logo-ge

Washington Olivetto dá dicas sobre a carreira de Publicidade e Propaganda

“Conseguimos três novos clientes na última semana, está uma correria danada”, comemora Daniela, secretária do publicitário Washington Olivetto, sócio da agência W/McCann.  A agitação que existe no local demonstra bem como é o dia a dia de quem trabalha com a área de Publicidade e Propaganda. E, para falar um pouco mais sobre o cotidiano da carreira, o GUIA DO ESTUDANTE conversou com Olivetto, que há mais de 40 anos trabalha na área.

– Teste: Será que Publicidade e Propaganda é a sua cara?

– Confira mais detalhes da carreira no Guia de Profissões do site do GE

Antes de falar com a gente, o premiado publicitário tinha acabado de sair de uma reunião, algo bem constante na rotina da agência. E, segundo Olivetto, constante na vida do profissional. Ele conta que o dia do publicitário é repleto de encontros com clientes e com a própria equipe. Até os almoços são muitas vezes aproveitados para discutir assuntos profissionais. Apesar do aparente “sacrifício”, ele explica que isso faz parte do trabalho. “O mercado da publicidade é muito concorrido, é preciso muita dedicação para se manter”.

Mas, se a vida de Olivetto hoje é corrida, dá para dizer que antes de se tornar sócio de agência ela era muito mais. Tanto que o publicitário não conseguiu terminar as faculdades que tentou fazer. Começou o curso de Comunicações e de Psicologia aos 18 anos, por serem áreas importantes para a Propaganda. Fazia de manhã e à noite, mas estava empenhado em ter um estágio na área, logo no início da graduação.  “Acabei trabalhando feito um louco e não consegui acabar as faculdades. Mas é uma coisa que eu não acho mérito não, estudar é sempre bom”, conta.

Washington Olivetto é sócio de uma das cinco maiores agências do Brasil (foto: Carolina Vellei)

Washington Olivetto, na sede da agência W/McCann, em São Paulo (foto: Carolina Vellei)

Apesar de não ter um diploma universitário, o publicitário nunca pensou em retomar os estudos, pois segundo ele, nunca parou de estudar. “Eu nunca estudei para tirar um diploma, eu sempre estudei para saber. Apesar de não continuar na faculdade, eu continuei lendo muito”, diz, reforçando a ideia da importância de constante aprimoramento. E é essa uma das características que o publicitário indica para os que querem começar na carreira: “Todo bom profissional deve ter uma enorme curiosidade. Quando era estagiário ficava perguntando tudo o tempo inteiro”, relembra.

A escolha da carreira

Washington Olivetto decidiu ser publicitário ainda na adolescência, quando entendeu que na carreira de Publicidade e Propaganda trabalharia com as duas paixões de sua vida: escrever e vender. “Aprendi a ler muito cedo, com 5 anos de idade, e sempre gostei de escrever. Tanto que queria escrever para todas as mídias, jornal, revista, radio televisão”, conta. A segunda paixão de Olivetto vem de família. Ele sempre admirou o trabalho do pai, que era vendedor.

Quando entrou na faculdade, Olivetto pediu para trabalhar como estagiário em uma pequena agência de publicidade. Sua principal função era a de redator para as campanhas. O trabalho precoce logo lhe rendeu frutos. Aos 23 anos ganhou o primeiro Leão de Ouro para o Brasil, no maior festival mundial que premia a área, o Festival de Cannes, com a propaganda “O homem de quarenta anos”.

A dica de Olivetto para quem começar bem a carreira, como ele, é gostar de cultura geral, não ter preconceito com nenhum tipo de informação e ter o espírito competitivo. “Também é preciso algum talento”, recomenda.

O dia a dia de um publicitário

O publicitário é o profissional responsável por criar, realizar e divulgar campanhas e peças publicitárias, procurando a melhor forma de apresentar um produto ou serviço ao consumidor e promover sua venda. Ele atua na elaboração de estratégias e inovações na área de comunicação, e tem como um dos objetivos melhorar a relação de empresas e instituições com a sociedade.

Segundo Washington Olivetto, o dia a dia em uma agência publicitária é bastante agitado. A maior parte do tempo é dedicada a criação de novas campanhas. Além disso, todos os dias os profissionais precisam estudar as características de mercado e as exigências dos clientes, traçando perfis para as ideias começarem a surgir. “O interessante de uma agência é que, como ela tem vários tipos de clientes, você não tem monotonia, sempre tem um assunto novo para tratar”, conta.

Oportunidades no mercado de trabalho

O bacharel em Publicidade e Propaganda pode atuar em vários tipos de agências de comunicação, nos departamentos de marketing e comunicação de empresas em geral, em jornais e revistas, além dos fornecedores de produtos e serviços, como consultorias, institutos de pesquisa, produtoras de som e imagem, gráficas, empresas de web e organizadoras de eventos.

Para Olivetto, a profissão está “exageradamente na moda”. “Todo estudante deve pensar antes de entrar no curso se é isso mesmo que ele gosta, porque não vale a pena optar por algo só porque está na moda”, aconselha. Ele explica que isso faz com que o mercado fique cada vez mais competitivo e difícil.  No entanto, o publicitário garante: “sempre existirão lugares para os que são mais talentosos e trabalhadores”, conclui.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.