Guia do Estudante

Enem

Como estudar Química para a prova do Enem?

Veja quais são os temas mais recorrentes e como se preparar

Ana Prado | 27/09/2013 13h 26

- Saiba quais são os temas mais cobrados no Enem

- Saiba tudo sobre o Enem: dicas, simulados e muito mais!

Os temas mais recorrentes

Os assuntos que mais aparecem nas questões do Enem desde 2009
Estequiometria
Termoquímica
Pilha e eletrólise
Oxidação
Equilíbrios químicos
pH
Funções orgânicas
Para o professor e supervisor de química do curso Anglo, João Usberco, as questões de química no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) são bem contextualizadas e abordam temas clássicos.

"De 2009 para cá, a prova no geral tem ficado mais parecida com um vestibular, trazendo questões que cobram mais conteúdo. O aluno precisa fazer uma boa leitura e ter alguns conhecimentos prévios do ensino médio", completa.

Ele diz que o tema mais cobrado - e que provavelmente cairá de novo em 2012 - é cálculo estequiométrico.

Em segundo lugar vem termoquímica, geralmente pedindo o cálculo da quantidade de calor liberado na queima de diferentes materiais, como combustíveis. Muitas vezes as perguntas relacionam os dois temas.

Exemplos: questões tirada do Enem 2010

Em seguida, aparecem pilha e eletrólise, em questões que pedem para o aluno calcular o potencial de uma pilha. Oxidação também teve ocorrência, com o pedido para que se indicasse as substâncias que oxidam e reduzem.

Outro assunto muito presente são os equilíbrios químicos, relacionando o deslocamento de equilíbrio e concentração de reagente.

O tema acidez, neutralidade ou alcalinidade de uma solução aquosa (pH) também aparece, especialmente em questões envolvendo chuva ácida e efeito estufa. O professor, no entanto, afirma que o Enem geralmente cobra mais conceitos do que cálculos.

Em química orgânica, o que tem sido pedido e, segundo Usberco, é fundamental que se saiba, é o reconhecimento das funções orgânicas. "Também considero provável aparecer isomeria plana e espacial, reações envolvendo álcoois e tipos de polimerização. Isso não foi explorado ainda e tem grandes chances de aparecer", completa.

Como se preparar

Para esse tipo de conteúdo, não tem jeito: é preciso ter o conhecimento prévio adquirido no Ensino Médio. "O nível de profundidade não é muito grande, mas é fundamental ter conceitos básicos. Não tem jeito de deduzir essas coisas. O aluno precisa saber identificar quais funções orgânicas existem em certo composto, ou saber o que é excesso e pureza, por exemplo.", diz o professor.

A melhor forma de estudar química, segundo ele, é resolvendo exercícios para entender os conceitos. Sem tentar decorar.

Na hora de resolver a prova, a dica é: leia a pergunta antes e só depois vá para o texto, sublinhando os conceitos mais importantes. "Às vezes eles trazem tantas informações desnecessárias que o aluno acaba se perdendo.", afirma Usberco.

Compartilhe