Guia do Estudante

MEDICINA

Bacharelado

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É a ciência que investiga a natureza e as causas das doenças humanas, procurando sua cura e prevenção. A saúde humana é o objeto de estudo do médico. Ele pesquisa e trata disfunções e moléstias, escolhendo os melhores procedimentos para preveni-las e combatê-las. Para isso, tem de estar sempre bem informado a respeito de novas drogas e equipamentos que proporcionem aos pacientes os diagnósticos e os tratamentos mais avançados e eficientes. Com um conhecimento aprofundado dos órgãos, sistemas e aparelhos do corpo humano, faz diagnósticos, pede exames, prescreve medicamentos e realiza cirurgias. Participa também de programas de prevenção e de planejamento da saúde coletiva. Há trabalho para o médico em hospitais, clínicas, postos de saúde e empresas. Grande parte atua também em consultório próprio. Pode trabalhar ainda como consultor em sites especializados, voltados para o exercício da medicina.

 

Fique de olho

EXAME OBRIGATÓRIO EM SP

Desde 2012, os formandos dos cursos de Medicina de São Paulo devem fazer o exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) para obter o registro profissional. O candidato não precisa ser aprovado no exame, apenas fazer a prova, que é composta de 120 questões de múltipla escolha, de nove áreas: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Pediatria, Ginecologia, Obstetrícia, Saúde Mental, Epidemiologia, Ciências Básicas e Bioética. Em 2013, 59,2% dos recém-formados que prestaram o exame não atingiram o critério mínimo exigido pelo Cremesp, que é o acerto de 72 questões.

Mercado de Trabalho

Uma pesquisa realizada em 2013 pelo Instituto de Política Econômica Aplicada (Ipea), mostra que Medicina é a carreira que remunera melhor e a que apresenta a maior taxa de ocupação, com 91,8% dos profissionais trabalhando. Mas no Brasil, esse mercado se caracteriza pelo desequilíbrio regional: enquanto a população dos grandes centros urbanos conta com grande quantidade de médicos, localidades mais distantes, do interior do país, carecem desse profissional. Foi para tentar minimizar essa discrepância que o governo federal criou o Programa Mais Médicos, que contrata profissionais brasileiros e traz outros, estrangeiros, para trabalhar nessas regiões e na periferia das grandes cidades. Os grandes centros são atraentes porque oferecem salários mais altos e contam com melhor infraestrutura de atendimento, mas trabalhar no interior do país pode ser uma opção interessante para o médico iniciante. Faltam no interior do país especialistas em áreas como emergência, anestesia, neurologia e cirurgias de alta complexidade, principalmente para atuar pelo SUS (Sistema Único de Saúde). As chances de sucesso são maiores quando o médico se associa a um hospital ou integra o corpo clínico de um plano de saúde. Isso facilita a conquista de pacientes e livra o profissional dos altos custos de manutenção de um consultório particular.

As melhores escolas

5 estrelas

DF Brasília UnB. MG Belo Horizonte UFMG. PR Curitiba PUCPR, UFPR. Londrina UEL. RS Porto Alegre UFRGS. SP Botucatu Unesp. Campinas Unicamp. São Paulo Unifesp, USP.

4 estrelas

AM Manaus UEA, Ufam. BA Salvador UFBA. CE Fortaleza UFC. DF Taguatinga UCB-DF. GO Goiânia PUC Goiás, UFG. MG Belo Horizonte FCMMG. MS Campo Grande UFMS. MT Cuiabá UFMT. PA Belém UFPA. PE Recife UFPE 3. PR Curitiba Evangélica. Maringá UEM. RJ Niterói UFF. Rio de Janeiro Uerj, UFRJ. RN Natal UFRN. RS Caxias do Sul UCS. Pelotas UFPel. Porto Alegre PUCRS. Rio Grande Furg. Santa Maria UFSM. SC Florianópolis UFSC. SP Campinas PUC-Campinas. Marília Famema. Ribeirão Preto USP. Santo Sandré FMABC. São José do Rio Preto Famerp. São Paulo FCMSCSP. Sorocaba PUC-SP.

3 estrelas

AC Rio Branco Ufac. AL Maceió Ufal, Uncisal. AM Manaus UniNilton Lins. BA Ilhéus Uesc. Salvador Bahiana. Vitória da Conquista Uesb. CE Fortaleza Uece, Unifor-CE. Sobral UFC. DF Brasília ESCS, Faciplac. MA São Luís UFMA. MG Belo Horizonte Unifenas. Juiz de Fora UFJF. Uberaba UFTM. Uberlândia UFU. MS Campo Grande Universidade Anhanguera-Uniderp. Dourados UFGD. MT Cuiabá Unic. PA Belém Uepa. Santarém Uepa. PB Campina Grande FCM-Campina Grande. João Pessoa UFPB. PE Recife UPE. PI Teresina UFPI. PR Cascavel Unioeste. Maringá Fac. Ingá. RJ Petrópolis FMP-RJ. Rio de Janeiro Unirio. RO Porto velho Fac. São Lucas. RR Boa vista UFRR. RS Canoas Ulbra. Passo Fundo UPF. Pelotas UCPel. SC Blumenau Furb. Criciúma Unesc-SC. Itajaí Univali. Joaçaba Unoesc. Joinville Univille. Lages Uniplac. SE Aracaju UFS. SP Jundiaí FMJ. Ribeirão Preto Unaerp. Santos Unilus. São Carlos UFSCar.

Curso

O currículo é puxado, o período é integral e há seminários, pesquisas e plantões em hospitais. Nos dois primeiros anos, o aluno tem matérias básicas, como anatomia e patologia. Outras disciplinas são bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, fisiopatologia dos sinais e sintomas das doenças, entre outras. Boa parte das instituições de ensino oferece disciplinas práticas já no início do curso. Mas, lidar com pacientes, só a partir do terceiro ano, nas disciplinas profissionalizantes e no treinamento em atendimento. Os dois anos de residência médica, depois de formado, são para quem quiser obter uma especialização.

Duração média: 6 anos.

O que você pode fazer

Acupuntura

Aplicação de agulhas.

Alergia e Imunologia

Mecanismos de defesa do organismo.

Anestesiologia

Aplicação de anestésicos.

Angiologia e cirurgia vascular

Artérias e veias.

Cancerologia

Câncer.

Cardiologia

Coração.

Cirurgia

(Cardiovascular, de cabeça e pescoço, geral, do aparelho digestivo, pediátrica, plástica e torácica).

Clínica médica

Organismo em geral.

Coloproctologia

Aparelho digestivo final.

Dermatologia

Pele.

Endocrinologia e metabolia

Distúrbios hormonais e de metabolismo.

Gastroenterologia

Sistema digestório.

Genética médica

Doenças genéticas.

Geriatria e gerontologia

Moléstias do envelhecimento.

Ginecologia e obstetrícia

Aparelho reprodutor feminino, gravidez e parto.

Hematologia e Hemoterapia

Sangue, seu uso terapêutico ou de seus componentes.

Homeopatia

Clínica geral que utiliza medicamentos preparados com substâncias naturais.

Infectologia

Doenças infecciosas.

Mastologia

Glândulas mamárias.

Medicina da dor

Voltada para o tratamento da dor crônica.

Medicina Esportiva

Prevenir e tratar distúrbios originados de atividade esportiva. Dar orientação médica e acompanhar equipes e times.

Medicina geral e comunitária

Atuar na prevenção, na cura e na reabilitação de pacientes em conjunto com equipe multiprofissional (com enfermeiro, assistente social e psicólogo).

Medicina legal e perícia médica

Realizar autópsias, exames de DNA e de corpo de delito. Dar suporte à investigação de crimes.

Medicina paliativa

Oferece cuidados para aliviar a dor e o sofrimento de pacientes terminais.

Medicina sanitária

Desenvolver e aplicar programas de saúde pública. Prevenir a transmissão de doenças e prescrever tratamentos.

Medicina do sono

Trata dos distúrbios relacionados ao sono.

Medicina do trabalho

Prevenir e tratar doenças causadas pelo ambiente de trabalho ou por práticas profissionais.

Medicina tropical

Previne e trata doenças como malária, febre amarela, dengue e hanseníase.

Nefrologia

Moléstia dos rins.

Neurologia e neurofisiologia

Distúrbios do sistema nervoso.

Nutrologia

Nutrição.

Oftalmologia

Olhos.

Ortopedia e traumatologia

Ossos e músculos.

Otorrinolaringologia

Ouvido, nariz, boca e garganta.

Patologia e patologia clínica

Exames laboratoriais.

Pediatria

Crianças.

Pneumologia

Pulmões.

Psiquiatria

Doenças mentais.

Radiologia e diagnóstico por imagem

Exames radiológicos e diagnóstico por imagens.

Radioterapia

Tratamentos por radiação.

Reumatologia

Cartilagens e articulações.

Terapia Intensiva

Tratamento intensivo de pacientes.

Urologia

Vias urinárias.

Compartilhe