logo-ge

Há lugar no mercado de trabalho para um publicitário mesmo longe dos grandes centros do Brasil?

Um receio muito comum de quem pretende trabalhar com campos da indústria criativa – que envolve desde produção musical ao jornalismo – é a ausência de mercado de trabalho fora do sudeste brasileiro. Essa é a dúvida da leitora Karolyna Ribeiro, que pretende cursar Publicidade e Propaganda.

“Olá, gostaria de tirar uma dúvida que está se passando pela minha cabeça há algum tempo em relação ao curso de Publicidade e Propaganda. Gostaria de saber se o mercado trabalho é tão fechado assim como dizem, e se em alguns lugares aqui no Brasil (como o Nordeste) são realmente mais difíceis para atuação na área.”

(Imagem: Thinkstock)

De fato, muitas oportunidades de emprego para a maioria das carreiras que envolvem criação estão concentradas no sudeste. Mas não precisa se desanimar, Karolyna! A designer Laura Passos, vice-presidente do grupo Engenho Novo, que têm agências de publicidade em Recife (PE), Salvador (BA) e Brasília (DF), nos conta que a área de propaganda no nordeste é crescente porque a região representa um grande mercado consumidor para os anunciantes nacionais. “Para isso, a contratação de mão de obra local é fundamental”, garante.

Laura ainda lembra que, atualmente, o principal mercado para publicitários não está restrito somente às agências, mas abrange também o campo de comunicação e marketing coorporativos, seja em órgãos públicos ou em empresas privadas.

Confira seu depoimento:

“Karolyna Ribeiro, muito interessante sua pergunta porque hoje em todas as visitas às faculdades que faço isso essa é a maior angustia dos estudantes. Tenho uma notícia boa e uma notícia não muito boa pra você. A não muito boa é que realmente o mercado fora do sudeste é realmente mais fechado do que as outras áreas, mas temos uma explicação pra isso. Dentro de uma agência os profissionais que são contratados não necessariamente são formados em Publicidade, temos muitos arquitetos, designers e jornalistas no campo da criação, muitos administradores e advogados no atendimento etc. Enfim, por se tratar de uma área que tem essa liberdade na contratação, isso significa que as vagas são mais concorridas. Mas não se desanime! Sempre há espaço para profissionais competentes.

A notícia boa é que os mercados regionais como, o do nordeste, têm grande importância para os anunciantes nacionais. Eles percebem cada dia mais a necessidade de uma comunicação regional, de contratação da comunicação local. Assim, as agências do nordeste estão se estruturando melhor para atender essa demanda que está chegando e, para isso, a contratação de mão de obra local é fundamental. Hoje as agências regionais estão se profissionalizando ao ponto de atender clientes que eram antes apenas trabalhos esporádicos locais para atender demandas nacionais.

Há também uma questão que as faculdades de Publicidade e Propaganda precisam deixar claro para os alunos. Assim como no Jornalismo, que tem nas redações um pequeno pedaço do mercado, também na Propaganda as agências não são os maiores empregadores de mão de obra. Departamentos de Marketing de empresas, estruturas de comunicação de órgãos públicos e privados são hoje o grande manancial desse encaixe profissional.”

>> Saiba mais sobre o curso de Publicidade e Propaganda

____________________

Quer que a sua dúvida sobre profissão também seja respondida aqui no blog? Faça como a Karolyne e envie um e-mail para consulte.ge@abril.com.br com o assunto “Dúvida sobre Profissão”. Sua pergunta pode aparecer por aqui também! (=

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.