Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês
Atualidades no Vestibular Por Blog Acompanhar as notícias - e compreendê-las - é fundamental para quem vai prestar o vestibular. Veja aqui resumos semanais e análises dos acontecimentos mais importantes da semana.

As notícias da semana de 26 de maio

Por Redação Atualizado em 24 fev 2017, 15h44 - Publicado em 30 Maio 2014, 16h55

Por Caroline Marino

Veja o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana.

joaquim barbosa 2
Antonio Cruz/Agência Brasil

Ministro Joaquim Barbosa anuncia aposentadoria

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, comunicou nesta quinta-feira (29) ao plenário da Corte que decidiu se aposentar no final de junho. Seu mandato como presidente da Corte terminaria em novembro próximo. “Eu decidi me afastar do Supremo Tribunal Federal no final deste semestre, no final de junho. Afasto-me não apenas da presidência, mas do cargo de ministro. Requererei meu afastamento do serviço público após quase 41 anos”, anunciou Barbosa durante a abertura de sessão.

O ministro se afasta do serviço público após quase 41 anos. “Tive a felicidade, a satisfação e a alegria de compor esta Corte, no que é talvez o seu momento mais fecundo, de maior criatividade e de importância no cenário político-institucional do nosso país. Sinto-me deveras honrado de ter feito parte deste colegiado e ter convivido com diversas composições”, afirmou.


Dilma perde posições na lista de poderosos da Forbes

A presidente Dilma Rousseff caiu duas posições na lista das cem mulheres mais poderosas do mundo feita pela revista norte-americana Forbes, divulgada nesta quarta-feira (28). Porém, ela continua no top 5 ocupando a quarta posição. Na lista do ano passado, Dilma havia ficado na 2ª posição, atrás apenas da própria Merkel. A chanceler alemã, Angela Merkel, lidera pela nona vez a lista. Junto a Merkel estão no pódio duas americanas: a economista Janet Yellen, que tomou as rédeas do Federal Reserve em fevereiro, e a filantropa Melinda Gates, que comanda junto com seu marido a Fundação Bill e Melinda Gates.

Continua após a publicidade

Em quinto lugar aparece a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), a francesa Christine Lagarde, na frente da ex-secretária de Estado Hillary Clinton (6), a responsável da General Motors, Mary Barra (7), a primeira-dama dos EUA, Michelle Obama (8), Sheryl Sandberg (9), do Facebook, e Virgínia Rometty (10), da IBM.

BC mantém taxa Selic em 11%

Depois de nove aumentos consecutivos, o Banco Central (BC) interrompeu o ciclo de aperto monetário. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 11% ao ano. É a primeira vez em 13 meses em que o Copom deixou de reajustar os juros básicos. Apesar da manutenção, a taxa Selic permanece no maior nível desde novembro de 2011, quando também estava em 11% ao ano.

Em nota divulgada logo após a reunião, o Banco Central afirmou que a “evolução do cenário macroeconômico e as perspectivas para a inflação permitiram, neste momento, manter a taxa Selic em 11% ao ano”. Votaram por essa decisão o presidente do BC, Alexandre Tombini, e os diretores Aldo Luiz Mendes, Altamir Lopes, Anthero de Moraes Meirelles, Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo, Luiz Awazu Pereira da Silva, Luiz Edson Feltrim e Sidnei Corrêa Marques.


Mensagem de Joana Havelange causa polêmica

Joana Havelange, integrante do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL) e filha do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebo (CBF) Ricardo Teixeira, causou polêmica esta semana ao compartilhar uma mensagem nas redes sociais. O texto dizia, entre outras coisas: O que tinha que ser gasto, roubado, já foi. Se fosse para protestar, que tivesse sido feito antes”. Ela fez o compartilhamento ao criticar manifestações contrárias à realização da Copa do Mundo no Brasil.

Procurado, o COL afirmou que não vai se manifestar por tratar-se de uma publicação feita na conta pessoal de Joana.

 

Continua após a publicidade
Publicidade