logo-ge

Audiovisual da USP decide adotar cotas e abolir prova específica

Serão 10% de vagas para estudantes de escola pública e 20% para autodeclarados pretos, pardos e indígenas, através do Sisu

O curso de Audiovisual da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) decidiu eliminar a prova de habilidades específicas e aderir ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) com 30% de suas vagas destinadas ao sistema de cotas. O Sisu utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na seleção.

Serão 10% para estudantes de escola pública e 20% para autodeclarados pretos, pardos e indígenas (PPI). Na ECA, os cursos de Educomunicação, Biblioteconomia, Editoração, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas já participam do Sisu.

No ano passado, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da universidade também decidiu abolir a prova específica e aderir ao Sisu com 30% das vagas.

Veja também

A USP no Sisu

De um total de 11.072 vagas, foram 2.338 oferecidas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Destas, 1.741 são destinadas à política de cotas (cerca de 75%), sendo 1.155 para estudantes de escola pública e 586 para estudantes de escola pública autodeclarados PPI. De 2015 para 2016, a USP aumentou em 849 vagas o oferecimento via Sisu, e a estimativa do Conselho é que o número cresça mais na próxima edição.

As 8.734 vagas restantes são oferecidas pelo vestibular tradicional da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), no qual 40.328 candidatos utilizaram o Programa de Inclusão Social da USP (Inclusp), que oferece bônus de até 25% na nota do vestibular para estudantes de escola pública.