Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês
Por dentro das profissões Por Blog Informações sobre profissões e carreiras para te ajudar a escolher aquela que tem mais a ver com você

O passo a passo para se tornar um perito criminal

Por Carolina Vellei Atualizado em 24 fev 2017, 15h47 - Publicado em 17 mar 2014, 21h32

Oi, pessoal!

A partir de agora iremos postar uma seleção de dúvidas sobre profissões respondidas por quem mais entende do assunto: os próprios profissionais que trabalham na área.

Tem uma pergunta sobre alguma profissão específica? Mande para a gente no consulte.ge@abril.com.br e escreva no assunto do e-mail: “Dúvida sobre profissão”. Ela poderá ser selecionada e respondida aqui no blog!

De volta ao post… Como se tornar um perito criminal? Essa é a dúvida da nossa leitora Thainá Gomes:

“Tenho 17 anos e estou no último ano do Ensino Médio e me vem aquele desespero do que cursar. Quero ser perita criminal e queria saber qual passo a passo que devo seguir pra ingressar nessa carreira.”

Pois é, não existe uma faculdade de “Perícia criminal”. Então, que curso seguir? Quem explica é Márcio Borges de Macedo, perito criminal, chefe da Divisão Administrativa do Instituto de Criminalística do Paraná. Veja abaixo:

“Oi Thainá!

O perito criminal é o profissional com formação superior nas mais variadas áreas de formação, policial ou não, pertencente aos Institutos de Criminalística. Ele entra na carreira por concurso público e tem como função básica a produção da prova técnica e/ou pericial através da análise científica dos vestígios produzidos ou deixados em locais de crime.

O primeiro passo para ingressar na carreira é a obtenção de formação de nível superior. Nos Institutos, em algumas áreas de atuação é necessária a graduação específica. Por exemplo, para efetuar perícias contábeis necessita-se de um profissional contador. No Brasil, as áreas que mais ofertam vagas em concursos públicos são as de Engenharias, Informática, Ciências Contábeis, Farmácia, Física, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, entre outras. Já para algumas áreas (balística, grafotecnia, crimes contra a pessoa) não existe a necessidade de formação específica.

Posteriormente, é necessária a aprovação em um concurso público. Após a nomeação para o cargo, o profissional é submetido a um curso de formação de aproximadamente 300 horas/aula para exercer sua função.

Continua após a publicidade

Ficou interessado? Saiba mais sobre algumas das profissões citadas:

– Engenharias

– Medicina

– Medicina Veterinária

– Ciências Contábeis

– Farmácia

– Física

– Fonoaudiologia

Continua após a publicidade
Publicidade