logo-ge

Guia prático: Um passo a passo de como fazer sua redação

Um roteiro para você não ficar nervoso na hora H da prova: do momento em que lê a proposta de redação até entregar seu texto

1. LEIA A PROPOSTA COM ATENÇÃO

Este é um aspecto absolutamente essencial e talvez o mais importante da prova: ler atentamente o que é solicitado que você faça, de preferência mais de uma vez. Leia a proposta de redação, as orientações sobre o número de linhas exigido, o gênero ou gêneros de textos solicitados, as instruções, textos de apoio e referências bibliográficas e observe as imagens com atenção. É muito importante atentar para as orientações quanto ao uso de textos e imagens oferecidos na coletânea.

Muitos candidatos perdem pontos por não ter lido a proposta adequadamente. Não são raros os casos de alunos que fogem do tema – como quando a prova pede para escolher uma das abordagens apresentadas na coletânea e o candidato refuta todas; ou quando o texto pede uma proposta de solução para um problema, e a redação é toda realizada de forma a mostrar como a questão é insolúvel.

Também é ruim o candidato repetir informações já dadas nos textos-base ou apresentá-las de forma desencontrada – o que pode ser visto, pela banca corretora, como incapacidade de interpretação textual ou mesmo descaso. Por fim, existem estudantes que deixam de contemplar o básico, como fazer uma dissertação quando é solicitada uma narrativa ou crônica, esquecem-se de colocar o título ou de trabalhar o número de linhas exigido. Portanto, ler a proposta com muita atenção é o primeiro passo para uma redação bem-feita e com boa nota.

2. CONSTRUA SUA TESE

Nas dissertações, a construção da tese é peça-chave para elaborar o texto. Para isso, você deve escolher qual aspecto quer abordar, formular sua tese e os argumentos que usará. Essa escolha é o que chamamos de recorte textual, e é esse recorte que diferenciará sua redação das dos demais candidatos. Podemos dizer que toda a sua dissertação será uma defesa dessa tese – os argumentos tentarão prová-la, e a conclusão vai reafirmá-la. Algumas universidades adotam um tema que perpassa toda a prova de língua portuguesa, com textos e imagens que podem ser valiosos na sua argumentação.

COMO ENCONTRAR SUA TESE: Pense no que mais lhe chama a atenção no tema proposto e sobre o que, de fato, você terá maior capacidade de argumentar. Por exemplo, o tema “a descatracalização da vida” (Fuvest 2005). O que poderíamos pensar sobre ele? Que as catracas representam uma barreira de acesso aos espaços públicos? Que as pessoas impõem limitações aos outros e a si mesmas? Que essas barreiras se tornam tão comuns no cotidiano que as limitações são aceitas sem contestação? Fiquemos com essa ideia. Nossa tese poderia ser: “Muitas das barreiras existentes na sociedade são construídas pelos próprios indivíduos, que se acostumam com as limitações e não se esforçam para livrar-se delas”. Pronto, esse já é um foi condutor para a redação.

3. ORGANIZE SUAS IDEIAS

Depois de ler e compreender a proposta, você deve preparar a organização do texto, o que significa ordenar suas ideias. Você pode fazer isso por diferentes meios: esquematizar as ideias, anotar palavras-chave, escrever as principais frases ou tentar fazer um rascunho completo. Organizar as ideias implica mudar algo que não esteja bem claro, acrescentar informações que reforcem os argumentos e retirar aquilo que prejudicaria a compreensão do leitor. Por mais que as ideias iniciais sejam boas, é sempre possível formatá-las melhor.

Não existe uma forma única e consagrada de preparar uma redação. O que se recomenda a cada um é testar diversas formas e escolher aquela que melhor dá resultado.

• RASCUNHO: Para pessoas que gostam de visualizar um esboço do texto, o rascunho tradicional pode ser a saída. Porém, ele é pouco indicado para aqueles que escrevem devagar ou têm problemas ao transportar o texto – é preciso lembrar que alguns vestibulares não oferecem um espaço para rascunho.

• ESQUEMATIZAÇÃO: Ela é útil para trabalhar consequências ou fatos expostos de forma cronológica – as palavras-chave são uma saída rápida para quem consegue, com elas, construir argumentos e referências. Enfim, cada um deve utilizar aquilo que melhor lhe convém, e só a prática poderá orientá-lo.

4. SELECIONE OS ARGUMENTOS

Com a tese definida, você deve pensar na sua argumentação. Defina os argumentos que utilizará e elimine ideias secundárias. Isso é muito importante, pois são os argumentos que irão persuadir o leitor.

Normalmente, temos várias ideias quando deparamos com um tema, e nosso ímpeto é apresentar todas. Porém, geralmente essa não é a melhor estratégia para uma redação, pois esta oferece um espaço limitado. Dessa forma, um número reduzido de argumentos bem embasados é uma tática mais adequada que despejar um monte deles apenas superficialmente.

• FAÇA ESCOLHAS: Selecione dois ou três argumentos e trabalhe cada um individualmente em parágrafos. Assim, você pode desenvolvê-los, contextualizá-los com o tema e utilizá-los para defender sua tese.

Ao escolher os argumentos, selecione os que melhor atendem à tese e sejam mais persuasivos. Lembre-se de que, além de estarem relacionados com a tese, os argumentos têm de ser coerentes entre si e levar o leitor a um raciocínio lógico e coeso.

Outro aspecto a ser observado é o peso da argumentação em cada parágrafo. Para não perder a unidade textual, tente manter um padrão na extensão do texto e, também, no valor de cada argumento que apresenta. Ou seja, evite concentrar a discussão em um parágrafo e deixar outro como mero coadjuvante.

5. ESTRUTURE SEU TEXTO

Você já viu o esquema tático de um time de futebol? Embora o objetivo principal seja marcar gols, não é possível montar um time só de atacantes, pois a armação das jogadas, a defesa, e mesmo o ataque dependem de uma distribuição coesa dos jogadores. Isso também ocorre com a dissertação. Ela é composta de tese, argumentos, exemplos ou conclusões, porém é necessário que os elementos formem um conjunto.

Boas ideias apenas não garantem o êxito de uma redação, é preciso saber estruturá-las de modo coerente, para persuadir o leitor. Dessa forma, um texto bem-estruturado valoriza os argumentos e facilita a leitura e a assimilação das ideias.

• ESTRUTURA BÁSICA: Uma dissertação é formada por introdução, desenvolvimento e conclusão. Cada uma dessas partes tem uma função no conjunto e traz elementos e comprimentos (extensões) diferentes. Aprender a desenvolver assim a sua redação é o que ajuda a dar coesão e progressão textual a ela – e “enche os olhos” dos corretores: a estruturação do texto pode ser seu grande diferencial. Vamos apreciar cada parte separadamente.

• A INTRODUÇÃO: Ela apresenta o tema e traz o recorte que será feito dele. Introduzir não significa simplesmente iniciar o texto, mas inserir as ideias, torná-las parte da composição. É recomendável que ela exponha a tese do redator, o que tornará a leitura direcionada e facilitará a compreensão dos argumentos. Lembre-se: a dissertação é um texto argumentativo, que pretende convencer o leitor. Assim sendo, deve ser direta e não fazer rodeios – por isso, é importante que, logo no começo, o leitor já entenda a linha de raciocínio do texto.

• O DESENVOLVIMENTO: É o que sustentará o texto. A tese foi apresentada e nela foram expostas as ideias. Agora, é hora de ratificá-la, defendendo essas ideias de forma consistente e, se possível, provando-as. Embora essa parte do texto seja muito importante, ela não precisa ser complicada. Deve ser clara o suficiente para que o leitor a compreenda. Uma boa estratégia é reservar um parágrafo para cada argumento, analisando cada aspecto.

• A CONCLUSÃO: Você deve retomar as ideias que expôs na introdução e conjugar com os argumentos que as justificam, para confirmar a tese e encerrar o debate. O leitor deve ter a sensação de que tudo foi exposto, ainda que o tema convide a outras reflexões. Por isso, não convém que a conclusão traga novos argumentos ou deixe a tese em aberto.

6. REVISE SUA REDAÇÃO

Se você finalizou sua redação como um rascunho, vale a pena revisar o que fez antes de passar a limpo.

• REVEJA A LINGUAGEM: Em Caso tenha dúvida de uma grafa, tente substituir a palavra. Verifique os acentos das palavras e as vírgulas.

• ELIMINE REPETIÇÕES: Quando encontrar uma repetição, veja se a palavra precisa ser mantida ou se pode ser substituída.

• ATENTE PARA EXCESSOS DE “QUES”: Ele pode sinalizar períodos muito longos e mal construídos. Veja se não é o caso de eliminar um “que” e abrir uma nova oração. Com o verbo ter, utilize “ter de” em lugar de “ter que” para evitar sua repetição.

• ANALISE SEUS ARGUMENTOS: Veja se há coerência entre as ideias e coesão entre os elementos textuais. Observe se acertou na escolha de conjunções e preposições. Procure manter um olhar crítico sobre o que escreveu e corrigir eventuais problemas. Você trabalhou duro para compor seu texto e não é hora de fazer corpo mole.

problemas-escrever

VEJA NOSSO PLANO DE ESTUDOS

Sugestões práticas para aprimorar sua redação e aumentar a sua nota

Na maior parte dos vestibulares, a redação pode ter um peso grande na composição da nota final. Especialmente no ingresso pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU), em que cada universidade dá a essa prova um peso diferente; algumas dão peso triplo, dependendo do curso. Vale a pena separar algumas horas da sua semana para aprimorar as habilidades que serão necessárias para encarar com tranquilidade essa parte da prova. Temos alguns meses até o período dos vestibulares e, se você seguir o nosso plano de estudos e colocar a mão na massa, poderá aumentar bastante a sua pontuação final.

DIARIAMENTE

LEIA BASTANTE:

• O hábito de ler o ajuda a desenvolver as habilidades de interpretar textos, analisar e comparar pontos de vista, identificar gêneros e objetivos de cada texto, entre outras. Procure variar entre livros, revistas, colunas de opinião e notícias.

• A leitura amplia seu repertório. Fique ligado nos temas que estão em pauta nas mais variadas áreas. A ideia não é tentar adivinhar o tema que poderá cair na redação, mas melhorar sua capacidade de analisar e refletir para estar preparado para qualquer proposta.

SEMANALMENTE

ORGANIZE-SE E COMPROMETA-SE:

• Defina um dia e horário da semana para focar em preparar-se para a redação. Propomos que você alterne o tipo de atividade semana sim, semana não.

• Se a redação tiver grande peso para o curso que irá prestar, indicamos que aumente o tempo destinado a essas atividades e faça uma ou duas redações por semana.

Semana 1 | DESENVOLVIMENTO

PROSPECTE TEMAS: Selecione um novo tema a cada duas semanas. Pode ser um que já caiu, presente no Caderno de Redações (na segunda parte deste guia), ou um tema abordado nas mídias. Procure informações e textos de opinião sobre a questão. O ideal é encontrar textos complementares e também divergentes, e não textos muito parecidos.

PRATIQUE SÍNTESE: Faça um resumo dos textos que encontrou, tentando condensar a ideia central em apenas um parágrafo ou dois – não é fazer a redação inteira, é praticar análise e síntese. Você perceberá as estratégias de convencimento e, fazendo repetidas vezes, se familiarizará com a escolha de argumentos.

CONCENTRE-SE E REDIJA:

• Escolha o recorte que irá abordar, defina a sua tese, selecione seus argumentos e elabore uma redação para o tema que escolheu.

• Faça seu texto sempre à mão, para treinar escrever de forma rápida e legível.

Semana 2 | APRIMORAMENTO

RELEIA SEU TEXTO: Volte à redação da semana anterior e veja o que pode ser melhorado.

ACOLHA CRÍTICAS: Peça a avaliação de um professor, preferencialmente, mas se não for mesmo possível, peça a outra pessoa. Perguntas: a introdução traz os elementos necessários? Os argumentos são convincentes e não se contradizem? Eles culminam num posicionamento? A conclusão é suficiente para não deixar dúvidas em quem leu?

COMPARE: Se o tema escolhido for do Caderno de Redações desta edição, ou de edição anterior do nosso guia, agora é a hora de ler os textos bem avaliados e observar seus pontos positivos.

APERFEIÇOE-SE: Reescreva seu texto. Afine seus argumentos, insira novos conectivos, “amarre” melhor cada parte, troque palavras ou trechos por outros mais objetivos, insira novas informações, e assim por diante. Certifique-se de ter cumprido a norma-padrão da língua portuguesa.

SUPERE-SE: Refeito o texto, faça ainda o exercício de escrever mais duas introduções e duas conclusões diferentes para os mesmos argumentos e tese. isso pode ajudar em criatividade e em facilidade (desenvoltura) para escrever.

FORMAS DE REALIZAR A PROVA

DEIXAR PARA O FINAL: Muitos estudantes preferem ler a proposta de redação no início da prova, mas deixar para redigi-la no final. Assim, ao longo da prova, vão se tranquilizando quanto ao tema e anotando possíveis ideias. Recomendamos que, se for essa a sua opção, reserve ao menos 1h ou 1h30 para essa tarefa, dependendo do modelo de redação do vestibular escolhido. Para saber quanto tempo reservar à redação, sugerimos que você faça simulados ao longo do ano e registre seu tempo.

FAZER NO INÍCIO: Quem fica cansado ou perde a criatividade muito depressa pode obter melhor desempenho se fizer– ou ao menos rascunhar – a redação no início da prova. Nesse caso, é preciso controlar bem o tempo para responder às questões de múltipla escolha.

RESOLVER O QUE É FÁCIL ANTES: Há quem prefira resolver todas as questões de múltipla escolha mais fáceis, pular as difíceis, parar para redigir a redação e, então, voltar à solução de questões.

INTERCALANDO: Outra opção é fazer a redação de forma intercalada com as questões: o estudante faz um esboço da redação, depois responde parte das questões, então separa um momento para redigir o texto com cuidado, volta à segunda parte das questões e, por fim, passa seu texto para a folha definitiva.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Celita Aline da Silva Garcia

    ótima aula!!!

    Curtir