Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês
Estante Por Blog Um blog colaborativo feito por e para quem ama livros. Quer participar? Envie sua contribuição com nome, idade e cidade para redacaoguia@gmail.com

Conto inédito de Sherlock Holmes é encontrado em sótão depois de 111 anos; texto está disponível online

Por Ana Lourenço Atualizado em 24 fev 2017, 15h38 - Publicado em 23 fev 2015, 20h25

Imagine mexer naquela gaveta toda bagunçada do seu quarto e acabar descobrindo um tesouro literário de um século. Foi mais ou menos isso que aconteceu com o historiador Walter Elliot, morador da cidade de Selkirk, na Escócia: ao dar uma passeada pelo sótão de sua casa, ele encontrou um conto inédito de Sherlock Holmes, esquecido há 111 anos.

sherlock-holmes

Sherlock Holmes, em ilustração de Sidney Paget (Imagem: Wikimedia Commons)

O conto foi escrito em 1904 por Sir Arthur Conan Doyle, com o título de “Sherlock Holmes: Discovering the Border Burghs and, by deduction, the Brig Bazaar” (“Sherlock Holmes: Descobrindo o Border Burghs, e, por dedução, o Brig Bazaar”, em tradução livre), e está dentro de um pequeno livro de 48 páginas que reúne uma série de histórias curtas escritos por moradores de Selkirk. Elliot afirma não se lembrar de ter comprado o livro, e imagina que deve tê-lo ganhado, há mais de 50 anos atrás. “Eu não tenho ideia se sequer foi publicado, nem sei quantos exemplares foram feitos e vendidos”, disse.

sherlock-watson-sidneypaget

Sherlock e Watson, em ilustração de Sidney Paget (Imagem: Wikimedia Commons)

O pequeno livro contendo os contos foi realizado como parte de um evento, que buscava arrecadar fundos para a reconstrução de uma ponte de madeira destruída em Selkirk, em uma enchente que aconteceu em 1902. Sir Conan Doyle costumava visitar a cidade, e decidiu contribuir com a arrecadação.

O livro com o conto de Sherlock Holmes se tornou parte do acervo do museu local. É o primeiro texto inédito do personagem a ser encontrado em mais de 80 anos.

Para quem gosta das histórias do detetive mais famoso do mundo, o jornal The Telegraph disponibilizou, online, o conto na íntegra. Se você for bom em inglês, não deixe de conferir aqui! 😉

Continua após a publicidade
Publicidade