Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

China apela para os drones para evitar as colas no vestibular

Por Tânia Vinhas Atualizado em 24 fev 2017, 15h20 - Publicado em 16 jul 2015, 23h13

droneFoto: Don McCullough / creative commons

Quem já colou ou já tentou colar alguma vez na vida provavelmente conhece a tensão e os olhares furtivos ao professor para pegar o momento certo em que ele não estiver observando. Pois na China a coisa ficou bem mais complicada: além de se preocupar com o fiscal da prova, agora o céu está vigiando. Ou melhor, os drones.

Durante a aplicação do vestibular “gaokao”, vulgo o “maior exame do mundo”, mais de 9 milhões de chineses da cidade de Luoyang enfrentaram a dificuldade do teste, a pressão da família e o stress de ser vigiado por policiais e câmeras voadoras.

O concorridíssimo gaokao aconteceu no começo de junho e a ideia veio do Ministério da Educação do país, que prometeu combater qualquer tipo de comunicação sem fio e redes criminosas que fraudam as provas. As pessoas que obtiverem os melhores resultados poderão ingressar em universidades de prestígio, como a de Tsinghua e a de Pequim, na capital, ou ainda nas de Fudan e Jiaotong de Xangai – por isso é tão comum encontrar pais que burlam a lei e pagam fortunas para garantir a aprovação dos filhos.

Os drones utilizados conseguem detectar as comunicações entre candidatos que vierem a utilizar aparelhos de transmissão dentro da sala de exame, eliminando na hora qualquer um que tente colar.

Você acha exagero ou acha correto utilizar essa tecnologia para combater a cola no vestibular?

Continua após a publicidade
Publicidade