logo-ge

Vídeo de reação a bullying faz sucesso na internet

Segundo o pai do garoto, ele vinha sofrendo agressões há anos; vídeo fez sucesso por remeter ao clássico Street Fighter

O estudante australiano Casey Heynes, de 16 anos, tornou-se sensação na web ontem à tarde. Ele é o “protagonista” do vídeo “Zangief Kid”, postado no YouTube. A gravação, feita por um colega de Heynes no pátio da escola, é o registro de uma briga entre dois estudantes da Chifley College Dunheved Campus, em Sydney, na Austrália.

– CNJ lança cartilha sobre bullying

No vídeo, um garoto franzino de 12 anos faz agressões físicas e verbais contra Heynes, segurando-o pelo pescoço e dando murros em seu rosto sucessivamente. Enquanto isso, quatro colegas acompanham o embate dos dois sem interromper a luta. Irritado, Heynes reage levantando o agressor em seus braços para jogá-lo no chão em seguida. Na queda, o menino de 12 anos bate o tornozelo em um degrau e se afasta reclamando de dor.

– Você pratica ou é vítima de bullying? Faça o teste

Piadas e comparações entre Heynes e o lutador Zangief do jogo de videogame Street Fighter ganharam as redes sociais. Isso porque o garoto aplica um golpe similar ao do lutador do jogo, conhecido como “pilão”. O termo “Zangief” está nos Trending Topics Brasil do twitter desde ontem. O vídeo foi amplamente divulgado no Facebook e recebeu diversos comentários favoráveis à reação de Casey, que aparentemente virou um ícone para muita gente que sofreu bullying em algum momento da vida escolar. Mas e quanto à violência?

– – Rio Grande do Sul quer criar pacote de medidas ‘antibullying’

A escola suspendeu por quatro dias os dois estudantes que protagonizaram a briga e declara que nenhuma atitude violenta por parte dos alunos merece tolerância. O pai de Heynes contou que ele vem sofrendo bullying há anos e reagiu de maneira agressiva, mas reforça que o filho nunca teve atitudes violentas antes. Ele teme represálias contra Heynes por causa da briga e lamenta que nem todos os pais eduquem os filhos para evitar esse tipo de conflito.

O YouTube tenta retirar o vídeo do ar por causa de seu conteúdo violento. Mas são inúmeras as versões são postadas com nomes diferentes para burlar as normas do site.

*Com informações do Herald Sun

LEIA TAMBÉM

– Notícias de vestibular e Enem