Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Por dentro das profissões Por Blog Informações sobre profissões e carreiras para te ajudar a escolher aquela que tem mais a ver com você

10 carreiras para quem quer trabalhar com esporte

Por Carolina Vellei Atualizado em 24 fev 2017, 15h44 - Publicado em 16 jun 2014, 17h30

No espírito de Copa e futebol, selecionamos a seguinte pergunta do nosso leitor Jadeilson Silva:

“Qual é a melhor área de trabalho para quem gosta muito de futebol? Menos jogador, pois sou considerado ‘velho’.”

Se você acha que não dá para ser jogador, não fique chateado. O mercado de trabalho na área esportiva é bem extenso e você tem muitas chances. Como as profissões nessa área são bem amplas, fizemos uma lista com 10 opções. Elas são válidas não só para o futebol, mas para outros esportes também. Dê uma olhada, quem sabe alguma não é a sua cara? (Clique nos links para saber mais sobre as carreiras)

esportes

Educação Física

Essa é a carreira que mais vem à cabeça quando o assunto é esporte. O bacharel ou licenciado em Educação Física organiza, executa e supervisiona programas de atividades físicas, tanto para crianças, como para adultos em inúmeras modalidades de esporte. O técnico da Seleção Brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari, por exemplo, fez esse curso com especialização em futebol e vôlei. Dá para trabalhar em escolas, clubes e academias de ginástica, ou prestar atendimento individual, como personal trainer.

Fisioterapia

O fisioterapeuta é um profissional fundamental na prática esportiva. Ele trabalha diretamente no tratamento e na prevenção de doenças e lesões dos atletas, sendo peça-chave nos principais clubes de futebol (e também em outras modalidades).

– Luiz Rosan, fisioterapeuta do SPFC e da seleção brasileira, dá dicas sobre o curso e a carreira

Psicologia

A Psicologia Esportiva é recente, mas a pressão e o estresse sofridos pelos jogadores no mercado esportivo aumentaram a demanda desse profissional. O psicólogo dessa área trabalha para manter o equilíbrio físico e mental dos atletas.

Medicina

A Medicina Esportiva é a modalidade médica que estuda a influência das atividades físicas no corpo das pessoas. O médico dessa área ajuda a prevenir e a tratar distúrbios originados da prática esportiva. Ele também dá orientação médica aos atletas e acompanha equipes e times.

Continua após a publicidade

– Médico da Seleção Brasileira de Futebol dá dicas sobre a carreira de Medicina

Rádio e TV

Saindo da área da Saúde e indo para a Comunicação, quem se forma em Rádio e TV pode trabalhar criando e editando programas radiofônicos ou televisivos. A carreira também possibilita seguir como locutor ou comentarista esportivo.

Fotojornalismo

Já imaginou trabalhar como fotógrafo em uma das partidas da Copa do Mundo? Se você curte captar imagens, essa pode ser uma boa área para se seguir. É preciso ter habilidade e sensibilidade para dar os melhores cliques na câmera.

Jornalismo

O jornalista esportivo pode trabalhar na cobertura de eventos e também em veículos midiáticos voltados para esse setor. Ele pode se especializar em uma modalidade e até virar comentarista em partidas.

– Repórter de campo, literalmente. Conheça a rotina do jornalista esportivo

Relações Públicas

O profissional formado no curso de Relações Públicas pode trabalhar na coordenação de eventos esportivos ou na assessoria de clubes e equipes. É uma boa área para quem tem facilidade com comunicação e agilidade para controlar crises.

Publicidade e Marketing

Quem estudar Publicidade e Propaganda ou Marketing poderá trabalhar com campanhas esportivas. Empresas de produtos para o esporte gastam milhões com publicidade para promover suas marcas, principalmente porque grandes eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas agitam esse mercado.

Estatística

Essa é a área da Matemática que coleta, analisa e interpreta dados numéricos. É com base no trabalho de um estatístico que muitos técnicos e empresários tomam as suas decisões no mundo esportivo. Jogadores e atletas são estudados nos mínimos detalhes antes de entrar em um clube. Em 2011 o filme Moneyball (O Homem Que Mudou o Jogo) mostrou como as estatísticas esportivas são importantes para decidirem jogos.

Continua após a publicidade
Publicidade