logo-ge

Coreia do Norte lança míssil e ameaça os EUA; veja mais notícias

Veja os destaques do noticiário internacional da semana de 6/11 para quem vai prestar vestibular. Todas as informações são da Agência Brasil

Coreia do Norte lança míssil; Trump cobra verbas para a segurança

Televisão sul coreana reage a lançamento de foguete da Coreia do Norte, em fevereiro

Televisão sul coreana reage a lançamento de foguete da Coreia do Norte, em fevereiro (Han Myung-Gu/Getty Images)

A Coreia do Norte informou na quarta-feira (29) ter testado com sucesso um novo míssil balístico intercontinental (ICBM), nas proximidades do Japão, que coloca toda a área continental dos Estados Unidos ao alcance de suas armas nucleares. A informação é da Reuters. O primeiro teste de um míssil norte-coreano desde setembro vem uma semana depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, recolocar a Coreia de Norte em uma lista de países que, afirma Washington, apoiam o terrorismo, permitindo a imposição de novas sanções aos norte-coreanos.

Pelo Twitter, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu a liberação de financiamento para a área de segurança. “Depois do lançamento dos mísseis da Coréia do Norte, é mais importante do que nunca financiar nossos militares”, escreveu Trump.

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, disse que a Coreia do Norte será totalmente destruída se ocorrer uma guerra. Haley participou de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, na quarta-feira, depois do lançamento do míssil. “Nós nunca buscamos guerra com a Coreia do Norte e, ainda hoje, não a buscamos. Se ocorrer uma guerra, será por causa dos atos de agressão contínuos, como o que testemunhamos ontem”, disse Haley. A reunião foi convocada pelos Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.

Veja também

Ex-membros do governo da Catalunha comparecem à Suprema Corte

 

Oito ex-membros do gabinete da Catalunha, atualmente detidos enquanto aguardam julgamento, comparecerão à Suprema Corte nesta sexta-feira (1º), após solicitarem sua liberação antes de uma eleição regional que acontecerá no dia 21 de dezembro, desencadeada por um contestado referendo de independência.

O vice-presidente destituído da Catalunha, Oriol Junqueras, um dos principais candidatos do partido Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) para a eleição, pediu autorização para deixar a cadeia para fazer campanha para a votação convocada pela Espanha.

O referendo do dia 1º de outubro, considerado inconstitucional por Madri, e a subsequente proclamação de independência da rica região arrastou a Espanha para a pior crise política em décadas e levou o governo central a impor controle direto sobre a Catalunha.

Veja também

Reconstrução da Síria vai custar US$ 250 bilhões; governo participará de diálogo de paz

A cidade de Jarablus, na Síria, destruída após ataques do Estado Islâmico, em 2016

A cidade de Jarablus, na Síria, destruída após ataques do Estado Islâmico, em 2016 (Defne Karadeniz//Coreia do Norte lança míssil e ameaça os EUA; veja mais notícias/iStock)

A reconstrução da Síria custará pelo menos US$ 250 bilhões, disse Staffan de Mistura, enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para o país. Ele informou aos Estados-membros do Conselho de Segurança da ONU que a guerra dos últimos seis anos obrigou metade da população síria a fugir das suas casas.

A delegação do governo da Síria participa da oitava rodada do diálogo de paz com a oposição, em Genebra, na Suíça. A informação é da Agência EFE. A oposição síria, pela primeira vez unificada e liderada por Nasser Hariri, reiterou sua exigência de que Assad não permaneça no poder assim que for iniciada uma transição política no país árabe.

Nicolás Maduro será candidato à presidência em 2018 na Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, buscará a reeleição para o cargo nas eleições que devem ser realizadas antes do fim de seu mandato, em 2018. A confirmação da candidatura anunciada pelo vice-presidente do país, Tareck El Aissami, durante um evento do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) realizado no estado de Aragua, como parte da campanha para o pleito municipal de 10 de dezembro. A informação é da agência EFE.

“Temos já 18 governadores. Vamos ter em breve a maioria das prefeituras. Já temos a Assembleia Nacional Constituinte e vamos ter, com a ajuda de Deus e do povo, a reeleição do nosso irmão Nicolás Maduro como presidente da República”, disse o ex-governador de Aragua El Aissami.

Imperador japonês Akihito abdicará do trono em 30 de abril de 2019

O imperador Akihito renunciará ao trono do Japão no dia 30 de abril de 2019, a primeira abdicação de um monarca japonês em quase dois séculos. A informação é da agência Reuters. Akihito passou a maior parte de suas quase três décadas no cargo tentando curar as feridas da Segunda Guerra Mundial.

Os dez integrantes do Conselho da Casa Imperial – que conta com parlamentares, membros da realeza e juízes da Suprema Corte e é presidida pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe – concordou hoje (1º) com a data. O imperador será sucedido pelo príncipe herdeiro Naruhito, de 57 anos.

Veja também
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s