logo-ge

Dicas dos campeões dos vestibulares para arrasar nas provas

Os três cursaram escola pública e complementaram os estudos durante o cursinho

Estar entre os primeiros colocados no vestibular não é uma tarefa fácil – pelo menos, não durante o difícil período de estudos pré-vestibular. A Feira Guia do Estudante recebeu em sua arena os estudantes Wagner de Oliveira Filho, primeiro colocado em Engenharia Aeronáutica na USP – São Carlos, João Vitor Silva Rodrigues, primeiro colocado no curso de Direito da USP e Diego Ohara Silva, primeiro lugar no curso de Medicina da USP. Os três cursaram escola pública e complementaram os estudos durante o cursinho.

Mas se você perdeu esse bate-papo, não tem problema. Reunimos aqui as principais perguntas feitas pelos estudantes da Arena e as respostas dos campeões.

Nem todos os estudantes conseguem se dedicar o tempo que deveriam aos estudos. Como lidar com isso?

Wagner: Tive uma rotina de estudos muito apertada, já que fazia o curso técnico de manhã, e um estágio obrigatório à tarde. Só me sobrava a noite para fazer o cursinho. Por isso, comecei a prestar muito mais atenções nas aulas e usar o sábado como um dia para correr atrás do conteúdo atrasado.

Diego: Acho que na hora dos estudos, vale priorizar aquilo que você não sabe tanto. Se tem mais dificuldade em química, estude mais química. Outra dica é não se perder muito na culpa do conteúdo atrasado. Se atrasou demais com as matérias, largue mão delas e siga com os outros conteúdos para não acumular tanto.

Wagner:
Uma dica é ficar de olho nos gráficos de porcentagem de questão por prova. Tem vários deles na internet, principalmente sobre o Enem, assim você consegue entender melhor o que cai mais. Por exemplo, se 10% das questões da prova foram sobre geometria plana e 3% de matriz, vale estudar mais geometria e otimizar seu tempo.

Fazer rascunho na redação ajuda ou atrapalha?

João Vitor: Não recomendo deixar de fazer rascunho, mas às vezes a gente não consegue.

Wagner: Eu não recomendo. Quanto tentei não fazer rascunho, acabei perdendo pontos com coisas ridículas, como questões de coerência e erros ortográficos. É importante que o candidato saiba dividir bem o seu tempo.

Diego: Não recomendo deixar de fazer rascunho, mas às vezes a gente não consegue mesmo. No Enem não consegui, então decidi priorizar outras coisas e acabei fazendo o texto direto no papel.

Quais são a principais técnicas de estudo de vocês?

Diego: Depende da matéria. Mas, em geral, acho que em humanas vale a pena prestar muita atenção na aula e só pegar pra estudar aqueles pontos que você considera mais importantes. Em exatas, vale apostar nos exercícios, porque ninguém aprende exatas só de olhar. E biológicas, é legal juntar um pouco dos dois: dar uma lida mais geral, e fazer também alguns exercícios.

João Vitor: Vale investir no que dá certo para cada pessoa. Eu, por exemplo, fixo alguns conteúdos pela repetição. Então, em biologia, por exemplo, eu repetia os conteúdos por escrito diversas vezes até decorar.

Wagner: Se você observar bem, todos os anos os exercícios para vestibular são muito repetidos. Por isso, fazer exercícios vai ajudar muito. Todo ano são os mesmos exercícios, só que contextualizados de outra maneira.

Qual a principal dica de sucesso para as provas?

João Vitor: Aprender a desenvolver a calma e a tranquilidade, durante os estudos e na hora da prova.

Wagner: Priorize seu corpo. Não se puxe além dos seus limites e se concentre naquilo que você quer fazer de verdade, sem pensar nas carreiras que dão mais dinheiro. É isso que vai te dar motivação na hora de estudar.

Diego: O maior desafio a ser vencido é você mesmo. Não se preocupe com o que os outros candidatos estão fazendo, mas busque dar o melhor de si nos estudos e nas provas.