Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Chile decide acabar com Constituição de Pinochet

Segundo o resultado das urnas, 78% dos eleitores votaram por nova Constituição. Entenda os motivos

Por Alexandre de Melo Atualizado em 26 out 2020, 16h25 - Publicado em 26 out 2020, 11h08

Depois de pouco mais de um ano de protestos no Chile, um plebiscito histórico foi convocado e o povo foi em massa às ruas neste domingo (25) para decidir se quer ou não uma nova Constituição.

Com 99,85% dos votos contabilizados, o resultado do plebiscito deu a vitória do “aprovo” a nova Constituição, por 78,27%, contra 21,73% do “rejeito”. É o fim da Constituição vigente, uma herança da ditadura de Augusto Pinochet.

Ainda no dia do plebiscito, às 21h25, o presidente Sebastián Piñera declarou que faria de tudo para “impulsionar uma nova Constituição em que estejam refletidos os valores e princípios que marcam a alma da nossa sociedade, que reconheça e proteja os cidadãos de abusos e de discriminações, que reforce o Estado de Direito, a Justiça e igualdade”

  • Na praça Itália, recentemente rebatizada de praça Dignidade, onde as pessoas costumam se reunir para comemorações e manifestações, uma multidão festejou antes mesmo do pronunciamento oficial. Antes, um grupo de manifestantes e policiais chegaram a se enfrentar.

    Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro, que é recordista em aprovações na Medicina da USP Pinheiros.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade