logo-ge

Dicas de filmes para aumentar seu repertório cultural

Se você vai prestar vestibular, um bom repertório é um elemento-chave para o desenvolvimento de uma boa redação e para a resolução de questões

bagagem

Quando aparece um problema, nós geralmente usamos nossa bagagem cultural para resolvê-lo: pensamos em nossas experiências passadas, nas coisas que já lemos, ouvimos e aprendemos. Essa bagagem alimenta, ainda, nossas conversas, nossa visão de mundo e nossos interesses – e é alimentada por todas essas coisas também.

Se você vai prestar vestibular, um bom repertório é um elemento-chave para o desenvolvimento de uma boa redação e para a resolução de questões que exijam senso crítico e conhecimento da realidade.

E não tem outro jeito: você só constrói esse repertório com a vivência. Por isso, ele é algo único – ninguém no mundo vai ter um igual. Então cabe a você ampliá-lo por meio de outras experiências, que podem incluir leituras, filmes, conversas, cursos, viagens, relacionamentos e tudo o que puder proporcionar novos conhecimentos e reflexões.

Pensando nisso, selecionamos quatro filmes que irão ajudar você nisso. As dicas fazem parte de uma lista maior que foi publicada no livro “Redação Excelente para Enem e Vestibulares”, da especialista em educação Andrea Ramal. Além dos filmes, ela ainda indicou boas reflexões a serem desenvolvidas com cada um deles.

Tropa de Elite (José Padilha, 2007, Universal Pictures)

“Filme policial que mostra a guerra entre polícia e traficantes no Rio de Janeiro, num contexto de violência urbana permeado pela corrupção. Na continuação do filme (Tropa de Elite 2), as relações entre polícia, governo e políticos são problematizadas, opondo o policial honesto e idealista a um esquema complexo que, na maior parte das vezes, tem mais poder e mais recursos para vencer.” 

Questões levantadas pelo filme:

>> Como construir cidades com menos violência e menos drogas?

>> Um profissional ético consegue permanecer na função quando, para exercê-la, tem que se opor a um sistema corrupto, violento e sem escrúpulos? Mas, se os profissionais não ficarem, como haverá mudança?

>> Legalizar as drogas contribuiria para diminuir o poder do crime organizado?

O Show de Truman (Peter Weir, EUA, 1998, Paramount Pictures)

truman

“O filme conta a história de Truman Burbank, um homem cuja vida é transmitida 24 horas por dia para bilhões de pessoas, sem que ele saiba. No entanto, em determinado momento ele começa a suspeitar disso e tenta descobrir a verdade. Numa primeira análise, o filme problematiza o monitoramento da vida do indivíduo, cada vez maior graças aos dispositivos tecnológicos e ao interesse do público, como em reality shows. Mas a mensagem vai além, tendo interfaces com aspectos psicológicos, filosóficos e religiosos.”

Questões levantadas pelo filme: 

>> O que vivemos: uma realidade autêntica ou somos fantoches num mundo de aparências?

>> Na era das tecnologias e das redes, os limites entre o público e o privado podem de fato existir?

Relatos Selvagens (Damián Szifron, Argentina, 2014, Warner Bros)

“Em vários episódios instigantes, o filme mostra o tênue limite em que vivemos hoje, entre a civilização e a barbárie. Com boa dose de humor, o filme traz a questão: o ser humano aprendeu a viver em sociedade e, para isso, existem as leis e as normas de etiqueta social. Mas quanto temos, ainda, da nossa essência animal, e como ela aparece, de repente, nas situações mais imprevisíveis do cotidiano?”. 

Questões levantadas pelo filme:

>> No momento em que vivemos, nossa sociedade é mais caracterizada pelo comportamento civilizado ou pela barbárie?

>> Qual é o limite entre nossa identidade humana e nossa essência animal?

>> Até que ponto a raiva e o desejo de vingança podem ser o estopim para uma explosão que acabe com a convivência pacífica na sociedade?

Erin Brockovich (Steven Soderbergh, EUA, 2000, Universal Pictures/Columbia Pictures)

“Conta a história real de Erin Brockovich, mulher que lutou contra a empresa de energia PG&E ao descobrir que as águas subterrâneas de uma cidade eram contaminadas com uma substância cancerígena, causando diversos episódios de doença nos cidadãos da região. Ela consegue liderar pesquisas e um movimento da população para processar a empresa, numa luta repleta de dificuldades.” 

Questões levantadas pelo filme:

>> Até que ponto uma indústria que gera empregos e renda para a região tem direito de afetar o meio ambiente?

>> Como equilibrar o progresso e a produção de bens de consumo com o desenvolvimento sustentável?

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s