logo-ge

Como a sua redação é avaliada

Saiba informações relevantes sobre os critérios dos avaliadores da sua redação

 

FUVEST-USP: Sempre pode surpreender 

A prova de redação da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) sempre pode surpreender o candidato em sua proposta para o ingresso na Universidade de São Paulo (USP) e no curso de Medicina da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Na prova de 2016, o tema para dissertar foi As utopias: indispensáveis, inúteis ou nocivas? Em 2017, a prova perguntou aos candidatos se o ser humano teria ou não alcançado autonomia de esclarecimento, a partir de conceitos do filósofo alemão Immanuel Kant.

A redação é solicitada na primeira prova da segunda fase, junto com as questões de língua portuguesa, no início de janeiro.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

O vestibular da Fuvest até 2017 valorizou três critérios na avaliação:

1. Tipo de texto e abordagem: os avaliadores verificam se o texto configura-se como uma dissertação e se atende ao tema proposto. O candidato deve demonstrar a habilidade de compreender a proposta de redação e, quando esta contiver uma coletânea, que ele se revele capaz de ler e de relacionar adequadamente os trechos que a integram. É analisada a abordagem, a efetiva progressão de desenvolvimento do tema e a capacidade do candidato de criticar e de argumentar.

2. Estrutura: é o componente de ferramentas que foi utilizado: a paragrafação, a coesão textual (composição de frases, períodos e parágrafos), a coerência das ideias. O grau de coerência reflete a capacidade do candidato para relacionar os argumentos e organizá-los de forma a deles extrair conclusões apropriadas e, também, sua habilidade para planejar e construir um texto significativo.

3. Expressividade: é a clareza ao exprimir as ideias. São examinados aspectos gramaticais como ortografa (a grafa e a escolha do vocabulário), morfologia, sintaxe e pontuação. Espera-se que o candidato revele competência para expor com precisão os argumentos selecionados para defender seu ponto de vista.

A direção da USP anunciou que estudava possíveis mudanças nas provas de língua portuguesa e redação. Você pode se informar pelo site www.fuvest.br.

COMO É FEITA A AVALIAÇÃO

A Fuvest não exige que seus avaliadores sejam professores da USP, mas eles não podem lecionar no terceiro ano do Ensino Médio. Os corretores cumprem um dia inteiro de treinamento prévio. Cerca de 70 avaliadores de redação, em média, trabalham em cada vestibular. Todas as redações são digitalizadas, e cópias não identificadas de cada uma são encaminhadas a dois corretores.

Cada avaliador lê, em média, cem redações por dia. Eles não podem conversar entre si sobre as provas. São atribuídas notas de 1 a 5 às três características, que depois são convertidas para a base 100, proporcionalmente ao valor máximo dessa prova (50 pontos). Quando há discrepância de notas, a redação recebe nota final de uma banca ou da diretoria da fundação.

QUANTO VALE

A redação vale 50 pontos, e as questões de língua portuguesa e literatura também 50.

As duas provas seguintes também valem 100 pontos cada uma: no segundo dia, questões das disciplinas do Ensino Médio; e no terceiro dia, duas disciplinas que variam conforme o curso escolhido. Assim, até o vestibular de 2017, a redação valeu 1/6 da nota da segunda fase (50 pontos em 300).

ZERA A NOTA

Fugir ao tema proposto ou ao tipo de texto (dissertação) anula e zera a nota, mas não elimina o candidato, pois vale a nota da prova, que reúne também as questões de língua portuguesa e literatura. Porém, zerar a nota na prova inteira desclassifica o candidato do conjunto do vestibular.

 

ENEM: Redação valorizada 

A prova de redação do Enem é, em todos os anos, reportada pela imprensa e TV, discutida nos cursinhos e acompanhada de perto pelas escolas. Sua relevância é notória, pela importância e abrangência do exame e por ser uma prova que vale 1.000 pontos, o que pode fazer a diferença para conseguir uma vaga nas universidades federais pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU).

O exame de redação dos vestibulares é a única em que o candidato expressa seu potencial, o quanto ele evoluiu durante o Ensino Básico em sua capacidade de leitura, compreensão, análise e expressão. No caso do Enem, destaca-se também a avaliação, pela redação, de sua compreensão de questões e problemas sociais e de sua capacidade de elaborar soluções, entendida como sua formação em cidadania.

A partir de 2017, a redação do Enem passou a a ser aplicada no primeiro dos dois domingos nos quais ocorre o exame, no início de novembro.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

No Enem são avaliadas, com nota, cinco competências na prova de redação. São elas:

1. Se o candidato demonstra domínio da norma-padrão da língua escrita.

2. Se compreende a proposta de redação e aplica conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

3. Se consegue selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

4. Se demonstra conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

5. Se consegue elaborar proposta de solução para o problema abordado, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Na redação do Enem, a dissertação argumentativa deve terminar com uma proposta para solucionar a questão colocada. Na avaliação, pesa mais para a composição da nota a capacidade de argumentar e defender um ponto de vista do que o chamado estilo, ou seja, o conjunto de elementos de qualidade (veja na página 22) e a ortografa. Os textos e imagens motivadores geralmente oferecem argumentos suficientes para desenvolver o tema. Uma redação bem avaliada no Enem exige boa conexão ao tema, aderência a ele e uma seleção boa e articulada de argumentos. O autor pode agregar argumentos próprios aos apresentados nos textos motivadores, desde que bem articulados à sua tese.

COMO SÃO DADAS AS NOTAS

A redação do Enem é corrigida por dois professores, que avaliam as cinco competências. Cada competência vale 200 pontos e é subdividida em diferentes aspectos que valem 40 pontos. Desde a prova de 2013, a discrepância aceitável entre a nota final dos dois corretores é de 100 pontos. A diferença aceitável entre a nota de cada uma das cinco competências foi mantida em 80 pontos. Assim, quando a diferença das duas notas gerais for igual ou maior que 101 pontos, ou quando a diferença na nota de uma das cinco competências for de 81 pontos ou mais, a prova passará por um terceiro corretor e, se necessário, por uma banca de três examinadores. Quando as diferenças não são discrepantes, a nota final em cada competência e a nota geral serão a média das notas recebidas dos dois corretores iniciais. Nos casos em que há a terceira correção, a nota final é a média das duas notas mais próximas, entre as três. Se a prova é enviada para a banca examinadora, todas as notas anteriores são descartadas.

COMO É FEITA A AVALIAÇÃO

A avaliação da prova do Enem envolve milhares de corretores. O Inep contrata avaliadores indicados pela reitoria das universidades públicas e são, forçosamente, já graduados. Quando os avaliadores não são indicados dessa forma, é exigida cópia do diploma, e a graduação é confirmada pelo instituto. Os avaliadores trabalham remotamente, ou seja, espalhados pelo país. Segundo o Inep, eles recebem treinamentos presenciais ou remotos em um período prévio de 100 dias. A correção dura cerca de um mês, e cada corretor recebe, diariamente, um pacote eletrônico contendo 50 redações, organizadas por um sistema que mistura textos de alunos das escolas públicas e das privadas e de diferentes estados do país. Só após entregar um lote corrigido de redações, o corretor recebe outro. A maioria dos corretores avalia cem provas por dia.

ZERA A NOTA

Fugir ao tema ou ao tipo textual proposto (a dissertação argumentativa), escrever menos de oito linhas originais (são excluídas as linhas copiadas da coletânea). Também zeram a nota inserir trechos propositadamente desconectados do resto da argumentação, desenhos e palavras ofensivas, impropérios, protestos e afirmações que desrespeitem os direitos humanos, como as de racismo, xenofobia e homofobia.

 

UNICAMP: Dois textos na segunda fase 

A prova de redação da Universidade de Campinas (Unicamp) solicita dois textos curtos de gêneros distintos, como carta, discurso, manifesto. O candidato faz a redação no primeiro dia da segunda fase, em meados de janeiro.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Segundo a Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) da Unicamp, são avaliados quatro aspectos de cada texto. Não necessariamente cada um desses aspectos vai receber uma nota específica.

1. O gênero de texto e a interlocução: o texto elaborado em cada uma das tarefas deve ser representativo do tipo de texto solicitado e considerar os interlocutores nele implicados.

2. O propósito: o candidato deve cumprir o propósito da tarefa que é solicitada, observando o tema, a motivação e as instruções de elaboração do texto.

3. A leitura: espera-se que o candidato estabeleça pontos de contato com os textos fornecidos em cada tarefa. Ele deve mostrar a relevância desses pontos para o seu projeto de escrita, e não simplesmente reproduzir os textos ou partes deles em forma de colagem direta.

4. A articulação da escrita: os textos devem propiciar uma leitura fluida e envolvente, ter uma articulação sintática e semântica ancorada no emprego adequado de elementos coesivos e de outros recursos necessários à organização dos enunciados. O candidato também deve demonstrar habilidade na seleção de itens lexicais apropriados ao estilo dos tipos solicitados (carta, crônica, discurso, comentário etc.) e no emprego de regras gramaticais e ortográficas que atendem a modalidade culta (padrão) da língua portuguesa.

QUEM AVALIA E COMO

A banca tem sido formada por 44 corretores, em média, todos professores ou alunos da pós-graduação, não necessariamente dessa universidade.

Os avaliadores trabalham dentro de um mesmo local e são treinados antes da realização do vestibular, já com textos reais produzidos na prova anterior. Cada texto do candidato é avaliado por dois professores.

COMO É DADA A NOTA

Cada texto vale oito pontos. A nota atribuída pelos dois corretores é somada. Caso haja diferença de mais de dois pontos em cada texto, há uma terceira correção.

QUANTO VALE

A primeira fase do vestibular, agora com 90 questões, vale 30% da nota final para ingressar. Na segunda fase, a redação subiu de valor, de 10% para 20%. As demais questões do primeiro dia e das duas provas seguintes valem os 50% restantes. A Unicamp aplica uma fórmula de desvio-padrão, que situa o desempenho do candidato, por meio de sua nota, ao desempenho do conjunto dos candidatos na prova.

ZERA A NOTA

Fugir ao gênero proposto. Zerar a nota em um dos textos não elimina o candidato, pois vale a soma dos dois textos. Porém, se levar nota zero nos dois textos, o candidato é eliminado do vestibular.

 

UNB: Prova própria no segundo semestre 

A Universidade de Brasília (UnB) utiliza o Sisu para ingresso, no primeiro semestre do ano, por meio da prova do Enem. Porém, mantém vestibular próprio para ingresso no meio do ano. O cálculo da nota valoriza o conjunto da redação do candidato, mas erros de norma-padrão da língua tiram pontos de nota. É eliminado do vestibular o candidato que obtém nota inferior a 4 (até 3,99) na prova de redação. A nota de redação também é usada como um dos critérios de desempate entre candidatos. A redação é solicitada no primeiro dos dois dias do exame, em geral no início de junho.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

1. A prova avalia os domínios de habilidade de expressão em prosa. Na prova de 2017 podiam ser solicitados os gêneros resumo, carta, propaganda, texto informativo ou argumentativo.

2. O critério mais abrangente é o de desenvolvimento do tema (domínio do conteúdo) pelo candidato, juntamente com sua expressividade.

3. A banca também avalia o domínio da escrita-padrão, em aspectos como grafa e acentuação, morfologia, sintaxe e escolha das palavras (propriedade vocabular).

QUEM AVALIA E COMO

As provas de redação em língua portuguesa de todos os candidatos não eliminados são avaliadas por uma banca de professores especialistas.

Todas as provas da UnB são digitalizadas e passam por um processo de “desidentificação” para que a banca não seja capaz de identificar o autor do texto. Após a análise da redação, é feito o preenchimento de planilhas, com as informações relativas à avaliação, que gerarão a nota.

COMO SÃO DADAS AS NOTAS

O domínio do conteúdo, que é o conjunto expressivo da redação em tema e desenvolvimento, recebe nota de até 10,00 pontos. Já o domínio de escrita é medido também com um indicador: a quantidade de erros cometida (por exemplo, 9 erros) é dividida pelo número de linhas redigidas (como 20, por exemplo), o que resulta 0,45. Da nota recebida no domínio de conteúdo é então subtraído esse valor multiplicado por 2 (0,90). Se o candidato obteve nota 8,0, por exemplo, terá nota final 7,1.

QUANTO VALE A prova de redação em língua portuguesa vale 10,00 pontos, conforme estabelece o edital do Vestibular 2017 da UnB.

ZERA A NOTA

Fugir ao tema ou ao gênero textual proposto e identificar-se de forma indevida na folha do texto resulta em nota zero na prova de redação.

 

PUC-RIO: Não atribui pontos por aspectos isolados 

A prova de redação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) se diferencia de outras por não adotar uma régua de pontuação por aspectos específicos para definir a nota final do candidato.

A Universidade oferece duas provas de vestibular ao ano: em geral no meio do ano (junho/julho) e em outubro.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

A banca avalia como completo:

1. O texto com estrutura temática bem resolvida e articulada e que atende a todos os comandos da proposta: uso de citação ou paráfrase, registro das ideias segundo um plano de texto completo.

2. Que apresenta uma abordagem reflexiva do tema com argumentação bem sustentada.

3. Que traz parágrafos bem construídos e conectados, formulação de frases adequadas, domínio dos recursos da língua escrita dirigidos para a produção de efeitos de sentido e domínio da norma-padrão de escrita.

QUEM AVALIA E COMO

A banca da prova é formada por 12 a 15 professoras que atuam juntas há mais de dez anos em leitura e produção textual nos cursos na universidade. A avaliação é feita em conjunto, sobre as provas manuscritas, sem identificação dos candidatos, em um mesmo espaço. Eventuais pendências ou discrepâncias de notas são resolvidas de imediato, em consenso.

COMO É DADA A NOTA

A banca de corretores faz uma avaliação global, a partir de uma escala que considera como alcançadas as habilidades, as competências e o atendimento pleno a todas as solicitações da proposta. O candidato passa a perder pontos de nota à medida que seu atendimento à proposta e competências for se mostrando insatisfatório pelos avaliadores. A PUC-Rio não divulga a escala adotada.

QUANTO VALE

A redação vale 15% da nota para as engenharias e cursos de Química, Física, Computação e Matemática, e 20% para os demais cursos.

ZERA A NOTA

A nota zero só é atribuída a um texto em branco ou em versos, ao texto cuja abordagem apresente um tema que não o proposto e a textos com menos de cinco linhas. É eliminado do vestibular o candidato que tira nota zero ou não alcança a nota 3, na média da soma das notas de língua portuguesa e literatura com a de redação.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s