logo-ge

USP e PUC-Rio são as melhores em Ciências Sociais e Humanas

Prêmio Melhores Universidades 2016: veja as instituições que possuem os melhores cursos na área

Melhor universidade pública: USP

Cursos da área de Ciências Sociais e Humanas da USP estimulam o espírito crítico dos alunos

Criada em 1934, a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) é o principal centro de estudos em Humanidades do país. Localizada na Cidade Universitária da USP, nela são ministradas as aulas dos bacharelados em Geografia, História, Ciências Sociais, Filosofia, Letras e Linguística. O curso de Letras oferece 16 habilitações diferentes aos alunos, dentre elas armênio e coreano, únicas no Brasil.

sociais-e-humanasO corpo docente da Faculdade é formado por 484 professores, quase todos doutores em regime de dedicação integral e exclusiva. É forte também a atuação em pesquisa e extensão, com 398 programas de iniciação científica em andamento e seis mil alunos estudando nos 250 cursos extracurriculares ofertados atualmente.

A infraestrutura também colabora para que a FFLCH seja uma referência no país. Uma biblioteca com mais de 600 mil títulos em acervo, além de um banco de dados informatizado com referências e textos completos, auxiliam os alunos nas pesquisas. “Temos também salas de aulas multifuncionais que podem ser utilizadas como pequenos e médios auditórios”, destaca o diretor Sérgio Adorno. Não é à toa que, diariamente, acontecem palestras e discussões dos mais variados temas, muitas vezes organizadas pelos alunos e, geralmente, abertas ao público. “A FFLCH tem como papel fundamental não apenas a formação humanística, mas também a formação de cidadãos dotados de espírito crítico, abertos ao debate de ideias, sensíveis aos valores democráticos e comprometidos com a construção de uma sociedade mais justa”, define o professor Adorno.

Direito

Outro curso da USP agraciado com cinco estrelas na Avaliação de Cursos Superiores do Guia do Estudante é o bacharelado em Direito, cujas aulas ocorrem na tradicional Faculdade de Direito, no Largo de São Francisco, no centro de São Paulo. Uma das mais antigas em atividade no país, a “Sanfran”, como é conhecida pelos alunos, já formou algumas personalidades, como os escritores Álvares de Azevedo e Castro Alves e o ex-presidente Jânio Quadros. Segundo o diretor José Rogério Cruz e Tucci, a prioridade hoje é a reforma curricular. “Queremos diminuir a carga horária das disciplinas em sala de aula e aumentar o espaço destinado à pesquisa”, conta.

Educação

Já a Faculdade de Educação (Feusp), além de ser responsável pela licenciatura em Pedagogia, oferece disciplinas pedagógicas para as demais licenciaturas da universidade. Dividida em três diferentes departamentos – Administração Escolar e Economia da Educação; Filosofia da Educação e Ciências da Educação; e Metodologia do Ensino e Educação Comparada –, a Feusp desenvolve 16 programas de extensão e tem 18 grupos de pesquisa em atividade, com temas que envolvem de alfabetização e letramento a psicanálise e educação.

Relações Internacionais

Por fim, o bacharelado em Relações Internacionais, único curso do Instituto de Relações Internacionais (IRI), se diferencia ao oferecer um semestre inteiro aos alunos só de seminários. Por meio da disciplina “Temas e Práticas em Relações Internacionais”, são realizadas semanalmente palestras seguidas de debates, cujos convidados são profissionais de destaque no mercado de trabalho.

Melhor universidade privada: PUC-Rio

Com o objetivo de preparar professores para o ensino básico, PUC-Rio destina bolsas para quem opta por essa formação

Edifício da Amizade, que concentra parte dos cursos da área de Ciências Sociais e Humanas (crédito: Raul Guilherme/PUC-Rio)

Edifício da Amizade, que concentra parte dos cursos da área de Ciências Sociais e Humanas (crédito: Raul Guilherme/PUC-Rio)

Cerca de metade dos alunos da graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) está nos cursos da área de Ciências Sociais e Humanas, que figuram entre os mais antigos da universidade, iniciados na década de 1940. Os docentes dessas graduações são, em sua maioria, doutores e pesquisadores com alto índice de publicações científicas, e todos os que dão aula nos programas de mestrado e doutorado também lecionam na graduação. Assim, não faltam incentivos para que os graduandos se iniciem na pesquisa desde os primeiros anos.

 

Relações Internacionais, por exemplo, é o mais jovem entre os cursos da área. Formou sua primeira turma há apenas 10 anos, em 2006, mas segue na forte tradição de incentivo à pesquisa. Embora o graduando seja preparado para atuar em instituições públicas, não governamentais e mesmo em empresas privadas, ele tem diversas oportunidades para desenvolver pesquisa, além da iniciação científica. Isso porque o departamento possui uma importante parceria com a prefeitura do Rio de Janeiro no projeto BRICS Policy Center/Centro de Estudos e Pesquisas – BRICS, sigla que designa os chamados países emergentes – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O projeto promove o desenvolvimento de pesquisas e indicadores que podem influenciar a criação de políticas públicas e envolve, em todos os estudos, um time formado por docentes, pós-graduandos e graduandos estagiários em parceria com outros grupos e instituições estrangeiras.

Incentivo à licenciatura

A PUC-Rio também tem investido na formação de professores para o Ensino Básico. Os alunos que optam por seguir a licenciatura nos cursos que oferecem essa formação, como Filosofia, História, Geografia, Letras e Ciências Sociais, são elegíveis a uma bolsa do programa Pró-Licenciatura, concedida pela Vice-Reitoria Acadêmica. “Temos oito bolsas de 100% da mensalidade em cada curso para aqueles que escolhem licenciatura”, conta o professor Edgar de Brito Lyra Netto, coordenador da graduação em Filosofia. São selecionados os alunos que tiveram os melhores desempenhos no processo de ingresso na universidade – são quatro bolsas destinadas aos primeiros classificados via vestibular e outras quatro para os ingressantes pelo Enem. Se um dos cursos não preencher sua cota de oito alunos bolsistas, outra licenciatura poderá utilizar essas bolsas.

Além desse programa interno de bolsas, desde 2012 a PUC-Rio faz parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão ligado ao Ministério da Educação. Por meio dele, alunos das licenciaturas de Ciências Sociais, História, Geografia, Filosofia, Letras e Pedagogia participam de projetos de iniciação à docência em parceria com escolas de educação básica da rede pública, recebendo uma bolsa para desenvolver atividades didático-pedagógicas, sob orientação de um docente de seu curso superior e de um professor da escola.

Infraestrutura para estudo

A universidade oferece boas instalações físicas para o estudo. “Temos uma boa biblioteca central e outras menores nos departamentos. Toda a verba para a compra de livros é deliberada junto aos alunos para a escolha das obras”, diz Lyra Netto. A biblioteca também é equipada com computadores e salas de estudo, onde os alunos podem estudar sozinhos ou em grupo.
A proximidade dos departamentos dos cursos da área de Ciências Sociais e Humanas permite ainda que os alunos façam disciplinas optativas de seu interesse em outras graduações.