logo-ge

Revista 'Economist' aponta crescimento 'explosivo' de universidades privadas no Brasil

Reportagem da revista britânica afirma, no entanto, que essas instituições terão de investir em tecnologia se quiserem manter a qualidade

A revista inglesa "The Economist" desta semana traz uma reportagem sobre o cenário do ensino superior no Brasil.

Ela afirma que os estudantes nas universidades públicas brasileiras "ainda são mais brancos e mais ricos que a média". No entanto, "um crescimento explosivo em universidades particulares, com fins lucrativos, está finalmente abrindo a educação superior", completa.

– Leia a reportagem, em inglês

A revista usa dados de 2010, que apontam que apenas um décimo das cerca de 2,4 mil universidades no Brasil eram públicas e três quartos eram privadas e com fins lucrativos.

No entanto, o fato de essas instituições privadas nem sempre terem a qualidade das públicas não é ignorado. ‘Nenhuma das instituições com fins lucrativos tem o prestígio ou os recursos das melhores universidades públicas, como a Universidade de São Paulo, estrela solitária da América Latina em rankings internacionais’, diz o texto. "Algumas são pouco mais que fábricas de diplomas de qualidade duvidosa".

Mas uma ressalva é feita. Citando um especialista do Banco Mundial, a revista diz que "uma qualificação em uma das líderes pode dobrar o salário de um jovem".

Segundo a reportagem, essas faculdades terão de investir em tecnologia se quiserem melhorar a qualidade, cortar custos, manter seus estudantes e atrair outros.

 

LEIA MAIS:

– Notícias de vestibular e Enem