logo-ge

Como o livro Mayombe, de Pepetela, pode cair no vestibular

O livro está presente na lista obrigatória da Fuvest

Publicado originalmente em 1980, “Mayombe” foi escrito durante a participação do autor na guerra de libertação de Angola na década de 70. Recompõe o cotidiano dos guerrilheiros do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) em luta contra as tropas portuguesas. O romance aborda as ações, os sentimentos e as reflexões do grupo, e as contradições e os conflitos que permeavam as relações naquele momento.

Acesse o resumo e a análise de Mayombe

Para saber como a obra é cobrada na Fuvest, separamos algumas questões que caíram na primeira e segunda fase do vestibular no ano passado. Veja se você realmente compreendeu o livro, respondendo as perguntas abaixo.

No fim do post, você encontra o gabarito das questões e comentários feitos pelo cursinho Oficina do Estudante.

Questões 1ª fase – Fuvest 2017

Observe a imagem e leia o texto, para responder às questões:

Questão 1

Questão 2

Questão 3

Questão 2ª fase – Fuvest 2017

Gabarito 1ª Fase

Questão 1 – A

Nessa questão, o candidato deveria identificar, na narração dos momentos finais de Sem Medo, uma reflexão presente em toda a obra: a relação entre o coletivo e o indivíduo. Nas reflexões de Sem Medo acerca das árvores destaca-se a individualidade dos troncos e coletividade dispersa em suas copas que se confundem, nas folhas. Assim seria a vida dos homens e de seu grupo do MPLA: um eterno conflito polifônico entre valores, desejos e ideologias individuais e coletivas.

Questão 2 – D

Nessa questão, de literatura comparada, o candidato deveria identificar qual outra personagem apresentava o mesmo comportamento consciente da relação entre o individual e o coletivo. Dentre as alternativas, facilmente destacava-se Pedro Bala, de Capitães da areia, como podemos identificar no final do romance, principalmente depois do protagonista envolver-se com o estudante Alberto.

Questão 3 – C

A floresta pluvial encontrada em Mayombe é típica das regiões equatoriais, com vegetação densa, latifoliada e perenifólia, adaptadas ao clima quente e úmido, assemelhando-se à Floresta Amazônia, no norte do Brasil.

Gabarito 2ª Fase

a) A relação entre a forma dialogal e as ideias do Comandante Sem Medo é de total coerência e correspondência, pois a estrutura em foco (que prevê a alternância entre turnos de fala) pressupõe a exposição aberta e democrática de ideias — posição claramente assumida por Sem Medo, que, apesar da superioridade hierárquica, solicita a opinião do interlocutor e fala com ele sem fazer prevalecer qualquer sinal de superioridade.

b) “Mayombe” utiliza, de fato, um original recurso narrativo para evitar que o discurso seja dogmático: a pluralidade de vozes narrativas (polifonia), estratégia que elimina a univocidade e faz com que muitos pontos de vista sejam anunciados e ouvidos. Há, com efeito, vozes de diversas tribos,individualidades, posições ideológicas: no contexto delicado e multifacetado da Angola.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s