logo-ge

Hidrosfera: Água doce

Screenshot_27

Reservas vitais

Saiba onde ficam as principais fontes de água doce, que representam menos de 3% de toda a hidrosfera.

Apesar de a água dominar a paisagem do globo, a quantidade de H2O disponível para nosso consumo é proporcionalmente irrisória: do 1,4 bilhão de quilômetros cúbicos de água da hidrosfera, apenas 2,5% são de água doce. Mas a garganta começa a secar mesmo quando observamos que a maior parte da água doce, quase 70%, está sob a forma de gelo, ou seja, indisponível, nos polos.

As principais fontes para matar a sede dos bilhões de seres vivos no mundo são: as águas subterrâneas, captadas por meio da exploração de poços; as águas de superfície, que englobam desde lagos e rios até a umidade do solo; e a água presente na atmosfera. Tudo isso junto, hidrosfera ÁGUA DOCE contudo, não atinge 1% do volume da hidrosfera. Seja como for, mesmo que o volume relativo seja mínimo, os números absolutos de H2O à nossa disposição ainda são bastante significativos, desde que administrados racionalmente e preservados de qualquer contaminação. Confira a seguir as características dos reservatórios que guardam todo esse precioso líquido.

 Geleiras

Reservatório de 68,7% da água doce do planeta, as geleiras são enormes massas formadas pelo acúmulo de neve no decorrer de milhares de anos. Existem em áreas planas próximas aos polos ou na forma de imensos rios de gelo que avançam lentamente pelos vales em altas latitudes ou em cordilheiras elevadas.

As geleiras se movimentam: descem encostas pela ação da gravidade ou se espalham pelo solo com a força de seu peso. Em seu trajeto, elas desgastam as rochas e, ao chegar a mares e lagos, dão origem a plataformas de gelo. Os icebergs são massas de gelo que se desprendem dessas plataformas e flutuam pelos oceanos.

Lagos

Os lagos, definidos conceitualmente como corpos de água parada, são a maioria da água doce de superfície disponível para consumo. Podem ser formados de várias maneiras: por acúmulo de água da chuva, aforamento de uma nascente, pela alimentação de rios ou pela erosão glacial (desgaste das rochas provocado pelo movimento das geleiras). Essa última explica a origem dos Grandes Lagos da América do Norte, que abrigam 27% da água doce proveniente de lagos do planeta.

Também são lagos os mares fechados, sem ligação com o oceano, como o Mar Cáspio – o maior lago do mundo, com área de 370 mil quilômetros quadrados – e o Mar Morto. Outro mar, o de Aral, enfrenta enorme desastre ambiental e perdeu cerca de 90% do volume total de água.

Rios

São cursos naturais de água que se deslocam de um ponto mais alto (nascente) até um nível mais baixo (foz ou desembocadura), onde lançam suas águas. A foz pode ser um mar, lago, pântano ou rio. Os rios aumentam progressivamente de volume ao longo de seu percurso, alimentados por novos cursos de água – outros rios, riachos e nascentes.

As chuvas também reforçam o fluxo do rio, pois as águas se infiltram no terreno ou escorrem em filetes até atingir os riachos. A parte absorvida pelo solo penetra até estratos inferiores, formados por rochas impermeáveis, e continua se movimentando subterraneamente conforme a inclinação da camada rochosa, criando os lençóis freáticos. Mais adiante, essa água retorna à superfície em nascentes, que alimentam os cursos de água. O derretimento da neve acumulada no cume das montanhas é outro fator que participa na formação dos rios (veja a imagem ao lado).

Screenshot_29Screenshot_28

Águas subterrâneas

As águas subterrâneas são o segundo grande depósito de água doce da Terra, com 30,1% do volume total. Elas se acumulam em reservatórios naturais no interior da crosta terrestre graças à infiltração das águas superficiais em áreas com rochas porosas. Essas fontes de água doce são essenciais para o abastecimento de diversas regiões do globo onde há carência permanente ou sazonal de águas superficiais, com destaque para o norte da África, Oriente Médio, algumas regiões dos Estados Unidos, China e a Índia. São utilizadas na irrigação agrícola e no consumo de pessoas e animais. Também têm importante papel na manutenção da umidade do solo e na alimentação de rios e lagos.

No Brasil, as reservas de águas subterrâneas nos aquíferos são estimadas em 112 mil quilômetros cúbicos. Neles, a água se distribui de maneira irregular e em grandes extensões, o que dificulta a obtenção de dados precisos sobre esses reservatórios subterrâneos. Calcula-se que existam 27 aquíferos principais no país. O Aquífero Guarani é um dos maiores reservatórios de água doce do mundo, ocupando aproximadamente 1,1 milhão de quilômetros quadrados (veja mapa). Desse total, 70% estão em território brasileiro, estendendo-se do Centro-Oeste ao Sudeste e Sul, e o restante está em territórios do Uruguai, do Paraguai e da Argentina. As reservas potenciais calculadas do Guarani são de 37 trilhões de metros cúbicos de água. Atualmente, o aquífero é largamente explorado para a irrigação agrícola.

Outro importante aquífero brasileiro é o Alter do Chão, na Amazônia. Estudos preliminares situam-no entre os maiores do mundo em volume de água. Com área de 437,5 mil quilômetros quadrados, há projeções que indicam que o Alter do Chão tenha 86 trilhões de metros cúbicos de água, o que, caso confirmado, superaria em muito o Guarani.

Salvar

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Geografia é materia apaixonante!

    Curtir