Guia do Estudante

ENGENHARIA DE ENERGIA

Bacharelado

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É o ramo da engenharia que planeja, analisa e desenvolve sistemas de geração, transporte, transmissão, distribuição e utilização de energia. O engenheiro de energia lida com todas as formas de energia que compõem a matriz energética brasileira - seja ela renovável, como hídrica, solar, eólica ou de biomassa, seja não renovável, obtida de petróleo, carvão, gás natural ou material radioativo, como o urânio (usado em usinas nucleares). Na área pública, pesquisa e traça estratégias para o setor energético. Avalia as necessidades de uma região ou setor e desenvolve projetos econômica e socialmente viáveis, sempre buscando soluções seguras e sustentáveis, que não agridam o meio ambiente. Além disso, ele coordena programas de contenção e uso racional da energia. Seu campo fundamental de trabalho inclui empresas de projetos de engenharia, como Promon.

Mercado de Trabalho

Uma das prioridades do governo brasileiro é investir na geração de energia para atender à crescente demanda da indústria e evitar uma crise energética num futuro próximo. Isso aquece o mercado para esse engenheiro. O país tem potencial de crescimento não apenas no setor hidrelétrico, mas também na pesquisa e no desenvolvimento de tecnologias para a produção de energias alternativas. Os parques eólicos ganham expressão no Nordeste, particularmente em Pernambuco e no Ceará; a geração de energia de biomassa ainda é incipiente, porém promissora, no Paraná e Santa Catarina. Isso amplia o leque de oportunidades de trabalho. O coordenador do curso de Engenharia de Energia da Uergs, em Novo Hamburgo, Nei Marçal, salienta que o mercado de trabalho para este profissional não se restringe ao campo da produção. “O engenheiro de energia tem um papel fundamental na indústria, na busca de métodos de otimizar os sistemas de consumo de energia”, afirma o professor. “O grande desafio é aumentar a produtividade e ao mesmo tempo gastar menos energia.” As principais ofertas de emprego estão em estados de perfil industrial do Sudeste e do Sul do país.

Salário inicial: R$ 4.068,00 por 6 horas diárias (fonte: Crea-SP);

As melhores escolas

4 estrelas

MG Belo Horizonte PUC Minas;

3 estrelas

RS Bagé Unipampa Eng. de Energias Renováveis e de Amb. Novo Hamburgo Uergs;

Curso

As disciplinas básicas são matemática, física, informática e economia. Na parte específica, o curso aborda eletricidade, combustíveis, potenciais hidráulicos, energia solar e térmica. Os temas são abordados sempre considerando aspectos ambientais, sociais e econômicos. Legislação e normas que regulam o setor fazem parte do currículo. Estágio e trabalho de conclusão de curso são obrigatórios. Atenção: Alguns cursos focam em meio ambiente e em energias renováveis. A UFC oferece ênfase em Engenharia de Petróleo.

Duração média: cinco anos.

Outros nomes: Ciência e Tecnologia (eng. de energia); eng. Bioenergética; eng. de energias e Meio Amb.; eng. De energias renováveis; eng. de energias renováveis e de Amb.



O que você pode fazer

Diagnóstico

Avaliar, selecionar e implantar o melhor tipo de energia - entre renováveis e não renováveis - e as melhores condições de uso.

Planejamento energético

Planejar e coordenar o processo de implantação de usinas e analisar os impactos ambientais, sociais e econômicos relacionados ao local de instalação.

Desenvolvimento de tecnologia

Trabalhar no desenvolvimento e aproveitamento de novas tecnologias para geração, uso final do consumidor e para transformação de energia.

Otimização do consumo

Administrar e racionalizar o uso de energia nas indústrias, com o objetivo de reduzir os gastos.

Compartilhe