Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Ministro da Educação volta a criticar Paulo Freire

Em entrevista, ele questionou o reconhecimento internacional do educador

Por Taís Ilhéu Atualizado em 2 ago 2019, 11h22 - Publicado em 2 ago 2019, 11h19

Mais uma vez, o ministro da Educação Abraham Weintraub criticou em entrevista (e depois nas redes sociais) Paulo Freire, educador e patrono da educação no Brasil. Ele afirmou que: “Se o Paulo Freire fosse tão bom, ia ter mais um país usando o método dele” e diminuiu a importância do título de doutor honoris causa recebido por Freire em Harvard. 

Mas não foi só Harvard que concedeu esse título a Freire. Independente da área, ele é o brasileiro que mais recebeu honoris causa em universidades pelo mundo: foram ao menos 35 universidades brasileiras e estrangeiras. 

  • Segundo uma pesquisa feita em 2016 pelo especialista em estudos sobre desenvolvimento e aprendizagem Elliott Green, professor da London School of Economics, o livro Pedagogia do Oprimido, um dos mais célebres publicados pelo educador, é o terceiro mais citado no mundo em trabalhos na área de humanidades. 

    Ao contrário do que afirma Weintraub, a metodologia de Paulo Freire é aplicada e estudada em países com educação de alto nível, como a Finlândia, que tem um centro especializado para discutir as obras do educador. Existem centros semelhantes na  África do Sul, Áustria, Alemanha, Holanda, Portugal, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá.

    Continua após a publicidade
    Publicidade