Assine Guia do Estudante ENEM por 15,90/mês

Inglês: Dicas de conteúdo – Palavras compostas

As regras para usar everybody, nobody, somebody e anybody

Em inglês, podemos formar várias palavras com a combinação entre every, some, any, no e body/one, where, thing. Usamos every para indicar a totalidade de alguma coisa, lugar ou de pessoas (everywhere = todo lugar/everybody = todo mundo). Usamos somebody, somewhere e something em frases afirmativas para indicar a existência de algo, pessoa ou lugar (somebody = alguém, somewhere = algum lugar, something = alguma coisa). Usamos anybody/ one, anything, anywhere em frases para indicar a ausência (anywhere = nenhum lugar, anybody/one = ninguém, anything = nada). Quando a frase é negativa, mas tem um verbo na forma afirmativa, usamos os compostos de no (nobody/one = ninguém, nowhere = nenhum lugar, nothing = nada). Nas frases interrogativas, também usamos os compostos de any: anybody/one (alguém), anywhere (algum lugar), anything (alguma coisa). Observe os exemplos:

Frases Afirmativas

»  You can look everywhere, you will not find it. (Você pode procurar em todo o lugar, não irá encontrá-lo.)

»  Everybody wants to see this film. (Todo mundo quer ver esse filme.)

» Don’t look: somebody is watching you. (Não olhe: alguém está observando você.)

Frases Negativas

»  I don’t need anybody to do that for me, thanks. (Não preciso de ninguém para fazer isso por mim, obrigada.)

»  I don’t have anything to do, anywhere to go. How boring! (Não tenho nada para fazer, nenhum lugar para ir. Que chato!)

» No one knows what it is like to be the bad man. (Ninguém sabe como é ser o cara mau.)

Frases Interrogativas

»  Does anyone know where my passport is? (Alguém sabe onde está meu passaporte?)

O uso de compostos com a palavra any em frases afirmativas pode acontecer quando o sentido de any é “qualquer”, ou seja, qualquer pessoa, lugar, coisa. Ex.: I think anybody in this room can help you. (Acho que qualquer pessoa nesta sala pode ajudá-lo.)

UMA COMBINAÇÃO PARA CADA SITUAÇÃO

O uso do verbo “to wish” depende do contexto
O verbo to wish pode ser usado com diferentes combinações de formas verbais, dependendo da situação. Observe os exemplos:

1. Para expressar um desejo futuro: wish + would + infinitivo do verbo principal
»  I wish something good would happen to her. (Desejo/quero que algo de bom aconteça a ela.)

» Jenna wishes the kids would come for the Christmas party at the end of the year. (Jenna deseja que as crianças venham para a festa de Natal no fim do ano.)

2. Para expressar desejo de mudança de uma realidade: wish + verbo principal no passado
»  I wish I was taller. (Eu queria ser mais alta.)

» Jenna wishes she had more money to buy the presents. (Jenny queria ter mais dinheiro para comprar os presentes.)

3.  Para expressar desejo sobre uma situação passada: wish + passado perfeito do verbo principal
» I wish you hadn’t lost that pen. (Eu queria que você não tivesse perdido aquela caneta.)

» I wish you had never said that. Peter was never the same after that. (Eu queria que você nunca tivesse dito aquilo. Peter nunca foi o mesmo depois disso.)

É possível usar a expressão if only para expressar desejos. Observe:

»  If only I wasn’t so short, I would be a good basketball player. (Se eu não fosse tão baixo, seria um bom jogador de basquete.)

» I feel so lonely here in Paris. If only I could speak French, I would talk to people. (Sinto-me tão sozinho aqui em Paris. Se soubesse falar francês, eu conversaria com as pessoas.)

Conheça os diferentes pronomes relativos usados para relacionar frases

Em inglês, as orações adjetivas (relative clauses) são introduzidas pelos pronomes relativos who, which, whose. Os pronomes relativos substituem um elemento anteriormente mencionado, estabelecendo a relação entre duas orações por meio dessa substituição/referência. Usamos who para pessoas, which para coisas e animais e whose para indicar a relação de posse. Veja alguns exemplos:
»  And it’s not just scientists who are taking notice. (E não são apenas os cientistas que estão percebendo.)

»  We are going to talk about the subject which worries us most: global warming. (Vamos falar sobre o assunto que mais nos preocupa: o aquecimento global.)

» James Lovelock, whose last book talks about the greenhouse effect, is a well-known scientist. (James Lovelock, cujo último livro fala do efeito estufa, é um cientista bem conhecido.)

É possível substituir os pronomes who e which por that, quando se trata de orações adjetivas restritivas (ou seja, aquelas que caracterizam um elemento da oração principal de forma a restringir e/ou especificar sua identidade). Nesses casos, essa oração não vem entre vírgulas. Já no caso de orações adjetivas explicativas (aquelas inseridas entre vírgulas), não podemos usar that. Observe os exemplos:
»  He is the man who/that gave me the ticket for the bus. (Ele é o homem que me deu o bilhete para o ônibus.)

»  Shakespeare, who wrote Hamlet and Romeo and Juliet, is the most important English literature writer of all times. (Shakespeare, que escreveu Hamlet e Romeu e Julieta, é o mais importante escritor da literatura britânica de todos os tempos.)

Usa-se that (e não what) após something, anything, nothing e everything. Exemplos:
» The Simpsons collected everything that they needed to take to the trip before leaving home. (Os Simpsons juntaram tudo que precisavam levar para a viagem antes de deixar a casa.)

Às vezes, é possível omitir o pronome relativo nas orações subordinadas adjetivas. Isso acontece quando o pronome não é o sujeito do verbo da oração subordinada. Observe a diferença nestes dois exemplos:
»  Cristina is a journalist. She works at home.

»  Cristina is a journalist who works at home. (Cristina é uma jornalista que trabalha em casa.)

Nesse caso, who é sujeito da oração subordinada e não pode ser omitido.
»  Cristina is a journalist. I met her two months ago.

»  Cristina is a journalist (who) I met two months ago. (Cristina é uma jornalista que encontrei dois meses atrás.)

Aqui, who não é sujeito da oração, mas o complemento do verbo met (passado de meet) e pode ser omitido.

Na função de complemento do verbo é possível usar o pro- nome relativo whom (mais formal) em vez de who. Observe:
» This is the man whom I talked to last night. (Este é o homem com quem conversei na noite passada.)

Um caso complicado

Estes verbos confudem muita gente:

LIE/LAY
1. Lie (mentir): verbo regular (passado e particípio = lied)
2. Lie (estar deitado/situado): verbo irregular (passado: lay/ particípio: lain/gerúndio: lying)
3. Lay (deitar, botar, colocar): verbo irregular (passado e particípio: laid)

RAISE/RISE:
1. Raise (cultivar, criar, aumentar): verbo transitivo e regular (passado e particípio: raised)
2. Rise (elevar-se, levantar-se): verbo intransitivo e irregular (passado: rose; particípio: risen)

Inglês: Dicas de conteúdo – Palavras compostas
Inglês: Dicas de conteúdo – Palavras compostas
As regras para usar everybody, nobody, somebody e anybody Em inglês, podemos formar várias palavras com a combinação entre every, some, any, no e body/one, where, thing. Usamos every para indicar a totalidade de alguma coisa, lugar ou de pessoas (everywhere = todo lugar/everybody = todo mundo). Usamos somebody, somewhere e something em frases afirmativas […]

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se você já é assinante faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

DIGITAL
DIGITAL

Acesso ilimitado a todo conteúdo exclusivo do site

A partir de R$ 9,90/mês