logo-ge

Salário e formação de professores serão as principais metas do novo Plano Nacional de Educação

Plano quer valorizar professores da educação básica e garantir colaboração entre União e municípios

O ministro da Educação Fernando Haddad afirmou ontem (13) que as principais metas do novo Plano Nacional de Educação (PNE) estão relacionadas ao salário e à formação de professores.

O PNE, cujas metas devem ser alcançadas até 2020, traz dois tópicos para formação dos educadores: colaboração entre a União e todos os estados e municípios, com garantia de que todos os professores da educação básica passem a ter formação superior; e a diplomação de 50% destes profissionais em nível de pós-graduação.

Sobre a remuneração, o plano prevê a existência de planos de carreira para todos os profissionais e a valorização do professor de educação básica, para que seu rendimento médio se aproxime daquele do profissional de outros níveis.

"Sabemos que o magistério brasileiro tem uma remuneração que é 60% da média das demais profissões com nível superior. Se quisermos valorizar a educação, não há como dissociar a modernização da educação da valorização daqueles que são responsáveis pela educação", disse o ministro.

– Gasto total do PNE deve ser de 80 bilhões de reais, afirma ministro da Educação

– Presidente Lula e ministro da Educação apresentam novo PNE 

O ministro também alertou para o fato de que os municípios precisam se mobilizar e debater os planos em âmbito local, afim de facilitar a implementação dos projetos.

Plano Nacional de Educação

O PNE, previsto em lei desde 2001, é um direcionamento para os governos federal, estaduais e municipais para a melhoria da educação brasileira. Ele é um complemento das orientações e diretrizes ditadas pela Lei de Diretrizes e Bases. O PNE estabelece metas qualitativas e quantitativas gerias, a serem alcançadas gradativamente, em dez anos.*com informações da Agência Brasil

LEIA TAMBÉM

– Notícias de vestibular e Enem