabos metálicos, fibras ópticas e micro-ondas. Aprimora o padrão de qualidade dos sinais e controla os equipamentos de difusão de emissoras AM e FM, TVs por assinatura e de serviços de comunicação via rádio. O tecnólogo também atua nas redes de telefonia fixa e móvel, gerencia a operação, estuda a viabilidade de sistemas e acompanha o cabeamento e a conexão de telefones, o teleprocessamento e a comunicação de dados a distância. Ele planeja, ainda, a utilização de redes LAN, WAN, internet e intranet. O profissional pode também analisar projetos de telecomunicações, fornecer suporte técnico e operar sistemas que envolvam fibras ópticas, antenas e satélites.

Fique de olho

Várias opções em Telecomunicações

Alguns cursos têm o perfil mais técnico, com enfoque em redes e sistemas de telecomunicações, enquanto outros dão ênfase em gestão. Neste caso, o estudante é preparado para planejar, gerenciar e supervisionar serviços de telecomunicações em companhias de telefonia fixa e móvel, operadoras de TV aberta e por assinatura, indústrias de acessórios e componentes de telecomunicações ou em empresas de comercialização. Algumas instituições oferecem o curso de Telemática. Este profissional pode atuar no planejamento, no desenvolvimento, na implantação e no gerenciamento de serviços de informática por meio de redes de telecomunicações. Entre as possibilidades de atuação desse tecnólogo, estão a realização de projetos físicos e lógicos de redes convergentes e o desenvolvimento de protocolos e aplicações para comunicação de dados que associem meios de informática e de telecomunicações.

Mercado De Trabalho

O Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), do governo federal, tem como meta oferecer acesso à internet de banda larga a 40 milhões de domicílios até 2014. Só isso já é um bom termômetro para avaliar como vai o mercado de trabalho para esse tecnólogo. A demanda cresce também com a implantação do sistema de telefonia 4G no país e os investimentos em TV digital, um serviço hoje restrito às grandes cidades. “Precisamos aumentar a qualidade do serviço prestado, ou seja, melhorar o tráfego de dados nas grandes infovias, ou backbones, que formam a infraestrutura física e virtual dos meios de telecomunicação – o que deverá canalizar investimentos da ordem de 100 bilhões de dólares até 2017”, afirma Carlos Nazareth Motta Marins, vice-diretor do Inatel, em Santa Rita do Sapucaí. “E qualquer corporação que utiliza tráfego de dados e informações para vender seus produtos necessita dos trabalhos do profissional em Telecomunicações.” Os principais empregadores são as empresas que operam com sistemas de radiotransmissão, operadoras de telefonia fixa e móvel, concessionárias de serviços de televisão por assinatura e internet, além do setor sistema financeiro. As ofertas estão espalhadas pelo país. Os pólos tecnológicos em Pernambuco, em Minas Gerais, no Paraná e no Rio Grande do Sul requisitam o profissional. Mas o maior número de vagas ainda se concentra em São Paulo e no Rio de Janeiro, que sediam as principais empresas do setor. Norte, Nordeste e Centro-Oeste têm carência de profissionais qualificados

Salário inicial: Entre R$ 2.000,00 e R$ 3.000, (fonte: prof. Carlos Nazareth Motta Marins, do Inatel);

As melhores escolas

Curso

Os cursos dão ênfase às disciplinas que integram aparelhos de telefonia a redes de computadores. O aluno encara eletrônica, elétrica, banco de dados e programação de computadores. Do segundo ano em diante, predominam matérias práticas, como transmissão de dados e teleprocessamento. Disciplinas como circuitos elétricos e fundamentos para processamento digital de sinais também integram o currículo. Algumas escolas oferecem matérias eletivas, como ergonomia e inglês técnico. As aulas em laboratório ocupam cerca de 50% das aulas. O estágio costuma ser obrigatório, mas nem toda escola exige trabalho de conclusão.

Duração média: três anos.

Outros nomes: gestão de Telecom.; redes de Telecom.; Telecom.; Telemática;



Compartilhe