Guia do Estudante

Vestibular

Ciências sem Fronteiras exigirá nível menor de conhecimento em inglês

Decisão foi tomada após alto índice de reprovação dos candidatos em testes de proeficiência

da redação | 08/02/2013 14h 1

O governo brasileiro irá reduzir as exigências de conhecimentos em inglês dos estudantes que concorrem a uma bolsa do Ciências sem Fronteiras por conta do alto nível de reprovação dos candidatos. Das 4 mil bolsas oferecidas pelo programa na Grã-Bretanha, apenas 1,8 mil foram preenchidas por falta de candidatos com inglês satisfatório. A mudança irá atingir o edital dos estudantes que participaram do último processo seletivo, cujas inscrições terminaram em 25 de janeiro.

- Governo anuncia exame de inglês de graça para Ciências sem Fronteiras

- Universidades britânicas esperam receber 10 mil brasileiros nos próximos quatro anos

- Ciência sem Fronteiras já concedeu 18 mil bolsas de estudo

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) determinaram a redução da pontuação mínima exigida no Toefl e no Ielts na retificação do edital. Antes a exigência era 5,5 pontos em cada categoria do Academic - International English Language Testing System (Ielts) - audição, leitura, escrita e fala - ou pontuação geral de 79 para o Test of English as a Foreign Language (Toefl) nas modalidades IBT (Internet Based Test). Para cada categoria, o mínimo exigido era 17 pontos em audição, 18 em leitura, 17 em escrita e 20 em fala.

Agora, os candidatos que obtiverem pontuações inferiores poderão ser selecionados se atenderem a todos os demais requisitos. O mínimo exigido é 5,5 em duas das quatro modalidades do Ielts e 4,5 nas demais. No Toefl, o candidato deverá ter um mínimo de 9 pontos em audição, 4 pontos em leitura, 13 em escrita e 16 em fala.

Curso de inglês

Para ajudar os estudantes com dificuldades em inglês, o governo oferecerá um curso de seis meses, a critério da Capes, CNPq e das Universities UK. Após o curso, os estudantes deverão fazer um novo teste de proficiência antes de iniciar as atividades acadêmicas e deverão obter a pontuação determinada no primeiro edital. Aqueles que não atenderem a tais determinações deverão obrigatoriamente retornar ao Brasil.

Outra iniciativa é o Programa Inglês sem Fronteiras, que auxiliará os candidatos do Programa Ciência sem Fronteiras a garantir bolsas em universidades no exterior. A primeira etapa do programa oferecerá 100 mil bolsas de curso de inglês online a estudantes de cursos de graduação, independentemente da área de formação. A expectativa é aplicar 500 mil testes de nivelamento de proficiência em língua inglesa até 2014.

Aos estudantes que pleiteiam uma vaga no Ciência sem Fronteiras e tiraram mais de 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o curso será presencial. Poderão participar alunos da rede pública e privada.

*Com informações da Agência Brasil e da Agência Estado

LEIA MAIS

- Notícias de vestibular e Enem

Compartilhe