logo-ge

Análise da redação-tema “Como preservar a floresta Amazônica”

Confira neste post a análise da redação selecionada da proposta “Como preservar a floresta Amazônica”. O tema apareceu na redação do Enem 2008 e selecionado pelo GUIA DO ESTUDANTE para que vocês treinassem escrever sobre a questão, uma vez que ela é forte candidata a aparecer nas provas de vestibular, especialmente com a realização da conferência Rio + 20 neste ano.

Redação selecionada

“A floresta Amazônica vem sofrendo há muito tempo com o desmatamento, problema que compromete a realização natural do ciclo da água, prejudicando, assim, o funcionamento pleno deste bioma. Desse modo, é necessário preservar tal ambiente; e uma das maneiras de fazê-lo é a efetivação de pagamentos a proprietários de terra a fim de que parem de desmatar a floresta. Contudo, não se deve executar apenas esta ação.

O cumprimento de tal atitude pode, sim, diminuir o índice de desmatamento da Amazônia, já que os proprietários de terra podem utilizar este pagamento para suas necessidades ao invés do lucro que eles ganhariam se estivessem explorando os recursos naturais de forma exorbitante, o que significa que, pelo menos teoricamente, o padrão de vida desses indivíduos não seria alterado.

Por outro lado, há uma enorme probabilidade de que, mesmo recebendo dinheiro, alguns proprietários de terra continuem devastando a floresta para enriquecerem mais rapidamente, o que, com certeza, é uma evidência concreta da sociedade capitalista e ambiciosa contemporânea. Afinal, isto mostra que certas pessoas se preocupam apenas consigo mesmas, sem se importarem com o meio ambiente.

Além disso, devido à extensão territorial do Brasil, a verba enviada aos latifundiários da Amazônia pode não chegar a essa região, fazendo com que eles permaneçam desmatando-a. Outro motivo relevante para a ocorrência de tal evento é o fato de, infelizmente, existirem muitos corruptos neste país, os quais roubam parte do dinheiro.

Diante da problemática em questão, é indispensável que os ambientalistas promovam manifestações pacíficas que tenham como objetivo a conscientização dos adultos e do governo para que ambos compreendam que é necessária a preservação ambiental, pois só assim as gerações futuras terão meios de extrair da natureza o que é essencial para a sobrevivência.”

Análise da redação

A dissertação em questão apresenta pontos razoavelmente positivos e outros, negativos. Quanto aos aspectos positivos, podemos destacar a existência de uma estrutura dissertativa medianamente boa: o primeiro parágrafo introduz – direta e claramente – o recorte temático sobre o qual se vai tratar (a necessidade de a floresta amazônica ser preservada para que o bioma se mantenha). Há também, no texto, uma fluida relação entre os parágrafos argumentativos construindo, assim, uma argumentação progressiva e ascendente, como deve ser.

Com relação ao aspecto temático, o texto em questão cumpre apenas parcialmente o que foi exigido: o vestibulando escolhe uma das ações sugeridas pela prova (a 2ª) para ajudar no combate ao desmatamento, mas o autor da dissertação se esquece de explicar que os pagamentos possivelmente feitos a proprietários de terras para interromperem o desmatamento seria oriundo de recursos financeiros internacionais, como sugeria a opção de número 2, escolhida por ele. Trata-se, portanto, de um grave lapso de leitura que acabou se refletindo na escrita.

Com relação ao aspecto do (não) ou (do pouco) cumprimento temático, vale ressaltar que a questão da “máquina de chuva da Amazônia” apareceu de forma pouco clara, pouco evidente, ao longo do texto. A dissertação até começa bem tematicamente, mas vai se “distanciando” do recorte temático especificado pela prova. Prova cabal disso está no parágrafo conclusivo: nele, a expressão emblemática do enfoque temático não aparece, da mesma forma que não são retomadas as limitações e as possibilidades da ação escolhida pelo vestibulando.

Ainda no último parágrafo dissertativo, desprovida de qualquer argumentação prévia, há a referência a “manifestações pacíficas” e a “conscientização de adultos” (estranha e pouco precisa a escolha lexical), menções que acabam sendo indiciosas de que, realmente, o texto apresenta lacunas temático-argumentativas.

* Análise feita pela professora Lilica: Liliane Negrão Pinto – professora de Redação do Curso e Colégio Oficina do Estudante – Campinas/SP

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s