logo-ge

Dica de quadrinhos: Kobane Calling

História em Quadrinhos do autor italiano Zerocalcare acompanha combatentes curdos na luta contra o Estado Islâmico

“Quanto tempo vai levar para limpar tudo?”, pergunta o quadrinista italiano Zerocalcare, referindo-se ao rastro de destruição deixado pelo Estado Islâmico (EI) na cidade de Kobani, no norte da Síria. “Anos”, responde o combatente curdo que lutou contra o EI. “Mas todo mundo devia ver isso. Olhar os escombros. Sentir o cheiro. Compreender que hoje Kobani não é apenas uma cidade. Hoje Kobani é um museu a céu aberto da vergonha da humanidade. Daquilo que ela deixou acontecer”.

Esta é uma das passagens mais comoventes de Kobane Calling, uma espécie de diário de guerra ilustrado pelo jovem quadrinista Zerocalcare. Enviado por um jornal italiano, o autor esteve presente em algumas das principais frentes de batalha da Guerra da Síria, onde conheceu de perto a realidade dos curdos. Eles formam a maior etnia sem Estado no mundo, que vive principalmente em quatro países: Turquia, Iraque, Síria e Irã. A maioria dos curdos é de muçulmanos sunitas.

Os principais momentos da HQ se desenvolvem em Rojava, no norte da Síria, onde os curdos proclamaram uma confederação de viés liberal, onde há pluralidade étnica e religiosa, grande participação feminina e democracia participativa. É lá que atuam as Unidades de Proteção do Povo (YPG), a principal força de resistência curda na região, responsável por impor derrotas decisivas ao EI.

Ao participar dos trabalhos de ajuda humanitária, compartilhar experiências com a população local e acompanhar uma unidade feminina de treinamento de combatentes (a YPJ), Zerocalcare conseguiu produzir uma obra contundente, capaz de apresentar o lado dramático e humano do conflito.

Além disso, a utilização de interessantes recursos narrativos confere à obra um inusitado didatismo. Abusando da metalinguagem, Zerocalcare interrompe a história sempre que acha necessário contextualizar o conflito, situar o leitor geograficamente ou explicar as forças envolvidas na guerra. Dessa forma, ele consegue brincar com a visão estereotipada que a cultura ocidental tem do islamismo e com as simplificações que precisou fazer na história para facilitar o entendimento.

Em muitas situações o autor dialoga com um mamute que representa a sua autoconsciência, em um recurso utilizado para dar um tom mais crítico e analítico à narrativa. Tudo isso, recheado com referências pop que incluem games, filmes, séries e desenhos e ajudam a proporcionar uma identificação mais imediata com o leitor.

O resultado é um relato original e indispensável para qualquer um que queira conhecer um pouco mais sobre o protagonismo dos curdos na Guerra da Síria, tratado com bom humor e, acima de tudo, muito respeito.

Kobane Calling

Autor Zerocalcare

Editora Nemo, 274 páginas

 

Aprenda mais sobre atualidades: na plataforma do Curso Enem GE, você encontra videoaulas, textos e exercícios sobre esse e todos os outros temas importantes para o Enem e outros vestibulares. Conheça clicando aqui.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s