logo-ge

Museologia

O museólogo dedica-se à classificação, à conservação e à exposição de peças de valor histórico, artístico, cultural e científico

O museólogo dedica-se à classificação, à conservação e à exposição de peças de valor histórico, artístico, cultural e científico. Sua missão profissional é transmitir e divulgar conhecimento, desenvolvendo ações culturais sobre acervos. Ele planeja e executa tarefas de documentação, arquivamento e conservação de objetos e obras artísticas. Faz aquisições, administra coleções e promove intercâmbio de peças com outros museus ou empréstimos de colecionadores particulares. Atua no planejamento, na gestão, na execução e no acompanhamento de projetos e políticas públicas relacionados ao patrimônio histórico e cultural. Envolve-se, ainda, na organização de mostras e exposições, analisando a melhor forma de dispor e apresentar as peças, de acordo com as características do público e do local de instalação. Atua não apenas em museus, mas também em universidades, centros comunitários, galerias de arte, centros culturais e sítios arqueológicos.

O que você pode fazer

Ação cultural Articular conteúdos e temáticas tratados em exposições para públicos específicos, como estudantes ou idosos, buscando formas pedagógicas de apresentação do acervo ao público.

Ação documental Elaborar políticas de aquisição, cuidar da seleção de peças e da identificação de obras para o acervo. Promover intercâmbio com museus e outras instituições culturais, artísticas, históricas e científicas para trocas temporárias de obras. Tratar da documentação para a permuta de obras.

Catalogação Organizar o acervo, numerar e fotografar peças, produzir laudos técnicos. Controlar a entrada e a saída de peças, fazer a avaliação delas para efeito de empréstimo e auxiliar no processo de tombamento do acervo.

Conservação Avaliar a necessidade de restauração de peças e encaminhá-las para a conservação ou a recuperação. Monitorar as condições, principalmente ambientais, adequadas ao armazenamento, ao manuseio, ao transporte e à exposição do acervo.

Exposição Selecionar peças e informações relacionadas com os objetos apresentados nos circuitos expositivos e definir a melhor maneira de mostrá-las.

Memória empresarial Organizar acervos de empresas e instituições públicas. Pesquisar e recuperar documentos e a história da instituição.

Pesquisa Aprofundar-se em temas, períodos históricos, artistas ou obras que compõem acervos.

Mercado de Trabalho

Há mais de 3,2 mil museus no país, segundo o instituto Brasileiro de Museus (Ibram), e esse número tende a crescer graças a ações incentivadoras, como a Política Nacional de Museus, que tem como objetivo aumentar a visitação e a arrecadação, incentivar políticas de compra e preservação de acervos e, ainda, expandir o acesso às coleções, criando instituições em municípios pequenos, favelas, áreas quilombolas e indígenas. Essas iniciativas públicas têm trazido mais investimentos para o setor e ampliado a demanda pelo museólogo mesmo fora das grandes cidades. Ele é contratado, na maior parte das vezes, por meio de concurso público, para atuar na gestão de centros culturais, centros de memória e memoriais. A maior demanda continua sendo a área de preservação de obras e documentação. É boa a procura na área de memória institucional. O profissional atua em parceria com colegas de outras áreas, como História, Comunicação e Marketing, para fazer pesquisas e criar acervos sobre a história, a identidade e a trajetória de empresas. Um campo de trabalho recente são os museus virtuais. O Ibram já catalogou 23 deles. Também há museus físicos que colocam seus acervos à visitação na internet. Assim, o museólogo é contratado para selecionar o material que será publicado, as informações a respeito da obra e até o gerenciamento e atualização do site. Nesse caso, ele atua junto com especialistas em tecnologia, como desenvolvedores de sistemas, para criar e manter os museus virtuais. As cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro são as que mais oferecem vagas. Na Bahia e em Minas Gerais, o museólogo encontra boas ofertas na preservação do patrimônio histórico.

Curso

Algumas disciplinas da área das Ciências Humanas, como história da arte, história geral e do Brasil, oferecem conhecimentos para uma formação mais sólida. Há aula sobre conservação de acervos, documentação museológica e gestão de museus. Na parte prática do curso, o aluno aprende a construir maquetes, a montar exposições e a catalogar peças de acervo. A realização de estágios é obrigatória. E em algumas escolas também é preciso fazer uma monografia para a conclusão do curso.

Duração média: 4 anos.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado