logo-ge

Física

O físico estuda a relação entre matéria e energia, suas propriedades e as leis que regem sua interação

O físico estuda a relação entre matéria e energia, suas propriedades e as leis que regem sua interação. Lida com corpos e fenômenos físicos de todas as dimensões, de partículas subatômicas à imensidão do cosmo. Pode especializar-se em diversas áreas, como acústica, astrofísica e física nuclear. Aplica as leis do mundo físico tanto na pesquisa pura quanto na solução de questões práticas e cotidianas. Na indústria, cria e aperfeiçoa materiais, produtos e processos. Atua, ainda, na área de física médica, desenvolvendo e aplicando tecnologias e equipamentos nucleares e radioativos para diagnóstico e tratamento. Para lecionar nos ensinos Fundamental e Médio é preciso cursar uma licenciatura.

 

Fique de Olho

DIFERENTES ENFOQUES PARA A FÍSICA

Há mais de 360 cursos de Física no país. A grande maioria é de licenciaturas. Entre as instituições que oferecem os bacharelados, algumas têm foco específico, como a USP-São Carlos (física computacional, teórico-experimental e óptica e fotônica), a UFRGS (astrofísica, materiais e nanotecnologia, física computacional e pesquisa básica) e a Unicamp (física médica e biomédica). Esta última também possui licenciatura integrada em Química/Física: o aluno cursa durante três anos matérias das duas áreas e, depois, opta por uma ou outra (mais dois anos) ou ambas. Há outras possibilidades, como linha de formação em Geofísica (PUCRS) e Física Biológica, que foca os processos físicos que regem os organismos vivos (Unesp, em são José do rio Preto). A USP de São Carlos oferece, ainda, o curso de Ciências Físicas e Biomoleculares, que forma para pesquisa, docência e desenvolvimento de tecnologias em indústrias farmacêuticas, biomédicas e agroindustriais.

FÍSICA MÉDICA

Algumas instituições de ensino oferecem especificamente o curso de Física Médica – é o caso de Centro Universitário Franciscano (RS), PUCRS, UFG, UFRJ, UFS, UFU (MG), Unesp (SP), Unicamp (SP), Unifeb (SP) e USP Ribeirão Preto. Radiologia diagnóstica, medicina nuclear e radioterapia são os maiores campos de atuação desses especialistas. Ele é responsável pelo dimensionamento de equipamentos, por procedimentos de segurança quanto à radiação – como a definição do tipo e do tamanho de blindagens e a calibragem das doses de radiação – e pela avaliação e supervisão do uso de equipamentos de imagem (tomógrafos e aparelhos de ressonância magnética, por exemplo).

O que você pode fazer

Acústica e vibração Desenvolver materiais isolantes e protótipos para as indústrias automobilística, aeronáutica e aeroespacial. Analisar níveis de ruídos.

Biofísica ou física biológica Estudar os aspectos físicos dos processos biológicos. Realizar simulações de comportamento de moléculas biológicas.

Ensino Lecionar nos ensinos Fundamental, Médio ou Superior. Atuar no desenvolvimento de material didático.

Física ambiental Estudar propriedades físicas da atmosfera relacionadas com as mudanças climáticas globais. Avaliar a degradação de solos e radioatividade.

Física computacional Aplicar os fundamentos da computação para solucionar problemas na área da física em diversos setores, como o automobilístico, o aeronáutico e o de telecomunicações.

Física médica ou biomédica Desenvolver e aplicar instrumentos e técnicas de diagnóstico e terapia.

Física nuclear Investigar a origem, evolução e estrutura da matéria nuclear. Pesquisar a aplicação da energia nuclear na produção de energia elétrica.

Instrumentação Criar equipamentos de precisão.

Magnetismo Utilizar a força magnética em suas diversas aplicações, como em aparelhos de gravação de dados e sistemas de amortecimento na indústria automobilística.

Materiais Desenvolver materiais para a indústria, como metálicos eletroeletrônicos e polímeros, e para aplicações diversas na área da tecnologia.

Oceanografia física Analisar as relações entre o mar, a atmosfera e a Terra, do ponto de vista físico.

Óptica Trabalhar na fabricação de lentes e dispositivos, desenvolvendo, por exemplo, equipamentos a laser.

Pesquisa Elaborar, testar e aplicar teorias científicas nas diversas áreas da Física.

Mercado de Trabalho

A regulamentação da profissão de físico, aprovada pelo senado Federal em 2016, deve expandir o mercado do bacharel. Até o fechamento desta edição, porém, o projeto aguardava nova apreciação na Câmara dos deputados para então seguir para sanção presidencial. A maior demanda pelo físico está na área da educação. Faltam professores de física em escolas privadas e públicas. A procura é grande em todo o país, especialmente no Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Recém-formados encontram espaço no mercado corporativo, em instituições financeiras, indústrias e departamentos de tecnologia da informação de grandes empresas. A Petrobras contrata para atuar em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias de prospecção e extração de petróleo. Na área de física médica, há demanda em radioterapia e medicina nuclear. A Comissão Nacional de Energia Nuclear exige que institutos e clínicas de medicina nuclear mantenham um físico responsável pelo controle de dosagem e pela proteção radiológica. Sul e Sudeste concentram as vagas em grandes empresas e na área acadêmica. O Nordeste oferece oportunidades em universidades federais.

Curso

Já no início, o currículo envolve muita matemática e física básica. A partir do segundo ano, há física avançada, eletromagnetismo, eletrostática, termodinâmica, astrofísica e muitos experimentos práticos. Para lecionar nos ensinos Fundamental e Médio é preciso cursar licenciatura (veja também o verbete Ciências Naturais e Exatas, no capítulo Ciências Biológicas e da Terra). Ao final, é obrigatória a apresentação de uma monografia, além da realização de estágio.

Duração média: 4 anos.

Outros nomes: Ciên. (fís.); Ciên. Fís. e Biomoleculares; Quím./Fís. (fís.).